APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Ponto a Ponto

Em operação comercial, Linha 13-Jade não melhora transporte na periferia de Guarulhos

Image

Por Jordan Mello | 15.06.2018

Publicado em 15.06.2018 | 9:21 | Alterado em 19.06.2018 | 11:10

Image

Linha-13 Jade ainda não atrai muitos usuários. (Thalita Monte Santo / Agência Mural)

A Linha 13-Jade começou no início de junho a operar em horário comercial em Guarulhos, na Grande São Paulo. Com funcionamento entre 4h e 0h e valor da passagem de R$ 4, o ramal liga Engenheiro Goulart, na zona leste de São Paulo, à estação Aeroporto-Guarulhos, próxima ao Terminal 1.

Apesar da ampliação do  serviço, com apenas três estações, a Linha-13 ainda não consegue atingir moradores de bairros periféricos da cidade. Quem vive nessa região ainda opta pelos ônibus intermunicipais, principalmente os com destino a estação Armênia, na Linha 1-Azul do Metrô na capital.

A média da passagem dos ônibus intermunicipais ultrapassa os R$ 5,30, e há linhas que chegam a custar R$ 6,80, caso do coletivo que sai do Jd. Fortaleza, em Guarulhos, até o metrô Armênia.

Para quem mora na região dos bairros Pimentas e Bonsucesso, a distância e o gasto inviabilizam o uso. “A gente já pega o trânsito do Trevo de Bonsucesso. O ônibus até a Armênia ainda é a melhor opção, mesmo que bem mais caro. A linha [do trem] só vai ser útil quando chegar no ‘fundão’ da cidade. É muito cômodo fazer estação perto do aeroporto”, afirmou Franciely Ferreira, 34, moradora do Pimentas.

O Trevo de Bonsucesso é conhecido pelo trânsito caótico nos horários de pico. É uma ligação importante entre a região do Pimentas, Bonsucesso e São João, além de ser cortado pela Rodovia Presidente Dutra. Obras de melhoria no local estão em andamento há alguns anos, com previsão final de entrega para o fim de 2018.

PRIMEIROS DIAS

A Agência Mural testou o serviço e fez, em uma terça-feira, o trajeto de Guarulhos até São Paulo, no horário de pico do período da manhã. A viagem começou na Estação Cecap-Guarulhos quando o relógio marcava 6h33. A estação estava vazia e poucos usuários seguiram de trem rumo à zona leste. De uma estação a outra, são 13 minutos, em média. A CPTM informou que nos dois primeiros dias de operação comercial, a Linha-13 recebeu cerca de 9 mil passageiros, enquanto que a média diária de usuários da Linha-12, onde finaliza a Jade, é de 270 mil.

Com composições lotadas e tempo razoável de espera, o embarque na estação Engenheiro Goulart da Linha Safira é bem diferente. Só foi possível o embarque após a espera de cinco composições, e com lotação total.

Morador do Jardim Presidente Dutra, um dos bairros mais populosos de Guarulhos e distante das estações, André do Nascimento, 22, enfrentou a lotação na volta para a casa. “É muito cheio. Consigo pegar vazio no Brás. No Tatuapé eu teria que esperar muito mais”. A CPTM informou, sem especificar, que na Linha 12-Safira foram adicionados mais trens para suprir a demanda.

Ao fazer a transferência na estação Engenheiro Goulart da Linha 12-Safira, muitos usuários optam pelo desembarque na estação seguinte, a Tatuapé, mesma escolha que a equipe da Agência Mural fez. “Acho muito cansativa essas baldeações. Tento fazer o mínimo possível. Espero que o expresso saia logo”, afirmou Viviane Gonçalves, 26, moradora do bairro Inocoop, Guarulhos.

O destino final da reportagem foi a estação Vila Olímpia, da Linha 9-Esmeralda, após seguir até a estação da Luz via Linha 11-Coral, pegar a linha amarela do Metrô e depois fazer a transferência na Estação Pinheiros. O tempo total do percurso foi de 1h42, cruzando a catraca da estação às 8h15.

Image

Ligação direta com a Luz deve ser feita no fim do ano, diz CPTM (Thalita Monte Santo/Agência Mural)

Segundo a CPTM, somente em agosto o serviço Airport-Express estará disponível com viagens diretas (sem paradas) entre as estações Aeroporto-Guarulhos e Luz. O percurso levará cerca de 35 minutos e os trens vão partir em quatro horários programados nos dois sentidos. O valor cobrado será R$ 8.

Em julho, porém, deve começar o serviço Connect, que terá viagens entre as estações Brás e Aeroporto-Guarulhos nos horários de pico. Nele, o trem irá parar em todas as estações para embarque e desembarque e o valor da tarifa custará R$ 4.

RECLAMAÇÕES

Outro ponto criticado pelos usuários é a demora entre a saída dos trens, que partem a cada meia hora. Sobre o tema, a CPTM informou que até o fim deste mês, a previsão é que o intervalo seja de 20 minutos nos horários de maior demanda. Os intervalos serão reduzidos gradativamente, de acordo com o aumento de usuários.

Já o agente de segurança do aeroporto Márcio Gonçalves, 44, morador do Pq. Cecap, bairro próximo à estação, viu mais facilidade para chegar ao trabalho. “É mais perto agora do que pegar ônibus, que às vezes vinha muito cheio. Como eu pego o contra fluxo, não tenho o que reclamar”.

Jordan Mello, correspondente de Guarulhos
[email protected]

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.