Muralistas participam de ciclo de formação sobre direitos humanos

Entre março e novembro de 2018, correspondentes da Agência Mural participaram do ciclo de formações do projeto Usina de Valores, realizado na cidade de São Paulo.

O projeto realizou  conversas presenciais e produção de conteúdo on-line com o objetivo de disseminar valores essenciais à promoção de uma cultura de direitos humanos no país. Liderado pelo Instituto Vladimir Herzog, contou com apoio de uma rede de movimentos sociais, coletivos de comunicação periférica e organizações da sociedade civil.

Receba nossa newsletter!

Em São Paulo, a primeira atividade depois do lançamento oficial, em março, aconteceu no CDHEP – Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo, local que também foi escolhido para realização do ciclo de formações.

A roda de conversa abordou a “Cultura de direitos humanos vs. Discurso de ódio” e foi mediada pela jornalista Aline Rodrigues, do coletivo Periferia em Movimento, com a participação de Nayra Lays e Denise Alves, rappers e moradoras do Grajaú.

Roda de conversa realizada no CDHEP – Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo (Divulgação)

A correspondente do Capão Redondo, Gisele Alexandre, conta que entre as diversas reflexões, foi sobre as interações via redes digitais. “O uso das redes sociais foi um dos pontos mais lembrados, especialmente pelas convidadas, que utilizam a internet como principal meio de divulgação de seus trabalhos”, explica.O segundo encontro realizado em maio, foi sobre as “Armadilhas do Senso Comum: como escapar e aprofundar discussões”, ministrado pelo jornalista Pedro Borges, do coletivo Alma Preta.

A jornalista Caroline Pasternack, correspondente do Campo Limpo, diz que o palestrante citou nomes como Cesário Lombroso e Nina Rodrigues, apontados como os pioneiros nos estudos de criminologia e na criação de um “perfil físico do criminoso”, que logo foi associado à imagem do homem negro. Ele explicou que esses estereótipos reforçaram ainda mais os preconceitos e por anos foram aceitos, justamente por terem sido criados por estudiosos.

O jornalista também citou exemplos de outros pesquisadores que, ao contrário, criticavam essas classificações e foram, aos poucos, conseguindo desacreditar alguns conceitos.

A discussão foi encerrada com uma atividade em que os participantes tentaram desconstruir sensos comuns existentes.

2° encontro do clico de formações realizado em maio (Divulgação)


No mês de junho, o tema do encontro foi sobre “oportunidades de diálogo no conflito de valores”. O curso foi dado pelos palestrantes convidados Sabrina Paroli, psicóloga, mediadora em processos Justiça Restaurativa e o jornalista Tony Marlon.

A jornalista Kátia Flora, correspondente de São Bernardo do Campo, explica que o encontro proporcionou uma reflexão sobre medos, familiares, amigos,um exercício de escuta ativa para respeitar a fala do próximo e sobre uma ligação com o primeiro tema falando sobre direitos violados.

“Ambas dinâmicas foram para falar sobre o senso comum e a importância de respeitar o próximo e entender basicamente a necessidade do lugar de fala”, diz Katia.

Para falar sobre “Estratégia de comunicação offline e online para disseminar nossos valores”, o penúltimo encontro aconteceu em agosto e contou com a presença do fanzineiro Roger Beat Jesus, do Sarau Comics Editions, e da Jucilene Dias da empresa Bora lá Comunicação e Marketing.

E para encerrar o ciclo de formação, foi convidada Helena Silvestre, militante de ocupação da Luta Popular. Ela ministrou o curso sobre “A sustentabilidade pela causa”, que os valores são conhecimentos.  A correspondente da Brasilândia, Leticia Marques, diz que durante a palestra, Helena explicou que quando estamos enraizados sustentamos melhor nossas lutas e a sustentabilidade ocupa todos os espaços. E finalizou com a frase: “cada lugar é um espaço de ativismo”.

No mês de novembro o Instituto Vladimir Herzog, promoveu em Recife, o Encontro Nacional do Usina de Valores, e contou com a participação das correspondentes Kátia Flora (São Bernardo do Campo) e Gisele Alexandre (Capão Redondo).

0 thoughts on “Muralistas foram para Recife em Encontro Nacional do Usina de Valores”

  1. Que lindo Ana Beatriz!
    Nos olhos e na voz dessas crianças é que realmente está a nossa esperança de um país melhor.
    Pessoas inocentes que conseguem enxergar o que muitos ignoram.
    É a vida de verdade,o sorriso estampado,o brilho nos olhos que mal sabem o que ainda vai ter que enfrentar.
    Um super abraço de toda família Centro Comunitário do Embura.
    Felicidades linda.

  2. Um raio x dessas pequenas Almas, que acreditam e sonham em um país onde tudo parece estar pedido, surge através da pureza e simplicidade o nascer da esperança dentro desses pequenos gigantes.
    Ainda vale a pena sonhar!

  3. Uma linda crônica, repleta de alma e total conhecimento do cenário atual de nosso país.
    São palavras assim que nos inispiram à lutar por mais um dia.
    Parabéns!!!

  4. Parabéns. Sou testemunha do seu ganho de saúde física, emocional e psicológica. Pois a bicicleta proporcionou a conscientização dos alimentos que lhe trazem energia e vitalidade e daqueles que intoxicam tirando o vigor pro esporte. Sua conquista de um corpo mais sadio e moldado também é digna de congratulações.

    1. Pessoa incrível, estudamos juntos e realmente sua história de vida é algo que muitas pessoas que tiveram a oportunidade de conviver um pouco com ele aprendeu muito.

  5. Fantástico ! Com todos percalços que a periferia oferece na prática esportiva, eis uma superação e motivação para deixarmos de ser sedentários ! Parabéns Mauro pela iniciativa !

  6. Olá,
    Gostaria de saber se a possibilidade de receber bolsa de estudos para esse curso em específico. Que Muito fazer, mas não possuo recursos no momento para investir.

    Desde já agradeço.

    1. Olá, Sheila! Muito obrigada pelo contato e interesse pelo curso. A atividade é oferecida pela faculdade, logo, vale tentar direto com a Fespsp a possibilidade de conseguir alguma bolsa.

  7. Paulinho, esta sim é a mais linda forma de Dizer Eu Te Amo Para um Pai!
    Você fez uma linda homenagem, para o Tio Paulo, que é Paizão de toda Família.
    Deus abençoe a todos os Filhos.

  8. Zorade, ai sim meu grande sobrinho, que homenagem de arrepiar.! Digo nunca vista, (é claro)pois cada um é um…Quanta sabedoria vestida de aparente ignorancia! O jeito de ser do meu irmao meio estranho, superou os grandes modos finos de criar seus filhos…Quanta riqueza de carater , de valentia também,ele apresentou a voce e a essa exelente Mae que te trouxe ao mundo…Familia pequena nas de grande peso..kkkk em todos os sentidos…No seu relato voce se esqueceu de falar sibre a bondade do coraçao dele…Tem umas histórias de caridade dele que admiro!…Parabéns pela homenagem ! Que Deus lhe proteja , que cada vez mais sua intelugencia seja ativada….abraços

  9. Olá boa tarde,
    Gostaria de parabenizar pela iniciativa e tbm Têmos que girar essa informação e cobrar de forma correta e pacífica dos responsável para tal , tendo em vista que somos moradores da região Têmos essas e outras dificuldades sendo que todos nós vamos receber visitas Nos próximos dias de político ou de seus prestadores de serviços prometendo o que não se cumpre ,uma vez que se não formos no dia votar somos obrigados a pagar multa e tenho certeza que todos nos não deixamos de pagar e quando se trata de olhar um pouco pra lado mínimo que é ,transporte, segurança, iluminação, etc.. Nos não temos respaldo ,então diariamente ouvimos relatos e acontecimentos que cada dia dificulta mais a vivência no bairro, só lembrando que mesmo sendo uma APA todos aqui são eleitores que seguem a risca com suas obrigações e o que queremos é o mínimo se iníciando pelo Respeito aos moradored e direito de ir e vir que já não temos mais.
    Att:
    Gilmar Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *