• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Confira oito dicas para manter açougues, padarias e mercados longe do coronavírus

Microbiologista fala sobre cuidados para quem segue na ativa durante a quarentena para evitar o avanço do coronavírus

Com a quarentena por conta do coronavírus, apenas comércios de serviços essenciais têm autorização para ficar abertos. Mas quais os cuidados para quem segue na ativa para evitar proliferação da doença?

A Agência Mural conversou com o microbiologista Sidcley Silva de Lyra sobre essa situação. Além dos cuidados que todos devem tomar, como lavar as mãos e não tocar nariz, boca e olhos, ele enfatizou algumas informações importantes nessa situação como o cuidado com os produtos. 

Também enfatiza a necessidade que esses estabelecimentos contem com álcool em gel 70% para o uso dos funcionários, assim como materiais de limpeza.  

“Em comércios de alimento, essas medidas tem que ter a atenção triplicada para evitar ser um foco de contaminação”, aponta.

Crédito: Paulo Talarico/Agência MuralEntrada controlada em açougue de Osasco, na Grande São Paulo

“O coronavírus pode resistir em diferentes superfícies por horas ou dias, dependendo do material. Melhor que saber quanto tempo ele resiste em cada material, é saber como eliminar o vírus”, explica. 

“É essencial que os empregadores dispensem funcionários que apresentem algum tipo de sintomas do coronavírus para não infectar os outros funcionários e clientes, ajudando na sustentação da pandemia”.

Confira abaixo oito cuidados importantes para supermercados, açougues, padarias, sacolões que seguem em funcionamento:

A primeira indicação para os comerciantes é não ter contato físico entre funcionários e clientes. 

O coronavírus se transmite por gotículas de saliva e podem ser transmitidas por apertos de mão e abraços. Por isso a importância de lavar bem as mãos. 

Limpar as superfícies e objetos com álcool 70% ou solução clorada (desinfetantes, água sanitária, lisol, lysoform e outros), que é mais barato e mais fácil de encontrar.

O ideal é limpar as bancadas, balcões, mesas e chão dos comércios assim como os objetos mais utilizados pelos funcionários e clientes, como máquina de cartão, bandejas de comida, maçanetas de portas, corrimãos, carrinhos e cestas de compras, teclados, celulares, torneiras e descargas de banheiro.

Lavar as mãos com sabão ou utilize álcool 70% após manusear notas, moedas e cartão de crédito.

Caso seja possível, incentivar o uso de pagamento por aproximação disponível em algumas máquinas de cartão. Mas sabemos que essa não é a realidade de muitos comerciantes.

É indicado que os funcionários não utilizem adornos como anéis, pulseiras e relógios pois dificultam a limpeza das mãos. Unhas também devem ser cortadas.

Para os clientes, é importante limpar bem todos os pacotes e embalagens de compras com álcool 70% ou água e sabão assim que chegar em casa. Os alimentos também devem ser higienizados

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Guaianases, São Paulo

Comentários