APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Democratize-se!

Eleição em Taboão da Serra tem segundo turno pela primeira vez na história

Engenheiro Daniel e Aprigio decidem quem será o novo prefeito da cidade em 29 de novembro

Image

Por: Paulo Talarico

Notícia

Publicado em 16.11.2020 | 19:53 | Alterado em 19.11.2020 | 19:54

Tempo de leitura: 2 min(s)

A eleição em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, terá uma definição inédita este ano para definir quem será o novo prefeito. Pela primeira vez, o município terá um segundo turno, após votação equilibrada na primeira rodada de votação. 

A definição em dois turnos ocorre em municípios onde há mais de 200 mil eleitores e em que nenhum candidato alcance mais de 50% dos votos válidos na primeira votação. A regra começou a valer nas votações de 2000. Desde então, todas as disputas na cidade tiveram um prefeito com mais da metade dos votos válidos.

Neste ano, porém, isso não se repetiu. Taboão viveu um embate equilibrado entre o candidato Engenheiro Daniel (PSDB) e o deputado estadual Aprigio (Podemos). 

Image

Engenheiro Daniel é candidato apoiado pelo atual prefeito @Divulgação

Daniel é apoiado pelo atual prefeito Fernando Fernandes (PSDB), que encerra o segundo mandato consecutivo e o quarto na história de Taboão. Com apoio da gestão, o Engenheiro Daniel recebeu 33,42% dos votos, contra 32% de Aprigio. 

Aprigio foi eleito deputado estadual na última eleição e já disputou anteriormente a eleição municipal, mas nunca superou o grupo de Fernandes. A esposa dele, Luiza Aprigio, foi eleita vereadora. 

Na terceira posição, Doutor Eduardo Nóbrega (MDB) teve 22% dos votos e Najara Costa (PSOL) 6%. O município teve nove candidatos. 

Image

Deputado estadual, Aprigio (na esquerda) tenta primeira vitória para prefeitura @Divulgação

Curiosamente, Taboão da Serra correu risco de ter reduzido em quase 50 mil o número de eleitores, o que impediria duas votações. O motivo é que muitos eleitores não fizeram a biometria obrigatória no ano passado. 

No entanto, com a pandemia de Covid-19, a Justiça Eleitoral decidiu cancelar a obrigatoriedade para o município. 

Na Grande São Paulo, há 13 cidades com possibilidade de duas rodadas, mas Barueri, Carapicuíba, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e Suzano elegeram seus prefeito neste domingo (15). 

Ainda terão disputa, além de Mogi e Taboão, as cidades de Diadema, Guarulhos, Mauá e São Paulo.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Paulo Talarico

Editor-chefe e cofundador da Agência Mural, é formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em História pela Universidade de São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.