APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Hospital da Brasilândia: sonho de 20 anos ficará para próxima gestão

O Hospital da Brasilândia faz parte das 123 metas do Programa de Metas da Prefeitura de São Paulo 2013 - 2016

Image

Por: Redação

Publicado em 18.07.2016 | 14:30 | Alterado em 18.07.2016 | 14:30

Tempo de leitura: 3 min(s)

Um sonho vem tomando forma em um canteiro de obras no Jardim Maristela, zona norte da capital. Trata-se do Hospital Municipal da Brasilândia, reivindicado por 20 anos pelos moradores da região e que está sendo construído no local.

Fundações e alicerces já foram concluídos, segundo a Siurb (Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras). Os blocos A, B e C (dois pavimentos) do equipamento estão em andamento, e o Bloco D (dois pavimentos) aguarda a conclusão de desapropriações. Com previsão de entrega no primeiro semestre de 2017, o equipamento contará com 250 leitos e deve beneficiar 410 mil pessoas.

“Um hospital aqui sempre foi um desejo da população e uma promessa de campanha. Chegou um momento que ninguém acreditava que fosse acontecer, por isso, ele representa o sonho e a luta histórica de 20 anos dos movimentos sociais e da população”, diz Ana Sueli Ferreira, 50, moradora e militante de movimentos da região.

O Hospital da Brasilândia faz parte das 123 metas do Programa de Metas da Prefeitura de São Paulo 2013 – 2016. A unidade está contemplada na meta 22 do programa: “obter terrenos, projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir três novos hospitais, ampliando em 750 o número de leitos do sistema municipal de saúde”.

Os outros dois são o Hospital Municipal Vila Santa Catarina, entregue em dezembro de 2015, e o Hospital de Parelheiros, também em obras. Ambos são na zona sul.

A construção na Brasilândia tem previsão de conclusão no primeiro semestre de 2017. Esse prazo, que acaba saindo do programa do atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), é uma preocupação da população.

“Quem vai assumir a nova gestão tem que tocar esse projeto para que não fique parado como aconteceu com outras obras ao mudar o prefeito”, observa Noemia de Oliveira Mendonça, 56, aposentada e integrante do conselho gestor de ZEIS (Zona Especial de Interesse Social) na região.

O atraso na entrega da unidade é justificado pelo prefeito por conta de um impasse com o governo estadual, que está construindo a futura linha 6 – Laranja do Metrô nas proximidades.

“Descobrimos que o Metrô, apesar do terreno ser municipal, estava contando com a área para fazer o terreno da estação Brasilândia; nós poderíamos ter dito não, mas não seria justo. O que nós fizemos: atrasamos seis meses para refazer o projeto, deslocamos a área do hospital para deixar a área para uma futura estação do metrô”, disse Haddad, durante uma visita à região dentro do programa “Prefeitura no Bairro”, em maio deste ano.

De acordo o Observatório Cidadão, da Rede Nossa São Paulo, a subprefeitura da Freguesia do Ó/Brasilândia apresenta um dos piores números de leitos hospitalares da cidade. Em 2015, a região contabilizou 198 leitos hospitalares para uma população de 407.314 habitantes.

Seguindo a proporção de leitos hospitalares públicos e privados por mil habitantes, chegamos à média de 0,48 leitos, um valor considerado abaixo da média de referência que é de 2,5 a 3 para mil habitantes.

Dentro da série histórica de 2005 a 2015, esse valor nunca foi alcançado. No ranking com a classificação das 32 subprefeituras, no ano passado, ela alcançou a 27ª posição. Ficando acima apenas das regiões do Campo Limpo (com a média de 0,36 leitos) e de Perus, Parelheiros, Cidade Ademar e Cidade Tiradentes que não possuem leitos.

Para a autônoma Maria do Carmo, 52, moradora do Jardim Eliza Maria, um dos bairros do distrito da Brasilândia, aumentar o número de leitos é importante, mas a questão da localização também poderia ter sido repensada. O hospital ficará na estrada do Sabão com a avenida Michihisa Murata, a aproximadamente 1,5 km do Hospital Geral de Vila Penteado, de gestão estadual.

ESTRUTURA

A unidade de saúde terá no total 42 mil metros quadrados de área construída, com a estrutura dividida da seguinte forma: os blocos A e B, com oito e dez pavimentos, respectivamente, abrigarão atividades administrativas e hospitalares, como espaços para internação, centro cirúrgico e diagnóstico e hospital-dia. O bloco C, com dois pavimentos, receberá o pronto-socorro, e o bloco D, também com dois pavimentos, abrigará áreas técnicas como a central de geradores, equipamentos de refrigeração, reservatórios, resíduos, ar condicionado, gás medicinal e subestação.

Segundo a prefeitura, o Hospital da Brasilândia oferecerá pronto-socorro adulto e pediátrico com quatro salas de emergência, 39 leitos de observação e 40 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A população terá atendimento em clínica médica, clínica cirúrgica, anestesistas, ortopedia, ginecologia, neonatologistas, ambulatório adulto e pediátrico, além de centro cirúrgico, três salas de obstetrícia, centro de diagnóstico e salas de emergência.

O novo hospital terá aquecimento solar como complemento do aquecimento central e armazenamento de água de reuso para as descargas e conservação dos jardins. O projeto prevê ainda aproveitamento de iluminação natural, com janelas amplas. No total, o novo hospital recebe investimentos de R$ 209,4 milhões e deverá aumentar a quantidade de leitos hospitalares da região em 125%.

*Foto: Cleber Arruda

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.