APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Rolê

Coletivos ocupam Secretaria Municipal de Cultura e pedem saída de André Sturm

Image

Por Redação | 31.05.2017

Publicado em 31.05.2017 | 23:15 | Alterado em 11.06.2018 | 11:50

Movimentos também reivindicam descongelamento de verbas destinadas à área

Ocupação da sede da Secretaria de Municipal de Cultural — crédito Flávia Lopes/Coletivo Desenrolar e Não me Enrola

(Atualizado 23h51)

Cerca de 70 pessoas ocuparam hoje o gabinete da Secretaria Municipal de Cultura e pedem a saída do atual ocupante da pasta, André Sturm, além do descongelamento das verbas destinadas à área.

Marcelo Eleomar, 38, diz que a entrada no local ocorreu sem maiores problemas. “Há a presença da GCM (Guarda Civil Metropolitana), mas está tranquilo”, afirma. Também estão presentes no local advogados da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

O movimento está acontecendo na Galeria Olido, sede do gabinete da Secretaria de Cultura, no centro da capital.

Coletivos culturais na SMC (à esquerda) e com o Secretário Especial de Relações Governamentais
Milton Flávio — crédito: Flávia Lopes/Coletivo Desenrolar e Não me Enrola

Em manifesto divulgado ontem, o grupo afirmou que o governo Doria (PSDB) “Desmonta a Cultura” e citou como exemplos os cortes nas oficinas culturais dos CEUS e a diminuição em 30% dos recursos do programa VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), que busca estimular a autonomia da juventude periférica.

Na noite de segunda-feira (29), o secretário de cultura teria ameaçado de agressão membros do Movimento Cultural Ermelino Matarazzo, durante uma reunião para discutir a manutenção do contrato de gestão compartilhada da Ocupação Mateus Santos, que gere a casa de cultura Ermelino Matarazzo. O secretário disse: “Um espaço público não é de qualquer, público é do governo (…). Se eu quiser fechar espaço, eu fecho”. Além de: “Vou quebrar a sua cara.”

O Secretário Especial de Relações Governamentais, Milton Flávio, levou a pauta dos coletivos para uma reunião com o prefeito, mas retornou ao prédio da SMC apenas com uma proposta de desocupação provisória do local.

Flávio negociou com a GCM a entrada e a saída de pessoas no prédio com segurança. Às 8h, o secretário voltará a negociar os termos da ocupação. “Não haverá nenhuma pressão para retirada de pessoal durante a noite”, garantiu Flávio.

Da Redação

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.