APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Image

Em 2022, passagem de ônibus aumenta em 13 cidades na Grande São Paulo

Itapecerica da Serra teve a maior alta, com reajuste em 20%. Diadema e São Bernardo passam a ter as tarifas mais altas da região metropolitana

Notícia

Por: Jessica Bernardo

Publicado em 07.01.2022 | 17:18 | Alterado em 11.01.2022 | 19:01

Tempo de leitura: 3 minutos

Treze prefeituras da região metropolitana de São Paulo anunciaram novos valores para as tarifas dos ônibus municipais. O maior reajuste até agora foi o de Itapecerica da Serra, onde o preço da passagem subiu 20%, saindo de R$ 3,75 para R$ 4,50.

Nas outras cidades os aumentos variam de 4% a 16% em relação ao que era cobrado em 2021, com regiões onde a tarifa ficou até R$ 0,60 mais cara que a da capital – ao menos 19 cobram tarifas maiores.

A Agência Mural procurou as prefeituras da Grande São Paulo e perguntou quais delas aumentariam o valor da passagem nos ônibus municipais.

No ABC Paulista, moradores de São Bernardo do Campo e Diadema já estão pagando as novas tarifas. Em São Bernardo, a prefeitura reajustou a passagem de R$ 4,75 para R$ 5,10. Em Diadema, a tarifa também subiu para R$ 5,10, mas apenas para pagamentos em dinheiro. Quem utiliza o Cartão SOU+ Diadema continua pagando o valor antigo do bilhete, R$ 4,25.

Cidades com aumento Valor antigo Valor novo Aumento em %
Itapecerica da Serra R$ 3,75 R$ 4,50 20,00%
Mauá* R$ 4,30 R$ 5,00 16,28%
Ferraz de Vasconcelos R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Poá R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Itaquaquecetuba R$ 4,40 R$ 5,00 13,64%
Mogi das Cruzes R$ 4,50 R$ 5,00 11,11%
Suzano R$ 4,50 R$ 5,00 11,11%
Guarulhos** R$ 4,45 R$ 4,90 10,11%
Diadema* R$ 4,65 R$ 5,10 9,68%
São Bernardo R$ 4,75 R$ 5,10 7,37%
Francisco Morato R$ 4,60 R$ 4,90 6,52%
Caieiras R$ 4,80 R$ 5,00 4,17%
Franco da Rocha R$ 4,80 R$ 5,00 4,17%
*Nas passagens em dinheiro
**No Bilhete Único
Fonte: Levantamento da Agência Mural junto às prefeituras

Em Mauá, o reajuste de 16,28% para os pagamentos em dinheiro passa a valer a partir do dia 29 deste mês. Nesta data, a tarifa vai de R$ 4,30 para R$ 5,00. Já para quem utiliza o cartão SIM, a notícia é boa: a passagem terá redução de dez centavos, saindo dos atuais R$ 4,30 para R$ 4,20.

Entre as cidades do Alto Tietê, quatro confirmaram reajuste: Guarulhos, Suzano, Mogi das Cruzes e Poá. Em Guarulhos, a tarifa foi de R$ 4,45 para R$ 4,90 no Bilhete Único. Nos pagamentos em dinheiro o valor sobe para R$ 5,00, mesmo preço das passagens reajustadas em Suzano, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Poá. Os novos valores já estão em vigor.

Na região norte da Grande São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha e Ferraz de Vasconcelos também passaram a cobrar R$ 5,00 nas passagens. Em Francisco Morato, o valor foi de R$4,60 para R$ 4,90. O último reajuste da cidade tinha sido feito em 2019.

Ônibus de São Bernardo do Campo, no ABC, onde a tarifa passou para R$ 5,10 @Divulgação

Preço congelado

Em 16 cidades da região metropolitana o valor das tarifas continua o mesmo que em 2021. São elas: Arujá, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu das Artes, Osasco, Ribeirão Pires, Guararema, Itapevi, São Caetano, Santana de Parnaíba, Santo André, Rio Grande da Serra, Taboão da Serra e São Paulo.

Na capital paulista, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) pediu ajuda do governo federal para subsidiar a gratuidade de pessoas com mais de 65 anos e evitar um aumento na cobrança. Atualmente, a prefeitura gasta R$ 450 mil por ano para garantir a isenção para a população idosa da cidade. No total, os gastos com subsídios na cidade chegaram a R$ 3,3 bilhões em 2021, segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito.

Apesar de ainda não ter anunciado o reajuste, em novembro o emedebista já havia dito, em entrevista à Rádio CBN, que seria “muito difícil” manter a tarifa no mesmo patamar. Por causa da pandemia, o sistema de transporte teve uma queda no número de passageiros, o que também afetou as finanças da Prefeitura, segundo a gestão.

Cidades sem aumento Valor da tarifa
Arujá R$4,50
Barueri R$ 4,50
Cajamar R$4,60
Carapicuiba R$4,50
Cotia R$ 4,50
Embu das artes R$ 4,00
Osasco R$ 4,50
Ribeirão Pires R$ 4,40
Guararema R$ 4,50
Itapevi R$ 4,50
São Caetano R$ 4,50
Santo André R$ 4,75
Santana de Parnaíba R$ 4,50
Rio Grande da Serra R$ 4,20
Taboão da Serra R$4,30
São Paulo R$ 4,40
Fonte: Levantamento da Agência Mural junto às prefeituras

Além de São Paulo, outras cidades da região metropolitana também buscam recursos federais para financiar o transporte coletivo. Em Osasco, o prefeito Rogério Lins (Podemos) disse que o município continuará “na luta para que haja subsídio do governo federal para o diesel ou para as gratuidades”.

O Senado deve discutir nos próximos meses um projeto de lei que obriga o governo federal a custear a isenção no valor das passagens para os idosos. A gratuidade para as pessoas com mais de 65 anos é garantida por uma lei federal.

Em Taboão da Serra e Rio Grande da Serra, a decisão sobre aumentar ou não os valores ainda está sendo analisada pelas gestões. Em Vargem Grande Paulista e em São Lourenço da Serra a passagem é gratuita. As cidades de Pirapora do Bom Jesus e Salesópolis não têm ônibus municipais.

As prefeituras de Embu-Guaçu, Jandira, Juquitiba e Santa Isabel não responderam à reportagem até a publicação deste texto. A Agência Mural não conseguiu contato com as prefeituras de Biritiba-Mirim e Mairiporã.

Jessica Bernardo

Jornalista, cria de uma família de cearenses. Apaixonada por São Paulo, bolos e banhos de mar. Correspondente do Grajaú desde 2017.

Republique

Faça com que essa história chegue para mais pessoas.

Republique o nosso conteúdo gratuitamente.

Regras:

Os títulos podem ser modificados desde que não mude o contexto;

Os textos devem ser publicados como estão na versão original, sem edição ou cortes;

Todas as republicações devem dar crédito para a Agência Mural e também os créditos dos profissionais envolvidos em sua produção, conforme aparece na publicação original;

As fotografias e outras imagens/artes podem ser republicadas com os devidos créditos;

Os vídeos republicados não devem passar por nenhum tipo de edição, devem conter os créditos da Agência Mural; para transmissão na TV, é preciso enviar um pedido para contato@agenciamural.org.br.

Reportagens publicadas no site www.agenciamural.org.br não podem ser revendidas.

Se possível, os materiais republicados devem mencionar o perfil da Mural nas redes sociais.

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.