• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Moradores de São Bernardo criam observatório da Covid-19 e cobram ações da prefeitura

Grupo indica referências e maneiras autônomas para a população se atentar à doença, além de questionar dados da gestão municipal
Hospital de Urgência em São Bernardo, município que é o segundo com mais casos na Grande SPGabriel Inamine/Prefeitura

Desde o começo da pandemia, Daniel Souza, 35, ficou preocupado com a forma como a Covid-19 era tratada perto de onde vive. Morador do Jardim Cláudia, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, ele começou a conversar com vizinhos sobre como poderiam ajudar a se proteger.

“A gente percebeu que a mídia não estava informando direito e o poder público municipal pior ainda”, diz o educador social.

Souza se reuniu com moradores do núcleo Permaperifa Jd. Cláudia, do qual faz parte, para organizar conteúdos que levassem informações sobre o alcance do novo coronavírus no município e cobrar da prefeitura dados completos. Nascia assim o Observatório Popular Covid-19 SBC. 

Sete moradores de diferentes bairros de São Bernardo do Campo, como o Jardim Cláudia, Dos Casa, Baeta Neves e Vila Vivaldi, montaram o projeto. 

Profissionais como psicóloga, enfermeiro, professor, filósofo, arquiteto e mestrandos da UFABC (Universidade Federal do ABC) começaram a buscar informações sobre as formas de prevenção e dados da quantidade de leitos na cidade.

Jd Cláudia, localizado em Dos Casa- uma das regioesJariza Rugiano/Agência Mural

“Diante de tanta informação falsa, propagar conteúdo de qualidade de forma coletiva é uma estratégia nossa”, diz a psicóloga da saúde Alice Dias Lima de Santana, 29. 

As publicações são feitas em uma página no Facebook. Para alcançar pessoas com dificuldades de leitura, o grupo adapta as informações para o formato de áudio e as distribui em grupos de moradores via WhatsApp.

Segundo a Prefeitura de São Bernardo do Campo, em informativo da última quinta-feira (20), a região do Montanhão, formado por 32 comunidades, está no topo da lista de bairros com mais contaminações com 2.665, seguida do Baeta Neves com 1.732 casos e do Dos Casa com 1.556 casos.

A gestão municipal disponibiliza boletim diário com a situação da cidade em relação ao coronavírus pelo site e fanpageAté 25 de agosto, São Bernardo era a segunda com mais pacientes de Covid-19 na Grande São Paulo. São 23 mil casos e 744 mortes. 

Logo do Observatório de Covid-19 de São Bernardo do CampoReprodução

Diante desse cenário, o Observatório Popular Covid-19 SBC busca esclarecer os moradores sobre o alcance e os riscos da doença, além de apontar sinais de subnotificação.

A psicóloga destaca que o grupo tem integrantes com vivência na assistência à saúde e em redes comunitárias, o que tem ajudado. 

Para ela, essas forças somadas fazem com que identifiquem desafios e questões por meio de estratégias comunitárias de comunicação para esclarecer as dúvidas dos moradores. 

Ações do tipo têm ocorrido também em outras regiões do ABC. Em Santo André, moradores tem usado vídeos e o WhatsApp para informar as favelas sobre a gravidade dos casos. Um grupo de pesquisadores também criou o COVIdata para analisar a evolução dos casos na cidade.

COBRANÇA

Um dos ponto de atuação do grupo é a cobrança sobre a situação da cidade. “Os moradores de São Bermardo relatam transferências de pacientes internados com COVID-19 para outros municípios enquanto a prefeitura divulga no mesmo dia quem existem leitos vagos. Por que estes pacientes foram transferidos para outros municípios?”, questionou postagem da página.

Os moradores relataram transferências de internados com a doença para cidades como São Paulo e Diadema.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que nenhum paciente morador de São Bernardo foi transferido para hospitais de outros municípios. 

Alice participa do Observatório Popular em São BernardoArquivo Pessoal

A Prefeitura diz que a maioria das pessoas infectadas de outras cidades foram transferidas para o município de origem, seguindo o procedimento padrão de tratamento pela Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde do Estado). “São Bernardo está inserido nesta regulação, porém não são todos os leitos habilitados (com verba estadual) neste sistema.”

O Observatório também consulta o Portal da Transparência especial Covid-19 para cruzar com os dados municipais e, por meio das publicações, explicam como a própria população pode fazer essa análise. 

O breve guia tem a finalidade de incentivar autonomia dos moradores sobre a busca por esse tipo de informação. Santana destaca que a metodologia do grupo também passa pelo levantamento dos números de cartório, a ocupação de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) e das enfermarias.

Jariza Rugiano

Jornalista, correspondente de São Bernardo do Campo desde 2017. Gosta de andar de bicicleta, livros, reunir-se com os amigos, acompanhar intervenções culturais e colecionar memes.

São Bernardo do Campo

Comentários