APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Image

Em 2022, passagem de ônibus aumenta em 13 cidades na Grande São Paulo

Itapecerica da Serra teve a maior alta, com reajuste em 20%. Diadema e São Bernardo passam a ter as tarifas mais altas da região metropolitana

Por: Jessica Bernardo

Notícia

Publicado em 07.01.2022 | 17:18 | Alterado em 20.04.2022 | 18:31

Tempo de leitura: 4 minutos

Treze prefeituras da região metropolitana de São Paulo anunciaram novos valores para as tarifas dos ônibus municipais. O maior reajuste até agora, 7 de janeiro, foi o de Itapecerica da Serra, onde o preço da passagem subiu 20%, saindo de R$ 3,75 para R$ 4,50.

Nas outras cidades os aumentos variam de 4% a 16% em relação ao que era cobrado em 2021, com regiões onde a tarifa ficou até R$ 0,60 mais cara que a da capital – ao menos 19 cobram tarifas maiores.

A Agência Mural procurou as prefeituras da Grande São Paulo e perguntou quais delas aumentariam o valor da passagem nos ônibus municipais.

No ABC Paulista, moradores de São Bernardo do Campo e Diadema já estão pagando as novas tarifas. Em São Bernardo, a prefeitura reajustou a passagem de R$ 4,75 para R$ 5,10. Em Diadema, a tarifa também subiu para R$ 5,10, mas apenas para pagamentos em dinheiro. Quem utiliza o Cartão SOU+ Diadema continua pagando o valor antigo do bilhete, R$ 4,25.

Cidades com aumento Valor antigo Valor novo Aumento em %
Itapecerica da Serra R$ 3,75 R$ 4,50 20,00%
Mauá* R$ 4,30 R$ 5,00 16,28%
Ferraz de Vasconcelos R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Poá R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Itaquaquecetuba R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Mogi das Cruzes R$ 4,50 R$ 5,00 11,11%
Suzano R$ 4,50 R$ 5,00 11,11%
Guarulhos** R$ 4,45 R$ 4,90 10,11%
Diadema* R$ 4,65 R$ 5,10 9,68%
São Bernardo R$ 4,75 R$ 5,10 7,37%
Francisco Morato R$ 4,60 R$ 4,90 6,52%
Caieiras R$ 4,80 R$ 5,00 4,17%
Franco da Rocha R$ 4,80 R$ 5,00 4,17%
*Nas passagens em dinheiro
**No Bilhete Único
Fonte: Levantamento da Agência Mural junto às prefeituras

Em Mauá, o reajuste de 16,28% para os pagamentos em dinheiro passa a valer a partir do dia 29 deste mês. Nesta data, a tarifa vai de R$ 4,30 para R$ 5,00. Já para quem utiliza o cartão SIM, a notícia é boa: a passagem terá redução de dez centavos, saindo dos atuais R$ 4,30 para R$ 4,20.

Entre as cidades do Alto Tietê, quatro confirmaram reajuste: Guarulhos, Suzano, Mogi das Cruzes e Poá. Em Guarulhos, a tarifa foi de R$ 4,45 para R$ 4,90 no Bilhete Único. Nos pagamentos em dinheiro o valor sobe para R$ 5,00, mesmo preço das passagens reajustadas em Suzano, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Poá. Os novos valores já estão em vigor.

Na região norte da Grande São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha e Ferraz de Vasconcelos também passaram a cobrar R$ 5,00 nas passagens. Em Francisco Morato, o valor foi de R$4,60 para R$ 4,90. O último reajuste da cidade tinha sido feito em 2019.

Ônibus de São Bernardo do Campo, no ABC, onde a tarifa passou para R$ 5,10 @Divulgação

Preço congelado

Em 16 cidades da região metropolitana o valor das tarifas continua o mesmo que em 2021. São elas: Arujá, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu das Artes, Osasco, Ribeirão Pires, Guararema, Itapevi, São Caetano, Santana de Parnaíba, Santo André, Rio Grande da Serra, Taboão da Serra e São Paulo.

Na capital paulista, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) pediu ajuda do governo federal para subsidiar a gratuidade de pessoas com mais de 65 anos e evitar um aumento na cobrança. Atualmente, a prefeitura gasta R$ 450 mil por ano para garantir a isenção para a população idosa da cidade. No total, os gastos com subsídios na cidade chegaram a R$ 3,3 bilhões em 2021, segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito.

Apesar de ainda não ter anunciado o reajuste, em novembro o emedebista já havia dito, em entrevista à Rádio CBN, que seria “muito difícil” manter a tarifa no mesmo patamar. Por causa da pandemia, o sistema de transporte teve uma queda no número de passageiros, o que também afetou as finanças da Prefeitura, segundo a gestão.

Cidades sem aumento Valor da tarifa
Arujá R$4,50
Barueri R$ 4,50
Cajamar R$4,60
Carapicuiba R$4,50
Cotia R$ 4,50
Embu das artes R$ 4,00
Osasco R$ 4,50
Ribeirão Pires R$ 4,40
Guararema R$ 4,50
Itapevi R$ 4,50
São Caetano R$ 4,50
Santo André R$ 4,75
Santana de Parnaíba R$ 4,50
Rio Grande da Serra R$ 4,20
Taboão da Serra R$4,30
São Paulo R$ 4,40
Fonte: Levantamento da Agência Mural junto às prefeituras

Além de São Paulo, outras cidades da região metropolitana também buscam recursos federais para financiar o transporte coletivo. Em Osasco, o prefeito Rogério Lins (Podemos) disse que o município continuará “na luta para que haja subsídio do governo federal para o diesel ou para as gratuidades”.

O Senado deve discutir nos próximos meses um projeto de lei que obriga o governo federal a custear a isenção no valor das passagens para os idosos. A gratuidade para as pessoas com mais de 65 anos é garantida por uma lei federal.

Em Taboão da Serra e Rio Grande da Serra, a decisão sobre aumentar ou não os valores ainda está sendo analisada pelas gestões. Em Vargem Grande Paulista e em São Lourenço da Serra a passagem é gratuita. As cidades de Pirapora do Bom Jesus e Salesópolis não têm ônibus municipais.

As prefeituras de Embu-Guaçu, Jandira, Juquitiba e Santa Isabel não responderam à reportagem até a publicação deste texto. A Agência Mural não conseguiu contato com as prefeituras de Biritiba-Mirim e Mairiporã.

Atualização: altas de abril

Na véspera do feriado de 21 de abril, mais quatro prefeituras aumentarm o valor da passagem, é o caso de Osasco, Barueri, Carapicuíba e Itapevi, onde o preço passou a R$ 5. Antes disso, entre janeiro e março, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra também tiveram reajustes, totalizando 19 municípios com novas tarifas.

Jessica Bernardo

Jornalista, cria de uma família de cearenses. Apaixonada por São Paulo, bolos e banhos de mar. Correspondente do Grajaú desde 2017.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.