APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Com aplicativo com problemas e sem medição, conta de luz de morador da periferia de SP chega a dobrar

Moradores questionam sistema e apontam dificuldades para fazer o cadastro pelos aplicativos da operadora

Image

Por: Danielle Lobato

Notícia

Publicado em 13.05.2020 | 19:06 | Alterado em 13.05.2020 | 19:29

RESUMO

Moradores questionam sistema e apontam dificuldades para fazer o cadastro pelos aplicativos da operadora Enel. Por conta da Covid-19, houve mudanças

O aposentado José Pereira, 66, mora no Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo, e levou um susto quando chegou a fatura da conta de energia deste mês: R$ 300. O dobro do valor que pagou em abril. Sem TV na residência, por um problema técnico, os eletrodomésticos mais usados são a geladeira e o microondas. 

“Aqui, mora apenas eu e minha esposa. A televisão está quebrada faz quatro meses”, diz Pereira. “Devido o valor na conta de luz, usamos o tanque para lavar as roupas”. 

Não houve medição da conta. Por conta da epidemia do novo coronavírus, a Enel, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica em São Paulo, desobrigou as distribuidoras de enviarem funcionários para apurar o consumo de energia.

Para Pereira, houve erro no procedimento. Ele conta que a rotina dele e da esposa, Francileuda, não mudou. Ambos são aposentados e tem o costume de ficar em casa. “Somos do grupo de risco, não saímos. Também não somos ligados a essas coisas de tecnologia que essa juventude é. Não justifica o valor da que veio”.

Image

José Pereira relata dificuldade para uso do aplicativo para medição da conta de energia @Arquivo Pessoal

O aposentado entrou em contato com a empresa de energia. Sem resposta, recorreu ao  desconto da Tarifa Social benefício criado pelo Governo Federal que é um desconto ou gratuidade na conta de luz

Mas ainda há um entrave para receber o decréscimo. Embora tenha mais de 65 anos, ele precisa ser cadastrado no CadÚnico. O problema é que o CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) que realiza o cadastramento está com as portas fechadas por razão da Covid-19. 

“O atendimento tem sido através do 156, mas, por lá, não fazem esse procedimento. Para não ficar nessa enrolação decidi por pagar mesmo”, afirma Pereira. 

MUDANÇAS

Sem a medição realizada de porta em porta, a Enel criou um sistema em que os consumidores podem fazer a leitura do medidor e informar por meio de um aplicativo no celular. Em tese, quem realizar o procedimento terá cobrado o valor consumido no mês. Do contrário, será cobra a média de consumo dos últimos 12 meses.

O problema é que moradores têm relatado que os valores têm vindo acima da média. Outros relatam dificuldades para fazer o cadastro. “Não sei fazer, meu celular é daqueles antigos, pedi ajuda do meu filho para fazer essa auto-leitura”, afirma Pereira. 

Mesmo aqueles que têm acesso à tecnologia estão com dificuldades de enviar a foto da auto-leitura. Na página do aplicativo da Enel, as reclamações sobre o alto valor e o procedimento sem sucesso são inúmeras. 

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nos últimos quatro anos o valor da conta de luz superou a inflação em 28%. Somente neste ano o aumento acumulado da tarifa até dezembro deve chegar a 44%.

Quem também  teve aumento no valor da conta de luz foi o João Berto, 35, morador do Jardim Nélia, extremo leste de São Paulo. Ele tem uma empresa de conserto de ar condicionados e continua trabalhando normalmente. 

“A minha rotina não mudou continuo cumprindo os contratos nas empresas, principalmente, agora, que estão aproveitando para fazer limpeza nos aparelhos e instalar novos”, diz Berto. 

VEJA TAMBÉM:
Saiba quem pode pedir gratuidade na conta de energia elétrica
Favelas ‘invisíveis’ vivem ainda mais problemas por conta da Covid-19

O microempresário mora sozinho em um apartamento CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e teve um aumento de 100% na fatura de luz. “O que mais me assustou no aumento foi que meus vizinhos que têm filhos e estão em casa tiveram uma cobrança parecida”, diz Berto. 

Sem corresponder aos pré-requisitos para obter a gratuidade da tarifa social, a única opção foi entrar em contato com a Enel. Ele conta que não teve sucesso. A orientação foi fazer a auto-leitura e encaminhar pelo aplicativo. 

“Sou mais um para a estatística. O aplicativo trava, não carrega a foto, bem complicado”, finaliza Berto. 

Em nota, a Enel, concessionária de energia responsável, disse que vai avaliar cada caso enviado. E que os clientes ainda devem entrar em contato para tirar dúvidas em relação ao consumo no telefone (0800-280-0120).

Danielle Lobato

Jornalista, sagitariana com ascendente em lanches. Mãe de pet, viajante e apaixonada pela vida. Correspondente de Itaim Paulista desde 2016.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para republ[email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.