MURAL 6 ANOS: Momentos marcantes da saga de cobrir e falar da quebrada

De artigo traduzido pro Financial Times a viagens pra gringa, contamos histórias que marcaram nossa trajetória

Evento de Lançamento da Agência Mural de Jornalismo das Periferias na Ação Educativa com participação especial dos Poetas Ambulantes. Foto — Jéssica Silva/Agência Mural

Neste terceiro dia dos festejos do Mural, apresentamos casos, causas e curiosidades ao longo dos nossos seis anos de labuta.

Na lista tem os posts que saíram do blog direto para a seção Tendências/Debates da Folha de S. Paulo e até para o Financial Times, outras histórias engraçadas e outras bastante tristes, e até mesmo nossas viagens para a gringa. Confira!

1º) “De repente, classe C”, o post que saiu do Mural, foi parar no Tendências & Debates da Folha e desembarcou até no Financial Times

“Sou ex-pobre. Todos querem me vender geladeira agora. O trem ainda quebra todo dia, o bairro alaga. Mas na TV até trocaram um jornalista para me agradar”. O texto publicado em junho de 2011 pelo muralista Leandro Machado fez tanto sucesso que logo figurou as páginas da seção Tendências/Debates da Folha de S. Paulo:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Na época, Machado foi até convidado a participar do #SMWSP (Social Media Week São Paulo), que abordou a desinformação sobre classe C na internet:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

E nem acreditou quando viu que foi comentado e traduzido até pro Financial Times:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

2º) Sem falar da publicação “Nós, Mulheres da Periferia” que virou até coletivo

“Sempre escutamos frases como “ela é formada, mas não na USP” ou “ela é ótima, mas mora longe”, mas o tempo ensina a não ter vergonha da periferia”.

Em março de 2012, algumas muralistas publicaram o texto “Nós, Mulheres da Periferia” na seção Tendências/Debates da Folha, chamando atenção para a invisibilidade e aos direitos não atendidos de uma parte das mulheres, aquelas que moram nos bairros periféricos.

Foi um sucesso! Tanto que quatro que assinaram o artigo e outras três muralistas integram o coletivo, que completa três anos de existência.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Conheça o trampo do coletivo no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

3º) E para fechar a seção artigo, o mais recente texto-reposta à futura-primeira da cidade de SP, que havia comparado Etiópia a Paraisópolis

“Ela provavelmente avalia que em ambos os lugares só há pessoas que precisam de ​ ‘ajuda’, desdentadas, à espera de um patrão gente-boa que possa dar-lhes, literalmente, um novo sorriso”.

O correspondente de Paraisópolis Vagner de Alencar fez “textão”, publicado no nosso Medium, em resposta à entrevista concedida por Bia Dória à Folha de S. Paulo. A publicação repercutiu nas redes sociais e foi republicada pelo BrasilPost.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

4º) Saudades! Uma história com começo e meio sensacionais, mas com o fim muito triste

Apenas seis meses separaram o primeiro do último post de Vagner de Alencar sobre Douglas Ribeiro, 19. Estudante de Turismo na USP e morador de Paraisópolis, o jovem estudava os impactos do turismo nas favelas. E sobre isso foi a primeira história contada no Mural, em maio de 2014:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Três meses depois, Douglas e sua amiga Leidiane Silveira criaram uma vaquinha online para arrecadar grana. Ele, para viajar aos EUA, onde iria apresentar seus artigos; ela para estudar em Coimbra, depois de ter sido aprovada com a nota do Enem na universidade portuguesa:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Em novembro do mesmo ano, Douglas havia conseguido o financiamento coletivo, mas, em seguida, uma triste história: Douglas se afogou na piscina no hotel do qual estava hospedado nos EUA. Alencar foi o primeiro a contar sobre a tragédia.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Na mesma semana, a a notícia que não desejaríamos jamais ter publicado: Douglas havia morrido.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

5º) Embarcando apenas nas boas lembranças de Douglas, a gente fala também das nossas viagens… até mesmo pra gringa!

A Agência Mural esteve no Rio de Janeiro para acompanhar os últimos dias da Paralímpiada a convite do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016. Priscila Pacheco, correspondente do Grajaú, foi nossa representante:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Ao lado de startups latino-americanas de jornalismo, a Agência Mural foi convidada a participar do evento no Media Party, em agosto deste ano, em Buenos Aires, na Argentina. Jéssica Costa, nossa correspondente de Taipas, estava lá para nos prestigiar:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Dois anos antes, no entanto, foi a vez do Mural embarcar para Porto, em Portugal. Em terras portuguesas, participamos do IV Congresso Internacional de Ciberjornalismo, em dezembro de 2014. Vagner de Alencar viajou, depois de uma “vaquinha” conquistada pelos leitores do Mural, para apresentar o artigo sobre os três anos de atuação do Mural, escrito em parceria com a correspondente de Artur Alvim Lívia Lima.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

6º) De volta às paulistanas e periféricas, não podemos deixar de mostrar histórias engraçadas, homenagens e até mesmo nossas utilissíssimas listas:

Tamiris Gomes, de Poá, mostrou que existe até estatuto que instituiu o dia do rock no município

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

Teve post das nossas muralistas no Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha para homenagear algumas guerreiras negras periféricas inspiradoras:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

E aqui uma lista que organizamos para enfrentar o trem lotado do dia a dia:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml

 

Comentários