Editora da Mural participa da 40ª Semana de Jornalismo da PUC-SP

Na quarta-feira (24), a Agência Mural participou da Semana de Jornalismo da PUC-SP.  Para celebrar os 40 anos do curso, o tema escolhido foi “Um mundo em crise e suas saídas”.  De 22 e 26 de outubro, no Campus Monte Alegre da universidade, a programação contou com a presença de profissionais da área e abordou as novas perspectivas das do jornalismo na atualidade.

A editora da Agência Mural, Priscila Pacheco, participou da mesa “Realidades escondidas dos grandes jornais”, junto com Wagner Ribeiro (Urbano Nobre), Amanda Rahra e Camila da Silva (Escola de Comunicação ÉNois).

Receba nossa newsletter!

Priscila apresentou o trabalho realizado pela Agência Mural e falou sobre jornalismo local e do desafio de chegar nos leitores das periferias.

“Queremos um jornalismo diversificado que mostra o que realmente acontece nas periferias pelo olhar de quem vive lá, desconstruindo o estereótipo presente. A alma do nosso trabalho é poder entrevistar as pessoas que moram na região dos nossos bairros, poder conversar e contar as histórias delas”, pontua.


Já o professor Wagner Ribeiro, jornalista e fotógrafo, focou no seu trabalho de “fotojornalismo da paz” e a cobertura de guerras civis em países do Oriente Médio e da Ásia, crises ambientais e imigração de refugiados.

“Com a defesa de valores éticos e da transparência da informação em mente, uma mesa como essa revela o que é o curso de Jornalismo na PUC-SP. Ela tem o objetivo de trazer relatos e vozes que não fazem parte do imaginário da grande mídia”, observa.

E para falar sobre a Énois,  a jornalista Amanda Rahra comentou sobre o trabalho realizado com jovens das periferias e sobre o papel do jornalismo em tempos de crise. “Como jornalistas, precisamos transformar essa aflição em uma energia de ação. Precisamos perguntar e entender o que as pessoas estão pensando agora”, afirmou.

Cíntia Gomes

Jornalista, cofundadora, editora de comunicação organizacional e correspondente do Jardim Ângela desde 2010. Casada, é filha de uma mineira e um capixaba, irmã de um carioca e uma paulistana. Como boa escorpiana, é desconfiada, decidida e curiosa. Ama dançar e comer doces.

Jardim Ângela, São Paulo

Comentários