APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Três distritos formam a subprefeitura de Aricanduva/ Vila Formosa

Aricanduva é o mais ‘largado’ dos três reclamam moradores que sofrem com enchentes na região

Image

Por: Redação

Publicado em 10.01.2017 | 13:30 | Alterado em 10.01.2017 | 13:30

Tempo de leitura: 3 min(s)

A goiana Maria Lúcia Gomes, 53, resolveu se “bandear” do centro da capital paulista para viver no Carrão, na zona leste da capital. “Aqui vivem mais aposentados”, salienta a dona de um pequeno restaurante, bem próximo ao metrô e terminal Vila Carrão.

Dos cinco anos que está no bairro, há um ano e meio ela administra o estabelecimento, que divide espaço com vários outros pontos comerciais. A disputa, porém, não a preocupa.

“O comércio está bem aqui”, diz Maria Lucia, que trabalha exatamente em frente ao futuro CEU Carrão, que está com as obras interrompidas. “Antes o pessoal que trabalhava na construção vinha almoçar aqui, agora não mais”, lamenta.

O Carrão é um dos três distritos que compõem a Subprefeitura de Aricanduva/Formosa, onde vivem 267 mil pessoas. Os distritos que a compõe contém basicamente a mesma média populacional. Vila Formosa é a com o maior número de habitantes (95 mil); enquanto Aricanduva conta com 89 mil e Carrão 84 mil.

Localizada na zona leste, a subprefeitura está razoavelmente próxima ao centro da cidade, o que a torna mais “valorizada” do que as de Itaquera, Guaianazes e Cidade Tiradentes, que estão nos rincões do município. A Vila Formosa, por exemplo, está situada a cerca de 9,5 km, em linha reta, do marco zero, no centro da cidade.

De origem tupi, a palavra “aricanduva” significa “sítio de plantas aíris”, uma espécie de palma. Aricanduva surgiu entre 1902 e 1905, porém seu desenvolvimento se deu apenas em 1950.

Já o Carrão que, no passado, era recoberto por plantações agrícolas, foi, aos poucos, ganhando ares de progresso com o ascendente comércio. Atualmente, o distrito está na lista de empreendimentos imobiliários “cinco estrelas” na zona leste.

Uma curiosidade que une o trio é a data de aniversário. Vila Carrão comemora aniversário no terceiro domingo de setembro, Vila Formosa no segundo domingo de outubro e Aricanduva no segundo domingo de novembro.

LEIA MAIS:
Aricanduva diminui mortes no trânsito, mas vê aumentar acidentes de carro

Image

Avenida Aricanduva tem cerca de 12 quilômetros (Diego Silvestre/ Flickr)

DISTINÇÕES SOCIAIS ENTRE OS DISTRITOS

Para a sobrinha de Maria Lucia, Roberta Camargo, 33, a mobilidade é uma das vantagens de se morar na região. “Para quem não possui carro o transporte é muito prático”, diz a moradora da Vila Formosa.

De acordo com a Secretaria das Subprefeituras, por estar mais situada ao leste da cidade, Vila Formosa é uma espécie de “rival” do Tatuapé, que pertence à Prefeitura Regional da Mooca — uma das regiões mais valorizadas da “ZL” ao apresentar indicadores sociais semelhantes aos das regiões mais desenvolvidas do município.

A Vila Formosa é um dos locais mais arborizadas da zona leste. Possui quase 80 praças e a verticalização nela ocorreu a níveis como de outros lugares.

Segundo Roberta, Aricanduva é o distrito mais destoante.  “O Aricanduva é mais largado. Tem muito alagamento. As escolas e os postos de saúde têm tratamento pior. É como se fosse final da subprefeitura e eles largam de mão”, comenta.

LEIA MAIS:
Moradores se tornam conselheiros no Aricanduva para cobrar fim de alagamentos

Esses contrastes podem ser observados no panorama do Observatório Cidadão. O levantamento mostra que no quesito cultura, por exemplo, Aricanduva é o que menos tem equipamentos e centros culturais.

Vila Formosa, assim como os vizinhos, não tem museu. No entanto, lidera em relação às demais ofertas, como salas de cinema, centros de cultura e acervo de livros. O tempo média de vida é bastante distinto entre o trio: Aricanduva (68,91), Vila Formosa (71,87), e Carrão (72,9). Todos eles tiveram ligeiro aumento de 2014 para 2015.

VEJA TAMBÉM:
Quantidade de equipamentos esportivos cai em Aricanduva/ Vila Formosa

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.