Confira o tamanho dos vãos de todas as estações da CPTM; recorde é de 46 cm

Levantamento da Agência Mural mostra o tamanho da distância de todas as estações da CPTM na Grande São Paulo

Vãos de até 46 centímetros estão espalhados pelas estações de trem da Grande São Paulo (Foto: Cleber Arruda/Agência Mural)

Andar pelas estações de trem em São Paulo exige superar algumas barreiras. Além de enfrentar a lotação nos horários de pico e as filas para compra das passagens, a entrada em cada carro se torna um ato de coragem por conta da distância entre o trem e a plataforma em várias partes da Grande São Paulo.

Receba nossa newsletter!

A Agência Mural fez um levantamento e mediu todos os espaços em 91 estações da CPTM. O resultado é o relato de vítimas que caíram no vão e problemas de acessibilidade. Confira a reportagem “Com vãos até 4 vezes maiores do que o ideal, CPTM tem mil quedas em 1 ano”, produzida pela Agência Mural no jornal Folha de S. Paulo.

Os dados também mostram estações em curva e o fato de que a grande maioria das plataformas varia em cada sentido de uma mesma estação. Abaixo, você pode conferir as medidas de todas as estações e as características de cada local. E, claro, cuidado com o vão.


Linha 7 — rubi: Com plataformas em curva, a linha rubi apresenta uma curiosa característica: o vão é o que tem maior variação. Em Francisco Morato, na Grande São Paulo, por exemplo, a distância vai de 15 cm a 30 cm num mesmo espaço. Foram medidas as distâncias nos carros centrais dos trens, o que levou a estação de Perus, na capital, a ter 7 cm em um trecho, mas com espaços maiores para quem pegasse o trem em outro ponto.

Distância do vão entre o trem e as plataformas nos sentidos em centímetros:


Linha 8 — diamante: A linha que liga o centro de São Paulo a cidade de Itapevi tem dois trechos em que o vão se torna mais delicado. Um deles está na estação de Osasco, uma das mais movimentadas da CPTM. O recorde da diamante, porém, está em Barueri, na estação Antônio João, que dá acesso a um shopping center e a unidades de ensino.


Linha 9– esmeralda: Responsável por ligar o Grajaú, na zona sul da capital, a zona oeste, a linha esmeralda apresenta a segunda menor média na distância do vão entre o trem e a plataforma, com 16,7 cm, levando em conta os dois sentidos. Os trechos maiores estão nas estações Presidente Altino e Osasco, na Grande São Paulo.


Linha 10 — turquesa: Única linha que chega ao ABC paulista, a turquesa tem seu pior vão na última estação, em Rio Grande da Serra, onde os usuários superam 34 cm para chegar ao trem. Em Santo André, a estação Prefeito Saladino, chega a 28 cm.


Linha 11- coral: Trecho mais movimentado da CPTM e que liga a capital à região de Mogi das Cruzes, a linha coral é a que tem a menor média de distância entre os vãos (são 15 cm). O problema, porém, está no fato de que várias estações possuem desnível entre o trem e a plataforma. Ela é a recordista em quedas com 530 apenas no ano passado. A distância mais delicada fica por conta do terminal Estudantes, com 28 cm.


Linha 12 – safira: Recordista em média com a maior distância entre o trem e a plataforma, a linha safira faz o trajeto pela zona leste da cidade e liga municípios da Grande São Paulo como Poá e Itaquaquecetuba. A região registrou o maior vão entre as 91 estações verificadas em Aracaré, com 46 cm.

Distâncias entre o trem e a plataforma em todas as estações

Por Paulo Talarico, Jéssica Moreira, Karina Oliveira, Lucas Landin, Lucas Veloso, Priscila Pacheco e Tamiris Gomes.

Comentários