APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

Guarulhos e São Bernardo do Campo ultrapassam 10 mil casos de Covid-19

Cidades se consolidam como as que têm mais casos depois da capital; são mais de 770 mortes de guarulhenses

Image

Por: Paulo Talarico

Notícia

Publicado em 08.07.2020 | 15:58 | Alterado em 08.07.2020 | 16:30

RESUMO

Cidades se consolidam como as que têm mais casos depois da capital; são mais de 770 mortes de guarulhenses

Tempo de leitura: 2 min(s)
Image

Vila Miriam, em Guarulhos, na Grande SP. Cidade é a segunda com mais mortes por Covid-19 @Thalita Monte Santo/Agência Mural

Cidades que vivem diferentes fases na flexibilização da quarentena, Guarulhos, na região leste da Grande São Paulo, e São Bernardo do Campo, no ABC paulista, ultrapassaram a marca dos 10 mil casos de Covid-19 nesta semana. 

Municípios mais populosos depois da capital, as duas regiões também se tornaram aquelas que oficialmente estão com mais pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. 

Antes, o município de Osasco aparecia na sequência da capital, mas segundo a prefeitura, houve uma redução no número de novos pacientes. 

Os dados foram levantados pela Agência Mural com base nas informações das 39 prefeituras da Grande São Paulo e indicaram que entre os dias 30 de junho e 7 de julho, mais 34 mil novos casos foram confirmados. O número é menor do que uma semana antes quando foram 45 mil. 

Ao todo, a região tem 248 mil pessoas que tiveram Covid-19. Do total, 12,4 mil morreram e ao menos 41 mil estão recuperados. 

VEJA TAMBÉM:
Confira o avanço de casos de Covid-19 na Grande São Paulo
Se sair, não leve o coronavírus para casa; Veja orientações
Sepultadores relatam pressão no trabalho e o preconceito contra a profissão

SÃO BERNARDO E GUARULHOS

A questão do aumento no número de confirmados é importante para o acompanhamento da crise sanitária, mas esbarra na quantidade de testes realizados por cada município.

Fatores como a subnotificação e exames que ainda não tiveram resultado podem indicar que outras cidades também tenham casos acumulados. Havia ao menos 36 mil testes pendentes, fora os da capital, segundo as prefeituras.

Feita essa ressalva, São Bernardo teve uma das maiores altas entre as cidades da Grande São Paulo. Em uma semana, houve um salto de 32% nos novos casos com um total de 11 mil. Uma semana antes eram 8.767.

A cidade tem tido a maioria dos casos na região do Montanhão, com 1,3 mil casos, no centro da cidade, e em Ferrazópolis. 

Image

Vista de bairros em São Bernardo do Campo. Cidade é a segunda com mais casos na região metropolitana @Welington Silva/Arquivo Pessoal

O município teve 436 mortes por causa da Covid-19. No entanto, está na fase amarela do Plano São Paulo, que permite a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza. Apesar de ter 285 pacientes internados, a gestão estadual afirma que o número de leitos disponíveis na região possibilita a flexibilização. 

No caso de Guarulhos, a cidade e outras dez do Alto Tietê estão na fase laranja, mais restrita. Os guarulhenses passaram dos 10 mil casos e se tornaram a segunda cidade com mais perdas na região metropolitana com 772 vítimas da Covid-19.


Sobre a taxa de mortalidade, a cidade Barueri é a que teve mais vítimas, com 94 perdas por 100 mil habitantes, seguida de Osasco com 74. Ambas estão na região oeste, também na fase laranja. 

Em São Paulo, onde mais de 7 mil moradores morreram por causa do novo coronavírus, são 63 perdas para cada 100 mil habitantes. A capital tem concentrado o maior número de vítimas nas periferias, o que tem preocupado lideranças nesse momento de reabertura.

Os dados sobre a cidade também indicam que há mais mortes nos distritos com maior população negra. 

Apesar da reabertura e de São Paulo estar na fase amarela, o número de novos pacientes mantém em alerta a necessidade de precauções contra doença, como o uso de máscaras, lavar as mãos e, se possível, ficar em casa.

Paulo Talarico

Editor-chefe e cofundador da Agência Mural, é formado em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu e em História pela Universidade de São Paulo.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.