• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Morre Niko, repórter das lives do futebol de várzea de São Paulo

Conhecido na zona leste pelo trabalho nos campos de Ermelino Matarazzo, ele sofreu uma parada respiratória e não resistiu na madrugada desta sexta-feira (4)

Quem frequenta as principais competições esportivas da várzea de São Paulo lembra  bem do repórter das lives. Com um microfone conectado ao celular, Carlos Pires, 49, o Niko, era uma marca registrada nos campos e quadras esportivas da zona leste e nas cidades da Grande São Paulo. Transmitia tudo em sua página no Facebook, a Niko Fut.

No entanto, essa atuação agora fica apenas na memória de jogadores, torcedores e pessoas que acompanham o futebol amador da capital.

Na madrugada desta sexta-feira (4), o morador da Vila Cisper não resistiu a uma parada respiratória. Niko estava internado desde terça feira (1º) no hospital Ermelino Matarazzo, na zona leste de São Paulo, por causa de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) que condenou em 90% das funções cerebrais.

“A favela perdeu um pilar imprescindível e a nova geração vai crescer sem um dos seus grandes mestres”, afirma Sidnei Cândido Ferreira, 54, diretor da Associação Cultural Poder Negro e amigo de infância de Niko.

“Pessoas como o Niko são únicas e dificilmente se encontra homem de bom coração que dedicou uma vida ao futebol varzeano. Esta perda afeta a todas instituições do futebol de São Paulo, porque ele não media esforços para divulgar o que ele mais amava”, afirma Alexandre Martins, 46, diretor do Jardim Verônia Esporte Clube, time da região.

Durante a Pandemia do Covid-19, Niko promoveu arrecadações de alimentos e produtos de higiene pessoal no seu bairroReprodução/Facebook

A paixão pelo esporte de várzea fez com que Niko se tornasse também líder comunitário na região. Movido por esse amor, criou vários projetos sociais como a Taça Mais Verde, um torneio em parceria com a subprefeitura de Ermelino Matarazzo para conscientizar os jovens da importância em valorizar o meio ambiente. 

“Nesse campeonato, os atletas e suas comunidades plantaram cerca de 200 árvores na região e colaboraram com a coleta e reciclagem de garrafas de vidro”, conta Sidnei. 

Todo o esforço para promover o futebol de várzea de qualidade gerou frutos. Alguns jogadores se tornaram profissionais e chegaram até às categorias de base da seleção brasileira. São os casos de Emerson Royal, lateral-direito, hoje emprestado ao Betis da Espanha.  E Vinicius Tobias, 16, lateral, do Internacional.

Niko era também diretor do XI Garotos de Ermelino Matarazzo e ajudou a montar times no distrito. Em 2019, foi o responsável por juntar 13 favelas da zona leste e montar a seleção do Jardim Verônia para disputar a primeira edição da Taça das Favelas.

Nico na cobertura da Taça das Favelas. Ele participou da montagem de um time da região de ErmelinoReprodução/Facebook

Neste ano, com a suspensão dos campeonatos devido a pandemia do Covid-19, ele entrou em campo para jogar com a solidariedade. 

Promoveu ações para arrecadar alimentos e produtos de higiene pessoal para ajudar os moradores do bairro Jardim Verônia e região próxima. 

A paixão pelo futebol amador era aplicada no jornalismo esportivo. Há três anos, criou projetos para fortalecer a imprensa do futebol de várzea. Na internet, com a TV Favela Brasil e a página Niko Esportes recebia vários representantes de times amadores para resenhar sobre os torneios da região. 

Nas redes sociais, jogadores, representantes de times, ligas esportivas, organizações de campeonatos e colegas de trabalho prestaram condolências a Niko.

“Partilhamos aqui a tristeza da perca de um dos grandes colaboradores do futebol varzeano de Diadema […] nosso agradecimento e nossa admiração pela pessoa e pelo profissional que você representa”, publicou a Liga de Futebol Amador de Diadema.

“A Cufa (Central Única das Favelas) é uma grande apoiadora e entusiasta do jornalismo comunitário, que Niko desenvolvia com tanto amor”, postou a Cufa, organizadora da Taça das Favelas.

Solteiro e natural de São Paulo, Niko deixa duas filhas e dois netos. Ele foi sepultado nesta sexta-feira (4) no cemitério Vila Formosa, na zona leste.

Rubens Rodrigues

Jornalista e correspondente de Embu Guaçu desde 2015. Apaixonado pelo jornalismo e por futebol de várzea.

Embu Guaçu

Comentários