APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Subprefeitura de Perus tem o maior número de casos de agressão a idosos em SP

Também afastados do centro da cidade, São Miguel Paulista, Sapopemba, Guaianases, Cidade Tirantes e Itaim Paulista são outros cinco distritos com o maior número de ocorrências

Image

Por: Redação

Publicado em 16.09.2016 | 19:27 | Alterado em 16.09.2016 | 19:27

Tempo de leitura: 2 min(s)

Entre lágrimas, o aposentado José Maria do Souza, 67, morador de Perus, na zona norte da capital, conta sobre os abusos de agressão e extorsão do filho de 21 anos. “Ele se separou da esposa e foi para minha casa. Já quebrou o microondas e até me agrediu.”

“Ele não paga luz, aluguel, nada. Chega o fim do mês, o dinheiro acaba e precisa pedir ajuda para os meninos amigos. Outros idosos me ajudam. Sem eles eu não sei como sobreviveria”, lamenta.

A história de Souza vai em direção aos dados divulgados pelo Mapa da Desigualdade, que mostra que Perus assume a primeira posição no ranking de subprefeituras com maior número de casos de agressão a idosos.

Apenas no distrito, que leva o mesmo nome da subprefeitura, foram contabilizadas 12 ocorrências em 2015 — o que corresponde a 11,74 para cada 10 mil moradores, segundo levantamento.

Na região vivem 10.244 mil moradores, com 60 anos ou mais, conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 2012, havia sido registrado somente um caso. No ano seguinte, foram 11, enquanto o pico ocorreu em 2014, com 16 agressões.

Também afastados do centro da cidade, São Miguel Paulista, Sapopemba, Guaianases, Cidade Tirantes e Itaim Paulista são os outros seis distritos com o maior número de ocorrências. No Itaim Paulista (zona leste) o índice é 8,83, enquanto em Parelheiros (sul) é de 8,19.

Na contramão desses números estão as subprefeituras de Santo Amaro e Vila Mariana, ambas na zona sul, que não registraram nenhuma agressão.

Segundo a Pesquisa Irbem 2016, o nível de satisfação da qualidade de vida em São Paulo não vai nada bem para as pessoas da terceira idade. A nota média dada na área “terceira idade” foi de apenas 4 pontos — numa escala de até 10. O número é inferior aos últimos dois anos, de 4,4.

Partindo para aspectos específicos como atividades culturais, esportivas e recreativas para a terceira idade, a redução da satisfação caiu de 4,8 para 4,6 em 2015. O atendimento especializado, de 4,5 para 4,1, assim como os cursos para idosos.

Já a avaliação relacionada ao respeito e oportunidades de trabalho para terceira idade sofreram as maiores quedas de avaliação, saltando de 4,3 para 3,8 e 3,9 para 3,3, respectivamente.

Foto: Emília Silberstein/ Flickr

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.