APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
32xSP

A busca por uma vaga em creche na Vila Andrade, que pode chegar a 260 dias

Fila de espera para atendimento no distrito da zona sul é a maior de SP; veja como anda o processo de algumas mães na busca por vagas para os filhos

Image

Por: Redação

Publicado em 14.11.2019 | 14:15 | Alterado em 14.11.2019 | 14:15

Tempo de leitura: 3 min(s)

Em toda a cidade de São Paulo, cerca de 75 mil crianças com idades entre zero e três anos estão na fila de espera por vagas em creches municipais. O tempo médio para conseguir uma matrícula é de três meses e meio (106 dias), considerando o intervalo entre a data de solicitação e o encaminhamento para uma vaga.

Alguns distritos da capital paulista, entretanto, apresentam um tempo de espera maior. No topo do ranking está a Vila Andrade, na zona sul, que mais registrou demora para o atendimento – cerca de 260 dias (confira mapa abaixo).

Os dados são da Secretaria Municipal de Educação (SME), referentes ao ano de 2018, e estão reunidos no Mapa da Desigualdade 2019, divulgado neste mês pela Rede Nossa São Paulo.

Moradora de Paraisópolis, bairro da Vila Andrade, a atendente Gabrielle Rocha, 22, esperou um ano e meio para conseguir uma vaga para o filho David. “Eu só consegui a vaga dele porque tive a atitude de ir até a Defensoria Pública [do Estado de São Paulo] para agilizar o processo de espera”, conta.

LEIA MAIS
Atraso em obras deixa 500 crianças sem creches na Cidade Ademar

Em pouco tempo, David já tinha idade para sair da creche e ser matriculado na Emei (Escola Municipal de Educação Infantil). Com isso, seu nome foi novamente para a fila de espera. A demora no processo fez com que Gabrielle custeasse uma escola particular para ter onde deixar o filho – que hoje está com cinco anos de idade.

“Na época, eu estava procurando emprego, então o fato do meu filho não estar na creche atrapalhava um pouco. Tinha sempre que procurar alguém para ficar com ele para eu poder ir a uma entrevista, por exemplo”
Gabrielle Rocha, moradora de Paraisópolis

Quem atualmente aguarda na fila de espera da creche é a Rovervânia Pereira, mãe da Dalila, de um ano e quatro meses de idade. Ela conseguiu atendimento preferencial para a filha, que tem síndrome de down, após cinco meses aguardando. Contudo, teve que abrir mão da vaga devido a distância até a creche.

“Eu coloquei o nome dela em uma creche próxima da minha casa e só fui saber que não era a que eu escolhi quando a vaga saiu”, conta Rovervânia, que também mora em Paraisópolis.

Quando uma vaga é recusada, o nome da criança volta para o final da fila. Segundo informações da Prefeitura, dos 75,2 mil nomes na fila de espera, 4.189 pais/mães buscam por uma vaga em uma unidade específica.

“Ela só ficou três meses matriculada porque eu estou desempregada e não tenho condições financeiras de levar minha filha até lá”, explica.

“A gente tinha que pegar uma lotação e, no horário da manhã, é muito cheio. Nos dias de chuva eu tinha que levá-la com a mochila e um guarda-chuva, então era muito difícil”
Rovervânia Pereira, moradora de Paraisópolis

VEJA AINDA
‘Educação também é feita pelo esporte’, diz morador da Vila Andrade

Ela conta que agora está tentando novamente uma vaga para Dalila, mas dessa vez na unidade mais próxima de casa.

A Prefeitura de São Paulo promete criar 32,6 mil vagas em creches municipais até o fim do ano que vem. De janeiro de 2017 até o fim de setembro deste ano, 52,8 mil vagas foram geradas pela gestão do ex-prefeito João Doria e de seu vice – e atual prefeito – Bruno Covas (PSDB).

OUTROS DISTRITOS

Além da Vila Andrade, os outros quatro distritos que mais registram maior tempo de espera também ficam na zona sul da cidade: Pedreira (255 dias), Morumbi (244), Cidade Ademar (233) e Itaim Bibi (221).

Na zona leste, a situação é oposta. O distrito de Guaianases registrou o menor intervalo para uma matrícula ao longo de 2018 — 18 dias. O número também é pequeno nos distritos vizinhos: Lajeado e Cidade Tiradentes (ambos com 23 dias) e José Bonifácio e Vila Curuçá (com 41 dias cada um).

Investir em educação de qualidade é a solução para diminuir violência em SP

Com colaboração de Henrique Cardoso.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.