APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
32xSP

'Arroz de audiências públicas': conheça os grupos que participaram de todas as reuniões temáticas

Confira os destaque das participações nas audiências temáticas do Programa de Metas 2021-2024; alguns grupos chegaram a falar em seis oportunidades

Image

Por: Redação

Publicado em 28.05.2021 | 15:06 | Alterado em 28.05.2021 | 15:06

Tempo de leitura: 3 min(s)

O estudante Leandro Chemale mora em Sapopemba, distrito da zona leste de São Paulo, e quer mais oportunidades de cursos. Aluno do UniCEU, programa de ensino superior público e online da prefeitura, ele participou de três audiências públicas no dia 24 de abril para garantir que sua demanda fosse ouvida. 

“A Prefeitura de São Paulo é um ente importante na oferta de cursos de graduação e especialização em EAD [ensino à distância] com o UniCEU. É importante colocar iniciativas de abertura de novos cursos online gratuitos nos polos”, afirmou Leandro na audiência “SP Justa e Inclusiva”. Ele também cobrou meia passagem para os estudantes de EAD.

Image

CEU Sapopemba, na zona leste (SME/Divulgação)

Chemale é um exemplo dos bastidores das audiências públicas realizadas neste ano para discutir o futuro da cidade. 

Além dos eventos por subprefeitura, a construção do Programa de Metas 2021-2024 de São Paulo contou com três audiências temáticas — com base nos eixos que norteiam o novo documento. A reportagem do 32xSP assistiu a todas elas e observou a frequência de alguns grupos locais. 

Alguns deles estiveram presentes em todos os espaços e pediram a palavra para levar pautas regionais a temas que envolvem outras políticas públicas da cidade. 

Destaque também para a presença de pessoas que não são ligadas a um movimento específico, mas que veem a importância da participação popular nestas decisões, caso de Leandro. 

Além da “SP Justa e Inclusiva”, que tratou das 26 metas do eixo, ainda houve mais duas audiências temáticas. A segunda foi referente às 21 metas dos eixos “SP Mais Ágil” e “SP Mais Segura e Bem Cuidada”. 

Por último, a audiência sobre os temas “SP Inovadora e Criativa”, “SP Global e Sustentável” e “SP Eficiente”, com 28 metas a serem discutidas, fechou a programação.

É possível assistir pelo YouTube todas as audiências:

Os membros do TICP (Território de Interesse da Cultura e da Paisagem Jaraguá-Perus), da zona noroeste da cidade, é outro exemplo de participação ativa. Eles conseguiram ter espaço de fala em todas as três audiências. 

Muitas das propostas apresentadas pelo grupo do TICP já tinham sido levadas à audiência da Subprefeitura de Perus e foram reforçadas. Integração viária entre os parques, escolas e patrimônios históricos da região é uma das sugestões. 

Image

Vista do Pico do Jaraguá, na região que leva o mesmo nome (Humberto Muller/32xSP)

“Possuímos dois grandes parques, o Anhanguera e o Jaraguá, mas temos muita dificuldade de acesso a esses parques. A gente propõe um redesenho urbano, para resgatar o meio ambiente e garantir a geração de renda”, disse a engenheira Sirlei Bertolini. 

Ela sugere ainda a implantação de calçadas e “ter essas vias se conectando para ter mais acessibilidade entre os parques”.

GRUPOS E MORADORES ASSÍDUOS

Contando as três audiências temáticas, os membros do TICP tiveram seis participações, a maioria delas na reunião sobre economia criativa e inovação. 

Outro grupo que participou das sessões temáticas foi a Rede Butantã de Entidades e Forças Sociais, da zona oeste. 

Martha Pimenta, representante do movimento, cobrou a construção de instalações de saúde, como UBS (Unidade Básica de Saúde), CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) e URSI (Unidade de Referência à Saúde do Idoso), também nas regiões mais vulneráveis da subprefeitura.

Image

Praça Elis Regina cercada por prédios no bairro do Butantã (Vagner de Alencar/32xSP)

“Não dá para tratar com igualdade um lugar com muitas desigualdades. A gente pede um olhar para esses distritos mais pobres, que enfrentam maiores dificuldades”, desabafou Martha, sobre mais atenção aos serviços públicos em áreas periféricas.

Ainda que não seja referente a uma região específica, outro grupo que participou ativamente das reuniões foi o COMSEA (Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional), com cinco falas.

Suzana Inês Basualdo levantou observações sobre a meta que prevê a estruturação de 400 hortas urbanas em São Paulo. Segundo ela, a proposta não deveria incluir hortas feitas em praças ou escolas. 

“Essa diferenciação é imprescindível, nós precisamos de hortas para produção, alimentação e geração de renda, [afinal] nós estamos numa crise alimentar”, pontuou Suzana.

LEIA TAMBÉM:
Distrito de Sapopemba tem projeto de parque que não sai do papel desde 2017
Capão Redondo, distrito mais populoso do Campo Limpo, é ‘esquecido’ durante audiência

Representante do Conselho Gestor do Parque Chácara do Jóquei, na região do Campo Limpo, zona sul, Wellyene Gomes Bravo participou de duas audiências. A moradora questionou a métrica usada na meta referente a limpeza de córregos durante a gestão.

“Eles [funcionários da empresa responsável pela limpeza] vêm, fazem a limpeza e deixam a sujeira na encosta do córrego. No dia seguinte chove e a sujeira volta para o córrego. Por contrato, cada ida é contada como metros limpos, mas é um serviço mal feito que tem que ser realizado a cada 15 dias”, disse. 

CRONOGRAMA

De acordo com o cronograma do Programa de Metas previsto pela prefeitura, as propostas enviadas pela população estão passando por avaliação das secretarias. A publicação da versão final do documento será feita em junho de 2021.

↳ Veja mais conteúdos do 32xSP sobre o Programa de Metas em São Paulo

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.