• Texto sobre algum tema específico em que há um posicionamento do autor com base em dados e na própria vivência do muralista.
    Opinião

Opinião: Prefeitura deve informar melhor sobre Covid-19 nas periferias

Há 11 dias pedimos detalhamento sobre quantos casos e quantas mortes ocorreram nas periferias de São Paulo, mas gestão libera apenas dados parciais

Sou Lucas Veloso, moro em Guaianases, no extremo leste de São Paulo. Com mais de 200 mil moradores, meu bairro sofre com diversas negligências, como falta de equipamentos culturais, e de saúde. Nos últimos dias, a ausência de informações têm sido mais uma. 

Como jornalista, há cinco anos escrevo na Agência Mural sobre o cotidiano do meu bairro. Nas últimas semanas, a pandemia do novo coronavírus nos pegou de surpresa. Eu vivo de informação, dos moradores, pesquisadores e também do poder público, como a Prefeitura de São Paulo, mas nas últimas semanas isso tem sido negado. 

Para produzir matérias e pautas sobre o vírus que está no centro da cidade, e que já tem chegado com mais intensidade nas periferias. No dia 9, pedi dados de Covid-19 confirmados na cidade, divididos por distritos, à prefeitura da capital, mas não fui respondido. 

Aliás, em 20 de março, mandei um e-mail solicitando as unidades de saúde em que os exames poderiam ser feitos, e também não fui atendido como deveria. “Olha no site”.

Neste momento, em que autoridades médicas pedem isolamento social e indicam medidas de higiene e proteção, as pessoas das periferias sofrem com a obrigação de ir trabalhar (para não perder o emprego), com a dificuldade de isolamento em casas pequenas e a falta de álcool gel para se proteger ainda mais. 

Somado a isso, faltam dados do poder público, que deveria priorizar essas informações já que é a periferia quem mais vai sofrer com os danos da Covid-19, seja pelo número de moradores ou por falta de serviços básicos como água e de saneamento básico.

Região de Cidade Tiradentes registrou 22 vítimas por Covid-19Humberto Muller/Agência Mural

Conversando com alguns colegas, eles também relataram dificuldades em acessar os dados, como é o caso da Paloma Vasconcelos, jornalista da Ponte Jornalismo, ou de Ronaldo Matos, da zona sul, criador do portal Desenrola e Não me Enrola. “A secretaria de saúde está negando acesso aos dados da pandemia. Tentei por duas vezes e não tive sucesso”, disse.

Sem responder aos veículos, a prefeitura divulgou durante a semana dois mapas nas redes sociais sobre os casos na cidade por região. Cada um informava uma coisa diferente. Um dizia o número de mortes por subprefeitura, o outro o número de óbitos e óbitos suspeitos em um mapa. 

Porém, não discriminava quantos são as mortes confirmadas e quantos são as suspeitas.  

No final da semana, foi publicado o segundo boletim mais detalhado sobre a situação da cidade. Novamente, os mapas disponíveis não discriminam número de mortes suspeitas e de confirmadas. Não considera as populações de cada região. 

Esses dados parciais causam sensações duvidosas. Alguns bairros dos extremos da capital, por exemplo, chegaram a imaginar que estão em ‘situação mais tranquila’, com poucos casos, mas a gestão não coloca que eles também fazem parte da subprefeituras menos populosas. Nem compara o número de casos para termos ideia da letalidade.

A gestão assusta ao dizer que o vírus provocou 28 mortes aqui em Guaianases, mas nega qual o caminho que o vírus está percorrendo e, assim, conscientizar os moradores sobre como contribuir para frear o avanço da Covid-19. Pedimos a planilha com esses dados do mapa. Também sem resposta. Sigo contando quantos dias vou dormir sem ser respondido. 

Segundo uma pesquisa Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo, TVs e jornais lideram confiança do público sobre coronavírus. Nos sites de notícia, 38% declararam que confiam. 

Esses números indicam que a informação pode ser uma das armas contra a pandemia. Uma população bem informada vai lidar melhor com a crise, mas parece que o governo municipal ainda não se atentou a isso. 

Na Mural, estamos dedicados a cobrir os impactos da pandemia nos bairros que nós moramos. Aliás, criamos o ‘Em quarentena’, um podcast para reforçar a cobertura. Tudo para não faltar informação.

Afinal, ter dados precisos nos ajuda a combater a desinformação que está circulando diariamente pela cidade. A gestão municipal, infelizmente, parece não se importar com isso. 

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Guaianases, São Paulo

Comentários