• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Grande SP chega a 46 mil casos de Covid-19 e confirma ‘previsão alarmista’

Mais uma cidade registra óbitos por conta da doença que tem casos em todos os municípios; em março, um áudio falava em 45 mil casos na região metropolitana

Em 12 de março, um áudio vazado do cardiologista Fábio Jatene causou polêmica. Na época, ele dizia que ao menos 45 mil pessoas seriam infectadas pelo novo coronavírus só na Grande São Paulo. Houve reações a fala do especialista e quem minimizasse os impactos da Covid-19. Infelizmente, ao menos em parte a previsão estava certa.

Nesta quinta-feira (14), a região metropolitana ultrapassou os 46 mil casos de Covid-19, fora o número de pacientes que ainda aguardam resultado de exames ou que seguem apenas em isolamento sem ter feito os testes.

Da última semana para cá foram 9 mil novas confirmações de exames e uma alta de 21% de pessoas que foram infectadas. Em 13 de abril, pouco mais de um mês atrás, as 39 cidades contavam com 8.000 casos. 

O número de mortes também tem avançado e chegou a 3.890. Destas, são 2.602 só em São Paulo. Na sequência aparece Osasco, única cidade a superar as 200 perdas, além da capital. A nível de comparação, ao longo dos 12 meses de 2009, o estado de São Paulo registrou 2.778 casos do tipo. Em dois meses, a Covid-19 matou superou essa marca.

Desde o começo da pandemia, a Agência Mural começou a informar os dados de cada cidade, informados por prefeituras e consórcios intermunicipais diariamente. A contabilização tem mostrado diferença para a atualização do governo do estado. 

CIDADES COM MAIS CASOS

Proporcionalmente, quatro cidades ultrapassaram a marca de 20 perdas para cada 100 mil habitantes. Além de São Paulo, Osasco, Barueri e Caieiras vivem situação ainda mais grave.

A doença também se espalhou por toda a Grande São Paulo. Além de todos os municípios terem casos confirmados, praticamente todas também já registraram mortes. Apenas em Pirapora do Bom Jesus não há vítimas segundo a prefeitura, embora um caso esteja em investigação desde 23 de abril.

Nesta quinta-feira (14), dois óbitos foram confirmados em Biritiba Mirim, cidade do Alto Tietê a 70 km da capital, que tem menos de 20 mil moradores.

“Não trago boas notícias, tivemos dois casos confirmados de óbitos por covid-19, ambos do sexo masculino, um de 52 e outro de 97 anos”, disse o prefeito Walter Tajiri. 

Os dois pacientes estavam internados em Mogi das Cruzes, município mais populoso da região. Com a confirmação, o prefeito de Biritiba voltou atrás na ideia de liberar celebrações nas igrejas da cidade.  

“Ontem havíamos decretado a permissão dos cultos religiosos e por conta de todos esses acontecimentos, hoje revogamos esse decreto. Novas medidas em combate ao coronavírus serão adotadas em breve”, ressaltou.

A medida que o número de casos vem aumentando, as cidades têm buscado reforçar o pedido para que os moradores que puderem fiquem em casa e cumpram o isolamento.

A questão da quarentena tem tido resistência em boa parte da Grande São Paulo. É o caso da região norte, onde houve quase mil casos da Covid-19 e 103 óbitos por conta da Covid-19.

O governo do estado prorrogou o período até o final do mês de maio, para tentar aumentar o número de leitos. Algumas cidades vêm anunciando o aumento da capacidade.

Em São Bernardo do Campo, por exemplo, foram inaugurados mais 250 leitos na quinta-feira (25) para tratamento da Covid-19.

Infográficos: Fellipe Sales

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários