Conheça 10 histórias de artistas das periferias que estarão na Virada Cultural

Quebrada Queer, Rincon Sapiência, Samba da Vela, Cooperifa, Sarau do Binho, estão entre as atrações do fim de semana

A Virada Cultural 2019 terá a apresentação de vários grupos das periferias em palcos espalhados pela cidade.

Com poesia, funk, rap e até marchinhas de carnaval, alguns deles tiveram a história contada pela Agência Mural ao longo dos últimos anos.

Receba nossa newsletter!

Conheça alguns deles e saiba onde irão ser apresentar.

QUEBRADA QUEER

O Quebrada Queer se apresenta na Praça da República. Nascido em junho do ano passado, o grupo é formado por cinco jovens dos extremos de São Paulo. No show, eles terão a participação de Preta Rara, Kaya Konky e Pepita.

Em uma das primeiras matérias do novo site da Agência Mural, o grupo falou sobre os desafios, o espaço LGBT na música e a discussão de sexualidade e gênero na periferia.

 

“Quebrada Queer” discute sexualidade e gênero na periferia

LINN DA QUEBRADA

Linn da Quebrada se apresenta à meia noite de sábado (18) para o domingo (19) no Sesc Bom Retiro. Linn começou a cantar na Fazenda da Juta, em Sapopemba, na zona leste de São Paulo. Em entrevista à Mural em 2016, ela falou sobre a busca de quebrar preconceitos. “É a quebra do machismo que sempre nos foi imposto no passar dos anos”. Relembre no blog Mural.

COOPERIFA

Sábado (18), às 20h30, será a vez da Cooperifa tomar a Biblioteca Mário de Andrade. Idealizada pelo escritor Sérgio Vaz, a mostra cultural realizada na zona sul de São Paulo já fez mais de 11 edições.  

‘Não escrevemos para pessoas, escrevemos com elas’, diz Sérgio Vaz sobre Cooperifa

SARAU DO BINHO

Na sequência da Cooperifa, será a vez de Suzi Soares se apresentar na Biblioteca Mário de Andrade. Ela é uma das organizadoras, ao lado do poeta Binho, de um dos mais tradicionais saraus de São Paulo, o Sarau do Binho, que funcionou no bar de mesmo nome até 2012, quando foi fechado. Desde então, tem sido realizado em diversos pontos culturais da cidade. Relembre a história contada pela Agência Mural na revista sãopaulo.

RINCON SAPIÊNCIA

Rincon Sapiência se apresenta no Patriarca. Criado na Cohab 1, na zona leste de São Paulo, o artista enfatiza a importância da participação de negros na música. Ele começou a se apresentar na praça do Morcegão. “Subi para cantar um rap que fiz inspirado na letra da música ‘Us mano e as mina’ do rapper Xis. Sempre pedia para cantar torcendo para não dar certo. ”

‘Sempre terão negros e mulheres nos meus clipes’, afirma Rincon Sapiência

SLAM DA GUILHERMINA

A programação na Biblioteca Mário de Andrade segue pela madrugada com batalhas. O Slam da Guilhermina, com duelo de poesias faladas, será às 3h. Criado em 2012 por artistas e ativistas culturais de Ermelino Matarazzo e Cangaíba, zona leste, o Slam da Guilhermina é um dos mais antigos da cidade, e foi destaque em matéria no blog Mural.

BLOCO URUBÓ

Na zona norte, vai ter clima de marchinhas. Na Vila Albertina, na Freguesia do Ó, quem se apresenta é o Bloco Urubó, grupo tradicional da Vila Albertina. Conheça a história deles no blog Mural.

BATALHA DA MATRIX

Nos últimos anos, uma série de batalhas de rap se espalharam pela cidade e em outros municípios da Grande São Paulo. Uma delas é a Batalha da Matrix, de São Bernardo do Campo, e que terá apresentação às 21h30, na Rua 15 de Novembro, no centro de São Paulo. O evento é realizado há seis anos no ABC próximo da Igreja Matriz e foi a opção para a falta de locais de lazer na região, segundo os organizadores.  

BURAQUINHOS E O VENTO É INIMIGO DO PICUMÃ

No Sesc Ipiranga, haverá a peça ‘Buraquinhos e o Vento é Inimigo do Picumã’, baseada no texto do dramaturgo Jhonny Salaberg, 23, morador de Guaianases, na zona leste de São Paulo. A obra conta a história de um menino nascido e criado em Guaianases, que vai à padaria a pedido da mãe, e leva um “enquadro” de um policial. Depois disso, a narrativa mostra uma corrida pela sobrevivência. O personagem passa por países da América Latina e da África, onde vive experiências que mostram como o racismo age em outros cantos do mundo.

Guaianases: dramaturgo escreve peça sobre genocídio da população negra

SAMBA DA VELA

No domingo (19), às 14h, no Mercado Municipal de São Paulo, haverá apresentação do Samba da Vela, grupo de Santo Amaro, na zona sul da capital. Criado em 2000, o grupo foi idealizado por Chapinha, Magnu Sousá, Maurílio de Oliveira e Paquera (morto em 2014) para incentivar o compositor de samba tradicional. Em 2015, o blog Mural fez matéria sobre os 15 anos da comunidade.

Rolê na Quebrada: Virada Cultural terá pagode anos 1990, Karol Conka e Iza nas periferias

 

Redação

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo.

Grande São Paulo