• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Paulistanos querem prefeito que conheça os problemas da cidade, aponta pesquisa

Além de conhecer os problemas da cidade, ter visão de futuro foram as qualidades mais citadas para vereadores e prefeitos; moradores das periferias apontam o que consideram fundamental

Morador do Jardim Paulistano, na zona sul, o ator André Vidal, 27, acha que o prefeito de São Paulo, e os vereadores, devem ter comprometimento com a população da cidade. 

A avaliação dele é parecida com boa parte dos paulistanos, que apontam que conhecer os problemas locais é mais importante do que outros aspectos como ideologia. 

É o que mostra pesquisa realizada pelo Ibope publicada nas últimas semanas e que avalia o perfil que os paulistanos buscam em candidatos que disputarão as eleições municipais em outubro de 2020. 

O instituto saiu às ruas com duas perguntas: “Na sua opinião, quais destas características uma (a) prefeito (a) deve ter?” e “Na sua opinião, quais destas características um (a) vereador (a) deve ter?”. 

Conhecer bem os problemas da cidade (63%) e ter visão de futuro (55%) são as principais características que um prefeito deve ter, segundo os moradores da cidadeLéu Britto/Agência Mural

Conhecer bem os problemas da cidade (63%) e ter visão de futuro (55%) são as principais características que um prefeito deve ter, segundo os moradores ouvidos no levantamento. Por outro lado, aspectos que tiveram grande peso nas eleições de 2016 e 2018, como ‘ser novo na política’ foram as menos citadas pela população. Apenas 7% disseram ser importante ser de um partido com o qual a pessoa se identifica. 

Ao falar dos problemas locais, Vidal cita que o transporte público e os hospitais deveriam ser prioridades nas gestões municipais, pois são os serviços mais deficitários. “Percebo que as pessoas mais pobres da cidade enfrentam grandes dificuldades nos atendimentos dos serviços”, afirma.

Transporte público e saúde são as prioridades para os vereadores, segundo o ator André VidalLucas Veloso/Agência Mural

Para a bancária Yara Xavier Santana, 25, moradora de Guaianases, zona leste da capital, o prefeito e os vereadores precisam  estar dispostos a fazer o melhor à sociedade, sobretudo na periferia, onde vive a maioria das pessoas da cidade. “Desenvolver projetos em prol dos moradores, melhorar escolas e postos de saúde são algumas coisas que eles poderiam se envolver mais”, cita.

A pesquisa, realizada a pedido da Rede Nossa São Paulo, ouviu 800 pessoas em toda cidade. O estudo faz parte da série “Viver em São Paulo” deste ano. O levantamento mostra diversos fatores sobre a percepção da qualidade de vida dos paulistanos, tanto baseado em características pessoais, como infraestrutura, e a confiança nas instituições.

Yara Santana, de Guaianases, acha que o prefeito deveria priorizar saúde e educação nas periferiasLucas Veloso/Agência Mural

No caso dos vereadores, conhecer bem os problemas da cidade (49%) e ter visão de futuro (43%) também foram as qualidades mais citadas entre os paulistanos. Enquanto isso, ‘ser novo na política’ e ter uma religião foram os aspectos menos relevantes.

Para o cientista político e professor titular da Unesp (Universidade Estadual Paulista) Marco Aurélio Nogueira, a pesquisa mostra que os paulistanos votam em quem lhes oferecem melhores perspectivas.

“Em eleições municipais funciona menos o critério ideológico ou partidário, ainda que ele não seja desprezível”, diz. Máquinas eleitorais partidárias podem influenciar o voto, alcançar os eleitores mais desatentos ou mais engajados, mas o que decide mesmo é a oferta em termos de melhoria urbana”, completa o especialista. 

Ele afirma que o critério dominante é sempre o de obter algo para que a vida flua com mais qualidade ou com mais vantagens. 

PAULISTANO NA POLÍTICA

Ainda de acordo com o levantamento, 57% da população não participa da vida política da cidade. A participação é mais frequente entre aqueles com maior escolaridade, de maior renda familiar e das classes A e B.

Marco Aurélio comenta que o paulistano sabe o que faz o prefeito e sabe o que pode esperar dele. Além disso, quer que ele seja um gestor da cidade e não aprecia alguém que faz da prefeitura um trampolim para buscar outros cargos. 

“Creio que a média da população conhece as funções do prefeito, seus limites e suas possibilidades. Já não se passa o mesmo com os vereadores, uma figura ainda mal assimilada pelos cidadãos”, observa. 

Para ele, o clima de descrença na política, que cresceu muito nos últimos anos, ajuda a que o legislativo municipal seja mais mal visto e menos tolerado do que o executivo. “A própria Câmara da cidade não faz muito esforço para melhorar sua imagem na população”, aponta.

Neste sentido, a pesquisa mostrou que 91% dos paulistanos seguem não participam de atividades na Câmara Municipal. 

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Guaianases, São Paulo

Comentários