• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Agentes de saúde usam alto falante para pedir para moradores ficarem em casa em Parelheiros

Profissionais citaram que já houve mortes no Jardim Campinas, e pediram colaboração para os moradores evitarem avanço da doença

O avanço da Covid-19 nas periferias de São Paulo fez alguns agentes de saúde da região de Parelheiros, no extremo sul, irem às ruas e pedirem aos moradores que fiquem em casa. 

A cena foi vista nesta sexta-feira (17). Com alto falante, uma mulher da unidade de saúde do Jardim Campinas, bairro da região, falou sobre o avanço do coronavírus no bairro e a necessidade de apoio para não sobrecarregar os postos de saúde.  

“Temos dois óbitos de Covid em nossa região, temos três casos confirmados aqui no nosso bairro. E temos 67 casos ainda em análise”, disse a profissional. Moradores gravaram a mensagem para compartilhar em grupos de WhatsApp do bairro. “São casos suspeitos, por isso a UBS Campinas pede ajuda aos moradores”, ressaltou.

Na fala, a funcionária pediu para os moradores que puderem fiquem em casa e reforçou as dicas de higiene como lavar as mãos ou utilizar o álcool 70. Também citou a avenida Balneário São José e as ruas Uirapuru do Sertão, Gaspar Leme e Casa Branca, como as que tiveram mais casos notificados. 

Tabela divulgada pela prefeitura nesta semana | Divulgação

Nos últimos dias, a prefeitura divulgou que em Parelheiros houve 7 mortes de Covid-19. Também apontou que na última semana teve outros cinco óbitos suspeitos de terem sido ocasionados pelo novo coronavírus. 

No entanto, a prefeitura tem dificultado o acesso a dados sobre as periferias da capital e não tem dito quantos casos estão confirmados em cada região. 

A orientação para os moradores é de que quem tenha sintomas graves, como falta de ar, procure uma unidade de saúde na cidade

Região fica entre Grajaú e Parelheiros | Arquivo Pessoal

Ações para pedir que as pessoas fiquem casa também ocorreram em outras periferias da capital. Em Guaianases, na zona leste, a Polícia Militar fez algumas rondas pelo bairro. Alguns moradores comentam que os agentes orientaram pessoas que estavam reunidas em grupos para jogos de cartas a voltarem para casa. No entanto, assim que os policiais se afastaram, a reunião voltou a acontecer.

VAQUINHA PARA CONSCIENTIZAÇÃO

Também na zona leste, o assistente social Marcelo Oliveira Martins, mais conhecido por Celo, divulgou no Whatsapp uma campanha para arrecadar R$1.000. O objetivo dele era pagar um carro de som pelas ruas da Cidade Tiradentes, Cohab ll e Guaianases conscientizando os moradores sobre a importância do isolamento social contra a Covid-19.

“A Cidade Tiradentes está nas ruas, infelizmente. Eu, Celo já estou em quarentena há mais de 25 dias. Em nosso carro, a recomendação é para que apenas o motorista esteja no veículo. Informar o povo se faz muito necessário”, comenta.  

O áudio ainda orienta sobre o uso da máscara para a contenção do vírus, e indica os coletivos locais que estão fazendo a distribuição de alimentos. 

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Guaianases, São Paulo

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários