APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
No Corre

Com CEP repetido, moradora do Parque Taipas tem problemas para receber cartas e encomendas em casa

Solução é utilizar endereço de parentes para fazer pedidos

Image

Notícia

Por: Renan Cavalcante

Publicado em 30.11.2021 | 22:33 | Alterado em 01.12.2021 | 15:11

Tempo de leitura: 2 minutos

Há cerca de dois anos, a auxiliar administrativa Thamires Araujo, 25, se mudou para o Parque Taipas, bairro que fica na zona noroeste de São Paulo, no distrito de Pirituba.

Desde então, receber cartas, encomendas ou pedir refeições por delivery tornou-se uma tarefa quase impossível. Tudo isso porque o CEP da casa dela é o mesmo que o de uma avenida próxima.

“Nos Correios, o mesmo CEP aparece como a rua José Lopes, que é a rua principal aqui do bairro”, conta Thamires, mostrando os dados que estão cadastrados na Enel, a empresa de energia elétrica que atende a cidade de São Paulo.

Pelo site dos Correios, o número informado por Thamires aparece como sendo o dessa rua vizinha. No Google Maps, a mesma pesquisa mostra apenas o nome “Vila Anastácio” e um ponto no mapa próximo ao fim da rua José Lopes.

Bairro de Parada de Taipas fica na zona norte de São Paulo @Ira Romão/Agência Mural

Mas a via em que Thamires mora não aparece em nenhuma das pesquisas.

“Eu não coloco contas para chegar nesse endereço porque não chega. A gente não compra nada na internet, porque quando a gente coloca o CEP que era pra ser o da minha rua, aparece outra. Só que a gente não mora lá. A única coisa que chega aqui é a conta de luz, porque eles vêm fazer a medição”, explica.

“Já tentei comprar utilizando o endereço daqui, mas o correio não vem e tem duas desculpas: ou eles falam que não localizaram o endereço ou que fizeram três tentativas de entrega”, explica Thamires.

Para receber produtos, Thamires precisa se deslocar de ônibus até uma agência dos Correios que fica no bairro da Brasilândia, a 7 km de onde ela vive.

Fazer compras optando por empresas privadas de transporte não é a solução para Thamires. “A gente sempre teve problemas em relação a isso. Então a gente já abriu mão mesmo de tentar utilizar o endereço aqui. Pelo pelo desgaste”, conta.

A solução encontrada por ela para amenizar o problema é utilizar o endereço de parentes para garantir que a entrega será feita.

“Quando a gente compra qualquer coisa uso o da minha avó que também mora aqui em Taipas. Como é em outro bairro, as entregas funcionam. Então tudo que preciso, peço para chegar na casa dela”.

O problema vivido por ela é o mesmo de outros moradores das periferias, que não recebem encomendas em casa mesmo com o avanço dos comércios digitais.

No caso dela, pedir comida por aplicativos ou um carro para se deslocar pela cidade, atividades que já fazem parte do cotidiano de muita gente na cidade, é tarefa quase impossível.

Se quiser pedir comida por delivery, Thamires só pode contar com estabelecimentos próximos a sua residência.

“Aqui tem pizzarias do morro mesmo. Então, os motoboys chegam no endereço, mas se você pedir de algum lugar de fora daqui as pessoas não acham, tem dificuldade”, conta.

“Pra você pegar o Uber você tem que sair aqui do morro, mas se você tiver em algum lugar e quiser voltar, também não consegue. A gente tem essa dificuldade. Então a gente acaba não utilizando esses aplicativos.”

Renan Cavalcante

Jornalista. Atualmente pós-graduando em Jornalismo de Dados, Automação e Data Storytelling. Correspondente do Jaraguá desde 2018.

Republique

Faça com que essa história chegue para mais pessoas.

Republique o nosso conteúdo gratuitamente.

Regras:

Os títulos podem ser modificados desde que não mude o contexto;

Os textos devem ser publicados como estão na versão original, sem edição ou cortes;

Todas as republicações devem dar crédito para a Agência Mural e também os créditos dos profissionais envolvidos em sua produção, conforme aparece na publicação original;

As fotografias e outras imagens/artes podem ser republicadas com os devidos créditos;

Os vídeos republicados não devem passar por nenhum tipo de edição, devem conter os créditos da Agência Mural; para transmissão na TV, é preciso enviar um pedido para contato@agenciamural.org.br.

Reportagens publicadas no site www.agenciamural.org.br não podem ser revendidas.

Se possível, os materiais republicados devem mencionar o perfil da Mural nas redes sociais.

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.