APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
No Corre

Confira as datas para sacar o auxílio emergencial de R$ 300

Os pagamentos seguem até o fim do ano; por enquanto, só há calendário para quem já recebia o Bolsa Família

Image

Notícia

Publicado em 22.09.2020 | 17:02 | Alterado em 27.10.2020

Tempo de leitura: 3 minutos

Após cinco meses da criação do auxílio emergencial de R$ 600, por conta do impacto da Covid-19, o governo federal prorrogou o pagamento por mais quatro meses. Contudo, as novas parcelas, chamadas de auxílio emergencial residual, serão de R$ 300 – metade do valor das anteriores.

O recebimento dessas parcelas só vale para quem teve o benefício de R$ 600 aprovado. O pagamento vai até dezembro, independente do número de parcelas que a pessoa receber até lá.

Nesse formato, quem recebeu a última parcela de R$ 600 em agosto, terá quatro meses desse auxílio residual (setembro, outubro, novembro e dezembro). Mas quem receber a última em novembro, receberá apenas mais uma de R$ 300 referente a dezembro. Alguns demoraram até três meses para conseguir sacar a última parcela. 

CALENDÁRIO DA PRIMEIRA PARCELA DOS R$ 300 (cadastrados no Bolsa Família)

  • Quinta-feira (17/9): último dígito do NIS é igual a 1
  • Sexta-feira (18/9): último dígito do NIS é igual a 2
  • Segunda-feira (21/09): último dígito do NIS é igual a 3
  • Terça-feira (22/9): último dígito do NIS é igual a 4
  • Quarta-feira (23/09): último dígito do NIS é igual a 5
  • Quinta-feira (24/09): último dígito do NIS é igual a 6
  • Sexta-feira (25/09): último dígito do NIS é igual a 7
  • Segunda-feira (28/09): último dígito do NIS é igual a 8
  • Terça-feira (29/09): último dígito do NIS é igual a 9
  • Quarta-feira (30/09): último dígito do NIS é igual a 0

Segundo informações do banco, mais de 12,6 milhões de famílias cadastradas no programa foram consideradas aptas ao benefício. No total, a Caixa disponibilizará R$ 4,3 bilhões para mais de 16,3 milhões de pessoas.

Outros cerca de 3,6 milhões de beneficiários do auxílio emergencial, nascidos em fevereiro, também podem sacar ou transferir os recursos da poupança social digital (o aplicativo Caixa Tem). Nestas situações, o auxílio é pago de acordo com calendários de crédito em poupança social digital e de liberação para saques e transferências, considerando o mês de nascimento. 

Image

Dificuldade para acessar benefício no aplicativo tem ocorrido desde início da pandemia @Bruna Nascimento/Agência Mural

QUANTIDADE DE PARCELAS DEFINIDAS:

  • Trabalhador que recebeu a última parcela de R$ 600 em agosto, vai receber 4 parcelas de R$ 300: em setembro, outubro, novembro e dezembro
  • Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em setembro, vai receber 3 parcelas de R$ 300: em outubro, novembro e dezembro
  • Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em outubro, vai receber 2 parcelas de R$ 300: em novembro e dezembro
  • Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em novembro, vai receber apenas 1 parcela de R$ 300, em dezembro

NOVAS REGRAS

As novas parcelas de R$ 300 serão pagas somente aos trabalhadores aprovados para receber o auxílio de R$ 600. Não há possibilidade de novas inscrições. Além disso, o governo disse que vai reavaliar os beneficiários durante os próximos meses. 

Dependentes de pessoas que tenham declarado Imposto de Renda e tenham recebido mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis no ano passado ou quem conseguiu emprego formal podem ser excluídos do benefício. Quem recebe o Bolsa Família tem um cronograma divulgado pelo governo. 

HISTÓRICO

Desde o começo da pandemia, a Agência Mural ouviu moradores que enfrentam problemas para conseguir direito ao auxílio, criado por conta da pandemia da Covid-19. Com a necessidade do isolamento social, moradores perderam renda e têm enfrentado dificuldades.

Mesmo com o valor de R$ 600, moradores das periferias não conseguiam com o valor pagar as contas e pôr comida na mesa. A alta nos preços de alimentos recentemente dificultou ainda mais esse cenário.

Entre as pessoas que se cadastraram, a demora para passar pela fase de análise foi um dos obstáculos, além de não conseguir completar o cadastro do Caixa Tem. Por conta disso, muitos recorreram às filas do banco para conseguir o benefício, mesmo sem o código do aplicativo.

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Republique

Faça com que essa história chegue para mais pessoas.

Republique o nosso conteúdo gratuitamente.

Regras:

Os títulos podem ser modificados desde que não mude o contexto;

Os textos devem ser publicados como estão na versão original, sem edição ou cortes;

Todas as republicações devem dar crédito para a Agência Mural e também os créditos dos profissionais envolvidos em sua produção, conforme aparece na publicação original;

As fotografias e outras imagens/artes podem ser republicadas com os devidos créditos;

Os vídeos republicados não devem passar por nenhum tipo de edição, devem conter os créditos da Agência Mural; para transmissão na TV, é preciso enviar um pedido para contato@agenciamural.org.br.

Reportagens publicadas no site www.agenciamural.org.br não podem ser revendidas.

Se possível, os materiais republicados devem mencionar o perfil da Mural nas redes sociais.

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.