APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
32xSP

Após 10 anos, hospital de Parelheiros é inaugurado pela metade

Prestes a renunciar cargo de prefeito, João Doria abriu apenas pronto-socorro de nova unidade médica no extremo sul da capital paulista

Image

Por: Redação

Publicado em 02.04.2018 | 20:42 | Alterado em 02.04.2018 | 20:42

Tempo de leitura: 3 min(s)
Image

Apenas pronto-socorro de novo hospital em Parelheiros foi inaugurado (Rubens Rodrigues/32xSP)

Sob protestos de moradores, na última quinta-feira (29), João Doria (PSDB), prestes a renunciar o cargo de prefeito de São Paulo para se lançar ao governo estadual, inaugurou apenas o pronto-socorro do Hospital Municipal de Parelheiros, na zona sul da capital paulista. A população local aguardava uma unidade médica há dez anos.

De acordo com a prefeitura, até o fim de maio, as obras do Hospital Josanias Castanha Braga serão finalizadas. Enquanto isso, o atendimento será realizado somente em casos emergenciais ou com encaminhamentos de AMAs (Assistências Médicas Ambulatoriais) e UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

LEIA MAIS
Em menos de 6 meses, Doria troca de prefeito regional de Parelheiros

“Já que é para inaugurar, que fosse tudo né? Mas é ano de eleição. Para ganhar votos, eles fariam até defunto levantar, se pudessem”, diz a operadora de caixa Karen do Santos, 22.

Durante o primeiro dia aberto, não houve atendimento. Funcionários limparam e esterelizaram materiais e equipamentos.

A reportagem do 32xSP acompanhou os primeiros pacientes atendidos na nova unidade. Com o pé esquerdo inchado, Paloma Morais, 27, que mora  na mesma rua do hospital, afirma estar feliz. A partir de agora, ela não precisará percorrer 8 km para ter acesso médico.

“Nós precisávamos. Vai ajudar todo mundo que mora na região, além de desafogar os outros lugares, como Balneário São José [posto de saúde] e o Hospital do Grajaú”, completa Paloma. Ambas as unidades estão afastadas a 8 e 16 km, respectivamente.

Até o momento, o hospital municipal oferece atendimento ortopédico, ginecologia, cirurgia geral, clínica médica e pediatria.  

Ao contrário daqueles que busca tratamento médico, houve também quem estivesse no local para pedir emprego. 

É o caso de Kevim Silva, 18, que saiu de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, para garimpar uma vaga na área de enfermagem. Ouvi falar que a preferência é para quem mora em Parelheiros”, lamenta.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, o Hospital Josanias Castanha Braga está localizado em um terreno de 110 mil m², com 40 mil m² de área construída, e tem capacidade de atender os 160 mil moradores de Parelheiros.  

A pasta informa ainda que a obra, iniciada na gestão de Fernando Haddad (PT), custou R$ 182 milhões.

MANIFESTAÇÃO

Durante a cerimônia de inauguração, alunos, pais e professores protestaram do lado de fora do hospital por melhorias nas escolas municipais.

O grupo era liderado por William Prado, 36, coordenador do conselho de saúde de Parelheiros. De acordo com ele, o tumulto aconteceu porque um segurança do hospital “agiu de má-fé”.

“Eu estava intermediando um acordo com a segurança para permitir subir uma comissão de dez alunos com pais e professores. Eles deram a palavra que iam liberar, nós esperamos e ele [prefeito]  foi.”

VEJA TAMBÉM
Parto de adolescentes em Parelheiros é 11 vezes maior do que em Pinheiros

Nervosos, os estudantes começaram a barrar a passagem dos carros que saíam do hospital. A Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Ambiental foram chamadas para intervir.  Um agente da GCM usou spray de pimenta para apaziguar o confronto.

“Eu pedia para os alunos  saírem da calçada do hospital para não sofrerem retaliação. Quando estavam quase saindo, a GCM e a Polícia Ambiental já estava em cima da gente”, conta Prado.

A prefeitura informa que ação dos agentes da Guarda Civil Metropolitana foi para “conter o tumulto dos manifestantes”, e que a conduta será avaliada.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.