APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
32xSP

Mudança na coleta de lixo revolta moradores da zona norte

Diretor do Conseg Vila Maria denuncia retirada do adicional noturno dos coletores como motivo da mudança; empresa nega

Image

Por: Redação

Publicado em 08.11.2018 | 12:57 | Alterado em 08.11.2018 | 12:57

Tempo de leitura: 5 min(s)
Image

Sob sol forte, coletores retiram os sacos de lixos das vias (Divulgação)

Um hábito de 40 anos na região da subprefeitura de Vila Maria/ Vila Guilherme, na zona norte, foi quebrado no mês de setembro e tem gerado reclamações dos moradores. A coleta de lixo, tradicionalmente realizada às segundas, quartas e sextas-feiras, no período noturno, mudou para as terças, quintas e sábados, durante o dia.

Após a implantação da medida, uma enxurrada de críticas negativas tomou as redes sociais, o movimento cresceu e hoje circula um abaixo-assinado reivindicando a volta da coleta à noite.

A posição mais contundente é a de Beto Freire, 38, diretor do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) Vila Maria. Para ele, a intenção da concessionária Loga, responsável pelo trabalho, é “economizar em cima do salário dos coletores”. Freire argumenta que a mudança implica na perda do adicional noturno dos trabalhadores.

“Não há outra justificativa para a medida, senão o interesse econômico. Os moradores são os clientes da empresa, não foram ouvidos, e dizem não à mudança”
Beto Freire, diretor do Conseg Vila Maria

Outros motivos da insatisfação popular são o descumprimento do horário estabelecido, divulgação falha, acúmulo de sacos de lixo nas vias e o impacto no trânsito durante o horário de pico da manhã.

Image

Segundo moradores, a concessionária Loga, responsável pelo trabalho, não cumpre o horário de coleta estabelecido (Divulgação)

A corretora de imóveis Shirley Carille, 46, mora na região e é contra a mudança. Para ela, a concessionária Loga, responsável pelo trabalho, não cumpre o horário estabelecido.

“Avisaram pelo carro de som que a coleta seria a partir das 7 horas, mas isso não acontece. As pessoas colocam os sacos, saem para o trabalho e o lixo fica no sol por muito tempo. Sei de casos em que o caminhão passou quase às 18 horas”
Shirley Carille, corretora de imóveis

O analista financeiro Rubens Lopes, 40, lançou a ideia do abaixo-assinado e conta que quase 30 pontos comerciais recolhem as assinaturas para envio à AMLURB – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana. Ele comenta que, na rua em que reside, o caminhão passa logo cedo para recolher o lixo, mas em outras vias vizinhas a coleta acontece só depois das três e meia da tarde. “Não há controle sobre esse trabalho”, diz.

Lopes também destaca o impacto da mudança na saúde dos trabalhadores da coleta e no transito da região. “No período diurno, o trabalho é desgastante, sob temperatura elevada e com maior circulação de carros”, alerta.

LEIA TAMBÉM
– Lixo, lazer e cultura: os grandes desafios na Vila Maria/ Vila Guilherme
– Distritos da zona norte têm 30 pontos irregulares de entulho para cada ecoponto

O jornaleiro Gilberto Pedro, 69, fez questão de participar do abaixo-assinado. Ele abre sua banca na Vila Guilherme bem cedo e diz que o caminhão não tem hora certa para passar. “Já cheguei a ver coleta, tanto às sete da manhã, como à uma hora da tarde. Como entender isso?”, pergunta.

Image

Gilberto Pedro não concorda com a mudança feita pela prefeitura (Sidney Pereira/32xSP)

Sem saber a hora exata de retirada, os moradores se defrontam com duas situações distintas. Quem não coloca o lixo logo cedo e perde a coleta, só terá o material recolhido dois dias depois. Por outro lado, outros cumprem o horário, mas o caminhão da empresa não é pontual.

Nos dois cenários, os sacos de lixo ficam expostos ao sol, exalam mau cheiro e muitas vezes são carregados pela água da chuva, aumentando o risco de entupir bueiros e causar alagamentos. Outras pessoas, com receio de não ter o material recolhido pela manhã, continuam a colocar os sacos de lixo à noite. A reportagem constatou essa situação na avenida Conceição, uma das principais da região.

Image

Na avenida Conceição, uma das principais da região, moradores colocam o lixo à noite para não perderem a coleta do dia seguinte (Sidney Pereira/32xSP)

SEM DIÁLOGO

Em resposta ao 32xSP, a concessionária Loga nega que a decisão tenha sido econômica. A empresa justifica que as alterações foram feitas “para equilibrar a jornada de trabalho de todas as equipes, equalizando o peso coletado e o número de viagens dos veículos”.

Tudo foi feito “de forma planejada para causar o menor transtorno possível, em função da reurbanização dos bairros e das dificuldades relacionadas ao trânsito dos caminhões”, alega. Dois mil trabalhadores da empresa fazem a coleta de lixo em 23 mil vias no centro e nas zonas norte e oeste.

A concessionária não respondeu se promoveu pesquisa ou discussão prévia da medida com os moradores, mas afirma que o remanejamento da frequência de coleta será feito, em outras subprefeituras, sempre que houver necessidade e com aprovação da AMLURB.

Além de Vila Maria/ Vila Guilherme, duas outras regiões passam por alterações: Jaçanã/ Tremembé, também na zona norte, e Penha, na zona leste. Para saber a frequência e o horário de coleta em sua rua, clique aqui.

32xSP também consultou o SIEMACO, sindicato que representa os direitos dos profissionais do setor, sobre os efeitos da medida. A entidade disse “lamentar o ocorrido” e indica que a população procure a prefeitura para explicar a alteração. O sindicato também informou que está acompanhando o caso “para que nenhum coletor seja prejudicado pelas mudanças”.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Enviada pela Loga – Logística Ambiental de São Paulo no dia 14 de novembro:

“Com relação à reportagem “Da noite para o dia: mudança na coleta de lixo revolta moradores da Zona Norte”, publicada no portal 32xSP, em 8 de novembro, a Loga – Logística Ambiental de São Paulo reforça que todas as vias que tiveram o horário de coleta alterado receberam, entre os dias 13/09 e 30/09, panfletos com os novos períodos e frequências, seguindo assim o planejamento acordado com a Amlurb – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana.

A comunicação, feita também porta a porta, via site, rede social e divulgação sonora com veículo e caixa de som nos domingos que antecederam a mudança, foi realizada no intuito de causar o menor transtorno possível aos moradores e ocorreu, sobretudo, em função da reurbanização dos bairros e das dificuldades relacionadas ao trânsito dos caminhões de coleta.

As alterações não tiveram como objetivo qualquer tipo de economia em relação ao adicional noturno pago às equipes, a operação da Loga é equilibrada em função da frota de caminhões e o mesmo número de equipes que passou a trabalhar do turno noturno para o diurno passou também do turno diurno para o noturno.

Melhorar a qualidade dos serviços prestados em determinadas ruas do município foi, desde o início, o principal objetivo da empresa. A implantação, dentro desse propósito, ocorreu nos dias 20/9, 27/9 e 4/10, logo após a finalização do trabalho de conscientização e panfletagem, para evitar ao máximo qualquer desconforto para os moradores que tiveram a coleta alterada em suas ruas.

Em virtude das mudanças, a Loga pede a colaboração dos munícipes para colocar os resíduos no devido lugar nas calçadas, conforme orientação por turno. Os horários serão gradativamente atualizados no site: http://www.loga.com.br/ e podem ser consultados pelo 0800 770 1111. Devido ao período de adaptação aos novos horários, pede-se que seja considerada uma margem de tolerância de até duas horas em relação aos períodos estipulados.”

Reportagem atualizada em 14 de novembro, às 11h43.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.