APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
No Corre

3 em cada 10 paulistanos reclamam dos vizinhos barulhentos durante a pandemia; ouça o podcast

O dado é da pesquisa “Viver em São Paulo: especial pandemia II” realizada online com pessoas das classes A, B e C que moram na capital paulista

Image

Por: Redação

Notícia

Publicado em 09.06.2020 | 10:54 | Alterado em 22.11.2021 | 16:00

Para a maioria dos internautas paulistanos, o barulho dos vizinhos tem sido a principal dificuldade na rotina em casa durante o isolamento social. 

Isso foi o que mostrou a pesquisa “Viver em São Paulo: especial pandemia II” que foi divulgada no dia 9 de junho pela Rede Nossa São Paulo em parceria com Ibope Inteligência. 

O estudo foi realizado online com pessoas das classes A, B e C que moram na capital paulista. Para 26% delas, uma vizinhança barulhenta tem sido a parte mais difícil nessa rotina em casa por causa do coronavírus

 O Em Quarentena” conversou com moradoras das periferias para saber quais são as maiores dificuldades de suas rotinas. 

A jornalista Larissa Darc contou que para ela a maior questão é que os vizinhos também estão de home office, o que tem tirado um pouco de sua paz. Ela relatou que seus vizinhos do lado são professores e um deles está fazendo vídeo aulas de educação física justo na janela de frente para seu quarto.  

“Então, enquanto ele está gritando com as crianças e elas gritando de volta, estou no meu quarto tentando fazer reunião com 20 pessoas numa videochamada que trava o tempo todo ou tentando escrever um texto”. (ouça a partir de 01:18)

Larissa mora no Parque do Carmo, na zona leste de São Paulo, e compartilhou também que além de ter que conviver com o barulho das aulas no último volume, ainda precisa administrar os sons das cinco pessoas que moram com ela. 

“Eu moro com muitas pessoas, então tenho que administrar todo esse barulho e tentar não enlouquecer, enquanto eu trabalho de casa. É bem complicado”. (a partir de 02:09)

Outro dado da pesquisa apresentado neste episódio mostra que para 46% dos paulistanos garantir emprego ou renda é a principal medida que o poder público deveria tomar para aumentar a taxa de isolamento. 

Marlene é costureira e vive com o filho. Por ser chefe de família, ela teve direito a duas cotas do auxílio emergencial que o Governo Federal vem destinando desde maio aos autônomos e informais, recebendo assim R$ 1.200. Ela falou como tem sido viver com esse auxílio. 

“Suficiente não é. Imagina passar o mês com R1.200 reais para quem tem filho adolescente. Se for ver, não é suficiente. A gente passa apertado”. (ouça em 02:45)

No dia 19 de maio, em reunião com empresários, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o auxílio emergencial poderia durar mais meses, mas com valor de R$ 200, já que a vida de quem estava recebendo andava “boa” e “tranquila”. 

Marlene não tem a mesma opinião que o Ministro. Ela enfatizou que o povo está sofrendo e que tem gente em situação ainda mais desfavorável do que ela. 

“Imagina um pai de família com a casa cheia de filhos pequenos e pagando aluguel. Esse valor mal dá para pagar o aluguel. Só de água, luz e internet, que a gente tem que ter porque nossos filhos estão estudando online, a gente gasta mais de R$ 300 só com isso. Mais o mercado”. (em 03:09)

Como muitos brasileiros, Marlene sente muita incerteza sobre o futuro, porque o auxílio vem sendo sua única fonte de renda no momento.

“Eu preciso trabalhar. Mas também acho que agora vai ser difícil o pessoal encomendar roupas, está todo mundo quebrado. Não sei não. Nosso amanhã está incerto”. (em 03:48)

Além disso, o levantamento revelou que 9 em cada 10 paulistanos acreditam que a pandemia deixou claro que a cidade de São Paulo precisa investir na redução das desigualdades.

Se você quiser saber mais sobre a pesquisa “Viver em São Paulo: especial pandemia” é só acessar: nossasaopaulo.org.br.

Você pode conferir ainda matérias especiais sobre o assunto no site 32xSP.org.br, parceria da Agência Mural com a Rede Nossa São Paulo.

Ouça este bate papo completo no Em Quarentena #49: 3 em cada 10 paulistanos reclamam dos vizinhos barulhentos durante a pandemia.

Podcast Em Quarentena

Viver em meio ao coronavírus não deve estar sendo fácil para ninguém. Imagina então para quem vive nas periferias. 

O “Em Quarentena” é o podcast especial que a Agência Mural de Jornalismo das Periferias criou neste momento da pandemia. Queremos informar, com notícias do dia a dia, quem mais precisa se virar meio a esse caos.

Você pode receber o podcast diretamente no seu Whatsapp, enviando um “Oi” para +55 11 9 7591 5260. Ouça também no Instagram, Youtube, Spotify, Deezer, Apple e Google Podcast.

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.