APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Vila Maria/ Vila Guilherme tem um hospital público para 300 mil moradores

Os distritos da Vila Guilherme, com nenhum leito hospitalar, e da Vila Medeiros, com cinco, estão entre os mais desassistidos de São Paulo nesse quesito

Image

Por: Redação

Publicado em 07.03.2017 | 13:47 | Alterado em 07.03.2017 | 13:47

Tempo de leitura: 2 min(s)

Véspera de Carnaval. Enquanto os paulistanos se preparavam para aproveitar o feriado, o hospital José Storopolli, mais conhecido como “Vermelhinho”, no Parque Novo Mundo, estava lotado.  Para os casos de emergência, esse centro médico e o pronto-socorro Vila Maria Baixa formam a pequena rede de saúde pública na prefeitura regional Vila Maria/Vila Guilherme. No total, a região tem apenas 538 leitos para uma população de 300 mil habitantes, já incluindo o hospital particular Nipo-Brasileiro, que informou “não atender pacientes do SUS ou encaminhados pela rede municipal”.

Os distritos da Vila Guilherme, com nenhum leito, e da Vila Medeiros, com cinco, estão entre os mais desassistidos de São Paulo nesse quesito, conforme o último levantamento do Observatório Cidadão, que avalia a proporção de leitos hospitalares públicos e privados disponíveis por mil habitantes.

Na UBS Vila Medeiros, a reportagem do 32xSP conversou com a dona de casa Caroline Oliveira, 25. Sob sol forte, ela aguardava atendimento do pediatra para a pequena Lorrany, de 2 anos. Ela conta que também já precisou se deslocar até o único hospital público da região. “Cheguei na UBS com dores no peito, e fiz um ecocardiograma”, diz. Como o resultado foi considerado normal, a dona de casa foi orientada a procurar um hospital, se o problema continuasse. “Sem outra opção, peguei uma perua e fui ao Vermelhinho. Fiz um monte de exames e voltei para fazer outros depois”, revela.

Em localização estratégica, ao lado da marginal Tietê e das vias Dutra e Ayrton Senna, o hospital José Storopolli tem 184  leitos, e recebe pacientes de outras regiões da cidade, o que aumenta o tempo de espera nos atendimentos.

Um exemplo é a dona de casa Maria Josefa Silva, 67, moradora da Jova Rural, na prefeitura regional do Jaçanã/ Tremembé, cerca de 10 quilômetros dali. “É muito longe de casa, levei quase uma hora pra chegar aqui. No hospital Mandaqui [estadual] tem muita gente. Aqui é mais longe, mas tem todo tipo de médico”, diz.   A distância foi ainda mais complicada para o seu marido, o aposentado por invalidez Osvaldo Silva, 64. Cardíaco e com fortes dores nas costas, após “carregar uma pia pesada”, ele vai passar por nova consulta, desta vez com o ortopedista, e diz que, “apesar de longe” vai seguir o tratamento ali mesmo.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os números de atendimentos mensais no hospital são expressivos. Vinte mil pessoas passam pelo pronto-socorro e 50 mil exames são realizados. A média de cirurgias é de 600 e a quantidade de partos chega a 180.

Questionada sobre a abertura de unidades hospitalares na região, a secretaria citou o Hospital Brasilândia, a mais de 20 quilômetros de distância, cujas “obras serão retomadas o mais breve possível, para ampliar a oferta de vagas”. O órgão destaca que na rede municipal “nenhum paciente fica sem atendimento, todos os casos são avaliados e os casos mais graves e urgentes são priorizados”.

Foto: Sidney Pereira

receba o melhor da mural no seu e-mail

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.

Nenhum campo encontrado.