APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Praça é inaugurada em subprefeitura com menor índice de verde por pessoa

A praça comunitária Lígia Maria Salgado Nóbrega, na Cidade Ademar, zona sul da cidade, tem seis mil metros quadrados, 3.800 m² de área gramada, academia de ginástica e recebeu o plantio de 67 árvores

Image

Por: Redação

Publicado em 10.08.2016 | 15:21 | Alterado em 10.08.2016 | 15:21

Tempo de leitura: 3 min(s)

Construída sobre um piscinão modelado para retenção de cheias, a recém-inaugurada praça comunitária Lígia Maria Salgado Nóbrega, na Cidade Ademar, zona sul da cidade, tem seis mil metros quadrados, 3.800 m² de área gramada, academia de ginástica e recebeu também o plantio de 67 árvores.

Uma realidade ainda distante para o restante do bairro, que faz parte da subprefeitura de mesmo nome.

Image

Crédito: Vagner Vital

Com aproximadamente 30,7 km² de área verde e aproximadamente 421 mil moradores, a subprefeitura Cidade Ademar, que atende os distritos Cidade Ademar e Pedreira, está entre as que possuem menor índice de área verde por pessoa, conforme dados do Observatório Cidadão.

Quem mora na região desfruta de apenas 0,7 m² de área verde, número bem abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que sugere 12 m² por pessoa. Em comparação com subprefeitura vizinha, Jabaquara, o número sobe para 4,6 m², no entanto também está abaixo do recomendado.

Esse cálculo envolve tanto áreas para uso de lazer e contemplação, como parques urbanos, praças e Unidades de Conservação de Proteção Integral, aquelas de uso restrito, apenas para pesquisas, o que deixa a situação ainda mais grave.

Conforme pesquisa mais recente do IRBEM (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município), em uma escala de 1 a 10, quando perguntados qual o nível de satisfação com quantidade de áreas verdes na cidade, os moradores da zona sul, onde está localizada a subprefeitura, deram nota 4,5.

No quesito “proximidade a parques e áreas verdes”, apenas 9% dos moradores deram nota entre 9 e 10, enquanto na zona oeste, região que abriga as subprefeituras do Butantã e  de Pinheiros, o índice é de 12%.

Com pouca alternativa, a praça comunitária Lígia Maria Salgado Nóbrega, construída sobre o piscinão RCO – 02, registra movimento intenso aos finais de semana.

“Não temos muitas opções por aqui, ou viemos para cá ou para o Parque Nabuco”, diz Joyce Lima, 22, em referência ao parque que está a quatro quadras da praça e é administrado pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

A auxiliar de limpeza, mãe de três filhos – Júlia, de 3 meses, Laura, de 2 anos, e Maria, de 5 anos – tira os dias livres para levar as filhas para brincar na praça. “Aqui [em Cidade Ademar] falta muita coisa. Essa praça é boa, mas não tem outras como ela, então fica lotada. Em duas semanas já levaram um brinquedo porque estava quebrado”, completa.

A ausência de banheiros e bebedouros foi outra reclamação recorrente ouvida pela reportagem. “Quem veio de longe tem que gastar dinheiro para ir ao banheiro e beber água, se não tiver trazido a garrafa de casa”, diz Pâmela Anjos, 23, mãe de Isabeli, de 6 anos.

Não é a primeira vez que se implanta praças em cima de piscinões na cidade de São Paulo. Segundo a SIURB (Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras), responsável pelas obras do piscinão e da praça comunitária, o mesmo ocorreu com a Praça Charles Muller, que foi reconstruída exatamente como era antes da execução de um piscinão no local, na década de 90.

O modelo também está previsto em outras partes da cidade, como no fechamento do piscinão do córrego Paciência, na zona norte.

Outra praça nos mesmos moldes deverá ser entregue até o fim deste ano na Cidade Ademar, agora, em cima do piscinão RCO – 03, que já está em fase de execução do paisagismo, conforme adiantou o órgão.

Segundo a Subprefeitura da Cidade Ademar, responsável pela manutenção da praça, há outros vinte equipamentos esportivos e de lazer distribuídos na região, mas não confirma novos investimentos para este ano.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.