Mural participa de debate com estudantes da Universidade Anhembi Morumbi

As jornalistas Cíntia Gomes, da Agência Mural,  Paloma Vasconcelos, da Ponte Jornalismo e  o cientista social Lucas Martins, da rede Jornalistas Livres, participaram na quarta-feira (10), do debate “Jornalismo independente ou alternativo: como sobreviver e fazer a diferença”.

O encontro foi realizado na Universidade Anhembi Morumbi, no campus Paulista I. Os convidados partilharam suas experiências no jornalismo independente.

Receba nossa newsletter!

As jornalistas Cíntia Gomes, da Agência Mural,  Paloma Vasconcelos, da Ponte Jornalismo e  o cientista social Lucas Martins, da rede Jornalistas Livres (Lucas Veloso/Agência Mural)

A primeira a falar com os estudantes foi a ex-aluna de Jornalismo da Anhembi, Cíntia Gomes, correspondente da Agência Mural desde 2010 e atualmente também editora de comunicação.

“O projeto surgiu com a necessidade de mostrar o que acontece nas periferias, um tipo de cobertura ignorado pelos veículos tradicionais. Os muralistas, como são chamados os correspondentes de cada comunidade, criam suas matérias a partir do que vivenciam em seu dia a dia”, explica.

Para falar sobre a Ponte Jornalismo, que atua na área de Segurança Pública e Direitos Humanos, Paloma Vasconcelos é repórter nas temáticas LGBTQ+ e gênero.

Ela contou sobre o seu TCC, um livro-reportagem intitulado “Transresistência – histórias de pessoas trans no mercado formal de trabalho”, que a fez chegar até o veículo. “O foco desse jornalismo é não depender das fontes oficiais e mostrar o lado humano das notícias, e se tornou referência nesse meio”, conta.

Já sobre a rede Jornalistas Livres, Lucas conta que surgiu durante as manifestações de 2015. “Com o apoio de ativistas e integrantes de coletivos, o site cresceu cobrindo eventos do mesmo tipo, sempre com o objetivo de ser um contraponto às mídias tradicionais e restaurar a confiança no jornalismo a partir do combate ao desrespeito dos direitos humanos e sociais”.

Comentários