São Paulo é formada por várias periferias. Cada uma delas originada de uma forma diferente. Ao longo dos nove anos da Agência Mural, contamos algumas das histórias das quebradas da cidade e as lutas por trás da vida na borda da cidade. Veja algumas delas:

Antes do shopping

Aricanduva cresceu ao redor de lagoas na zona leste

Local com o maior centro de compras da América Latina já foi ponto de encontro por conta da quantidade de águas que havia na região

Relato

Jova Rural

Aline Kátia Melo

Jova Rural é um distrito que faz parte da subprefeitura Jaçanã Tremembé, na zona norte de São Paulo. Quando falo o nome dele, todo mundo pergunta: “O quê? Zona rural?”. Aí eu digo que o bairro próximo mais conhecido é o Jaçanã e a pessoa começa a cantar: “Moro em jaçanã se eu perder esse trem..." 

Esse diálogo já se repetiu várias vezes, com pessoas diferentes e algumas variações. Moro no bairro Jova Rural desde 1998. Nessa época, ainda não havia asfalto e a ligação de água e luz não era oficial. Felizmente, essas providências foram tomadas.

O bairro é uma antiga ocupação que cresceu muito, mas que ainda não possui escritura oficial. Antigamente, as ruas não tinham nome, tinham número.

Jova Rural não tem agências bancárias e bancas de jornais. A maior parte dos estabelecimentos são pequenos comércios: mercadinhos, lan houses, bares, igrejas e salões de cabeleireiro. Também temos pet shops e uma academia. Aos poucos, vão surgindo novidades como a Fábrica de Cultura do Jaçanã e a UBS Jova Rural.

O local tem poucas linhas de ônibus. Nos horários de pico da manhã, eles já saem cheios do ponto final. Há muita área verde não construída e a maior parte das moradias são prédios da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

Crônica

Por que SP é grande

Lívia Lima

Arranha céus, calçadões, MASP. Na Avenida Paulista tudo é grandeza. Banespa, Edifício Itália, Copan, Teatro Municipal. O centro de São Paulo tem memória viva e espaços encantadores. Ah, e a vida noturna! Augusta, Moema, Vila Madalena. São Paulo nunca dorme.

Quem nunca pensou nesses itens para descrever São Paulo? Esses são alguns dos principais motivos pelos quais seus 12 milhões de moradores teriam orgulho de pertencer à maior cidade do Brasil e da América do Sul.

As visões de São Paulo de quem vem de fora e de quem é da periferia são bem diferentes. E isso não é um problema. E geralmente essas pessoas desconhecem as realidades e, basicamente, os territórios periféricos da cidade. Mas eu sempre reflito quando alguém que apenas circula pelo eixo central e sudoeste da cidade diz que adora São Paulo, de qual São Paulo ele está se referindo afinal?

São Paulo só é imensa em território porque tem Grajaú, Parelheiros, Marsilac. Itaim Paulista, Guaianases, São Mateus. Perus, Pirituba, Brasilândia.

Se você nunca foi a nenhum desses lugares, procure conhecer. Temos problemas, como em qualquer região, mas temos também muita coisa boa!

Se você quer de fato conhecer a cidade, atravesse a ponte, e vivencie, de fato, o avesso do avesso do avesso.