• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Estabelecimentos que podem funcionar e os cuidados na hora de ir às compras; ouça o podcast

Microbiologista dá dicas importantes para clientes e proprietários de estabelecimentos seguirem durante e depois do momento da compra

Donos de estabelecimentos comerciais que seguem abertos na quarentena por ser considerados serviços essenciais relatam para os ouvintes do “Em Quarentena” os desafios e os cuidados durante a pandemia. E um microbiologista dá dicas tanto para quem vai fazer compras quanto para funcionários e donos de comércios mantidos abertos.

O senhor Thomas Asani, dono de um açougue em Osasco, município da Grande São Paulo, mostrou que está atento aos cuidados para combater o coronavírus.

“Pra todo mundo a situação está assim, a gente precisa manter todo esse processo [de cuidados] para evitar que se agrave mais a situação”. (ouça a partir de 00:50)

Michele, que é dona de um restaurante em Carapicuíba,  falou sobre as mudanças que fez para manter seu estabelecimento aberto.

“Nós estamos trabalhando só com delivery. Atendemos algumas empresas e uma delas só trabalhava com self-service, mas estamos mandando marmitex e talheres descartáveis. Eles mudaram todo o quadro de funcionários, dispensaram bastante gente. Nós também estamos trabalhando com metade de nossos funcionários”. (a partir de 01:25)

Ela também falou sobre gastos. “A despesa é a mesma para abrir, mas o retorno é bem menor. As pessoas estão pedindo menos comida. Mas estamos fazendo nossa parte e acatando as ordens do governo. Esperando que tudo isso passe”. (ouça em 01:55)

Bruna Rosa, de Pirituba, na zona noroeste de SP, comentou sobre os cuidados com a higiene. “Estou higienizando sempre as mãos, quando pegamos em dinheiro, passando álcool gel e lavando com água e sabão”. (em 02:29)

O microbiologista Sidcley Lyra deixou algumas dicas sobre importantes cuidados que todos devem seguir no momento e após as compras. “Limpe bem os pacotes e as embalagens de compras com álcool 70 ou, quando não puder, com água e sabão, assim que chegar em casa”. (em 02:57)

Sidcley direcionou, inclusive, dicas para os comerciantes. “A primeira indicação é não ter contato físico entre os funcionários e clientes. A gente sabe que o coronavírus se transmite por gotículas de saliva e pode ser transmitido por apertos de mãos, beijos, abraços e até mesmo durante a fala, se estiver muito próximo”. (em 03:30)

O microbiologista orientou também os funcionários. “É indicado que os funcionários não utilizem adornos, como anel, pulseira e relógio porque isso dificulta a limpeza das mãos. E unhas compridas e postiças devem ser evitadas”. (em 03:59)

Sobre a limpeza como um todo, Lyra fez recomendações. “A gente pode limpar as superfícies e os objetos com álcool 70 ou então com uma solução clorada. Pode ser desinfetante, água sanitária, lysoform ou outro que contenha cloro”. (em 04:33)

Ele ainda apontou  cuidados que se deve ter durante o pagamento das compras. “O dinheiro também é um possível meio de contaminação, não só do coronavírus, mas de outras doenças também. O indicado é que se lave as mãos com sabão ou utilize álcool 70 após manusear notas no troco e até mesmo cartão de crédito”. (em 04:48)

Ouça este bate papo completo no Em Quarentena #08: Estabelecimentos que podem funcionar e os cuidados na hora de ir às compras.

Podcast Em Quarentena

Viver em meio ao coronavírus não deve estar sendo fácil para ninguém. Imagina então para quem vive nas periferias. 

O “Em Quarentena” é o podcast especial que a Agência Mural de Jornalismo das Periferias criou neste momento da pandemia. Queremos informar, com notícias do dia a dia, quem mais precisa se virar meio a esse caos.

Você pode receber o podcast diretamente no seu Whatsapp, enviando um “Oi” para +55 11 9 7591 5260. Ouça também no Instagram, Youtube, Spotify, Deezer, Apple e Google Podcast

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Grande São Paulo

Comentários