Acontece na Escola: Recados no banheiro mudam rotina de alunas de Interlagos

Beatriz Oliveira
Colaborou Paula Rodrigues

”Não diminua o universo que existe em você por causa de alguém que não sabe admirá-lo”. Era o que dizia uma das pequenas folhas de papel adesivo colada na parede do banheiro feminino da Escola Estadual Professor José Vieira de Moraes, localizada no subdistrito de Interlagos, zona sul de São Paulo.

Receba nossa newsletter!

Na época, o banheiro tinha vários problemas: desde 2014 não existia espelho no local, por causa de uma briga entre alunas que quebraram o objeto, as portas não fechavam, as pias eram muito baixas e as torneiras não funcionavam, além de ter paredes sujas e rabiscadas.

Carla Silva Dias, 17, mora na zona sul de São Paulo, no Jardim Colonial, e é aluna da escola há 3 anos. Ela conta que começou a perceber que uma renovação no banheiro feminino da escola fazia falta para todas as alunas.

Foi então que ela e algumas colegas de sala se reuniram com o objetivo de melhorar o local. Tudo começou em abril deste ano, e o intuito era de colar textos e desenhos na parede onde ficava o espelho.

Em cada post-it as meninas deixavam recados motivacionais para as outras colegas (Beatriz Oliveira/Acontece na Escola/Agência Mural)

“Eu me juntei com as outras garotas da minha sala e disse a minha ideia para elas. Elas amaram, nós fomos pensando e pensando no que colocar lá. Pensamos em desenhos ou placas, mas isso daria muito trabalho. Então resolvemos que seriam os post-its com mensagens animadoras e motivadoras”, conta a estudante.

A ideia era começar a espalhar mensagens que fizessem as meninas se sentirem mais contentes com sua autoestima, reafirmando que todas elas eram importantes e especiais.

“Tinham muitas frases motivadoras e lindas. Uma que eu amei do fundo do coração foi: ‘não seja uma menina que reproduz o machismo’. Eu me considero realmente uma feminista,  e essa frase eu achei que realmente define meu pensamento”, é o que conta a estudante do primeiro ano, Julia Neves, de 15 anos.

Laura Beatriz Guimarães, 15, também é estudante do primeiro ano da escola José Vieira. Para ela, a parede colorida com post-its trouxe uma nova forma de se sentir bem com a vida na escola.

Ela conta que em sua antiga escola sofreu muito preconceito racial por causa de sua cor e do seu cabelo, que não era igual ao das outras garotas. “Por conta disso eu sempre chegava em casa muito chateada, porque sempre caçoavam de mim na escola, durante quase dois anos, e eu até cheguei a pensar em suicídio por conta disso”, relembra Laura.

Os pais de Laura decidiram transferir a menina para a José Vieira. No colégio atual, a adaptação foi melhor, especialmente quando ela viu uma das mensagens colada no banheiro.

As alunas da escola José Vieira transformaram a parede do banheiro feminino em um mural de recados (Beatriz Oliveira/Acontece na Escola/Agência Mural)

“Uma que eu gostei bastante foi: ’você é bela, não importa a sua cor’. Eu me senti bem lendo ela, e lendo outras parecidas, eu fiquei feliz com isso porque já sofri muito racismo, muito preconceito por ser negra”, conta Laura.

Para a professora de filosofia Vânia Amorim, 47, a “ação de colar os post-its construiu, de alguma forma, um humano melhor que futuramente vai entender que as diferenças das pessoas são boas, e que não há problema algum em ser diferente”.

Ela acredita que o ambiente escolar é um dos melhores locais para acontecer tal manifestação, visto que é na escola onde há mais dificuldade de lidar com isso. “Para mim, isso foi uma coisa linda para a escola, e que deve ser levada para o mundo”, completa a professora.

Depois que os primeiros post-its foram colados, as meninas da escola ficaram tão encantadas com a ideia que começaram a colar também. Quase todos os dias se via novos post-its com diversas mensagens.

“Eu colei alguns lá, e percebi que quando as meninas liam aquelas mensagens, aparecia um sorriso nos rostos delas e isso é muito demais. Eu colocava sempre que tinha inspiração”, comenta a estudante Julia Neves, ao contar que boa parte das meninas que frequentavam o banheiro, deixava um recado para as outras.

Quando Carla e suas amigas perceberam que a ideia havia realmente dado certo, elas resolveram criar algo mais para que o banheiro ficasse ainda mais acolhedor.

Foi aí que tiveram a ideia de montar uma caixinha para colocar absorventes e outras coisas, como cotonetes e chocolates, por exemplo.

“As meninas aceitaram muito bem a ideia. Acho que isso foi uma das melhores coisas que aconteceu esse ano no Vieira, porque eu percebi que as garotas da minha sala ficaram bem mais unidas”, afirma Carla.

Ela completa dizendo que muitas das meninas da escola criaram até mesmo amizades por causa disso. Mas lamenta que a união entre elas tenha sido momentânea: durou apenas enquanto os post-its ainda estavam colados na parede.

Meses depois os bilhetes foram retirados por conta de uma reforma no banheiro. A previsão é de que uma reforma completa seja realizada (Beatriz Oliveira/Acontece na Escola/Agência Mural)

Atualmente, o banheiro da escola está sem os post-its. As caixinhas com absorventes e cotonetes também foi retirada. Durante as férias escolares, as faxineiras da escola precisaram tirar os papéis que começaram a descolar e a caixinha de papelão que molhou quando lavaram o banheiro.

Apesar de não darem continuidade a atividade depois das férias escolares, as meninas da José Vieira ganharam uma nova surpresa. Ao voltar para as aulas, o banheiro estava reformado: arrumaram a encanação e uma nova pia foi colocada para facilitar o uso.

“Ainda pretendemos fazer uma reforma geral, tanto no banheiro feminino quanto no masculino. Trocar o piso, os vasos sanitários, trocar as portas… Deixar o ambiente mais agradável para todos os alunos”, conta Domênico Silva, 49, o atual coordenador da escola.

Para ele, ações como essa, por mais que momentâneas que sejam, transformam a escola em um espaço mais humano.

“Atividades assim são realmente importantes, isso ajuda a construir um ser humano mais humilde e de bom coração. Eu acho que esses post-its fizeram com que essas garotas vissem que são belas do seu jeito, e entendessem que devem sempre ser unidas , não importa oque aconteça”, afirma o coordenador.

Beatriz Oliveira é estudante do 1ª série do ensino médio na escola estadual Professor José Vieira De Moraes
Paula Rodrigues é correspondente de Vila Albertina

Essa reportagem foi produzida por uma participante do programa de bolsa de jornalismo Acontece na Escola da Agência Mural, no qual estudantes do ensino médio de escolas públicas da região metropolitana de São Paulo produzem conteúdo jornalístico sobre temas do cotidiano escolar. A iniciativa integra o projeto Mural nas Escolas.

0 thoughts on “Acontece na Escola: Alunos constroem máquina que reduz desperdício de comida no Jaraguá”

  1. Que lindo Ana Beatriz!
    Nos olhos e na voz dessas crianças é que realmente está a nossa esperança de um país melhor.
    Pessoas inocentes que conseguem enxergar o que muitos ignoram.
    É a vida de verdade,o sorriso estampado,o brilho nos olhos que mal sabem o que ainda vai ter que enfrentar.
    Um super abraço de toda família Centro Comunitário do Embura.
    Felicidades linda.

  2. Um raio x dessas pequenas Almas, que acreditam e sonham em um país onde tudo parece estar pedido, surge através da pureza e simplicidade o nascer da esperança dentro desses pequenos gigantes.
    Ainda vale a pena sonhar!

  3. Uma linda crônica, repleta de alma e total conhecimento do cenário atual de nosso país.
    São palavras assim que nos inispiram à lutar por mais um dia.
    Parabéns!!!

  4. Parabéns. Sou testemunha do seu ganho de saúde física, emocional e psicológica. Pois a bicicleta proporcionou a conscientização dos alimentos que lhe trazem energia e vitalidade e daqueles que intoxicam tirando o vigor pro esporte. Sua conquista de um corpo mais sadio e moldado também é digna de congratulações.

    1. Pessoa incrível, estudamos juntos e realmente sua história de vida é algo que muitas pessoas que tiveram a oportunidade de conviver um pouco com ele aprendeu muito.

  5. Fantástico ! Com todos percalços que a periferia oferece na prática esportiva, eis uma superação e motivação para deixarmos de ser sedentários ! Parabéns Mauro pela iniciativa !

  6. Olá,
    Gostaria de saber se a possibilidade de receber bolsa de estudos para esse curso em específico. Que Muito fazer, mas não possuo recursos no momento para investir.

    Desde já agradeço.

    1. Olá, Sheila! Muito obrigada pelo contato e interesse pelo curso. A atividade é oferecida pela faculdade, logo, vale tentar direto com a Fespsp a possibilidade de conseguir alguma bolsa.

  7. Paulinho, esta sim é a mais linda forma de Dizer Eu Te Amo Para um Pai!
    Você fez uma linda homenagem, para o Tio Paulo, que é Paizão de toda Família.
    Deus abençoe a todos os Filhos.

  8. Zorade, ai sim meu grande sobrinho, que homenagem de arrepiar.! Digo nunca vista, (é claro)pois cada um é um…Quanta sabedoria vestida de aparente ignorancia! O jeito de ser do meu irmao meio estranho, superou os grandes modos finos de criar seus filhos…Quanta riqueza de carater , de valentia também,ele apresentou a voce e a essa exelente Mae que te trouxe ao mundo…Familia pequena nas de grande peso..kkkk em todos os sentidos…No seu relato voce se esqueceu de falar sibre a bondade do coraçao dele…Tem umas histórias de caridade dele que admiro!…Parabéns pela homenagem ! Que Deus lhe proteja , que cada vez mais sua intelugencia seja ativada….abraços

  9. Olá boa tarde,
    Gostaria de parabenizar pela iniciativa e tbm Têmos que girar essa informação e cobrar de forma correta e pacífica dos responsável para tal , tendo em vista que somos moradores da região Têmos essas e outras dificuldades sendo que todos nós vamos receber visitas Nos próximos dias de político ou de seus prestadores de serviços prometendo o que não se cumpre ,uma vez que se não formos no dia votar somos obrigados a pagar multa e tenho certeza que todos nos não deixamos de pagar e quando se trata de olhar um pouco pra lado mínimo que é ,transporte, segurança, iluminação, etc.. Nos não temos respaldo ,então diariamente ouvimos relatos e acontecimentos que cada dia dificulta mais a vivência no bairro, só lembrando que mesmo sendo uma APA todos aqui são eleitores que seguem a risca com suas obrigações e o que queremos é o mínimo se iníciando pelo Respeito aos moradored e direito de ir e vir que já não temos mais.
    Att:
    Gilmar Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *