APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias

Por: Cleberson Santos | Jessica Bernardo

Notícia

Publicado em 15.08.2022 | 18:11 | Alterado em 16.08.2022 | 18:48

Tempo de leitura: 5 min(s)

A cidade de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, chamou a atenção na semana passada, quando o primeiro debate entre os candidatos ao governo de São Paulo foi ao ar. Vitrine política do candidato Elvis Cezar (PDT) ao Palácio dos Bandeirantes, vários memes brincavam com a forma que o candidato “vendia” Parnaíba como uma “cidade perfeita”. Ele foi prefeito por lá entre 2013 e 2020.

De fato, Santana de Parnaíba ostenta bons indicadores, mas o que Elvis não comentou no debate, no entanto, é que Parnaíba é também considerada um dos municípios mais desiguais do Brasil e contrasta condomínios de luxo com regiões ainda sem coleta e tratamento de esgoto.

A Agência Mural foi até lá e conversou com alguns moradores para entender a situação do município.

Apelidada de Berço dos Bandeirantes, Parnaíba é uma cidade com centro histórico, bairro com casas de alto padrão e desigualdade em periferias da cidade @Jessica Bernardo/Agência Mural

A primeira coisa que chama atenção a quem chega na cidade, inclusive no centro histórico e turístico, é um cheiro forte de esgoto vindo do Rio Tietê. “Quem não conhece Santana de Parnaíba, conhece pelo cheiro”, conta Cacilda Gran da Silva, 67, que vive no município desde criança.

A casa dela divide o terreno com outras quatro residências, cenário bem diferente dos condomínios luxuosos da cidade, onde o preço de uma mansão pode sair por R$ 9 milhões em sites de imobiliárias, e os terrenos passam dos 1.000 m².

Cacilda recebeu o Auxílio Emergencial durante a pandemia e agora tenta o Auxílio Brasil. Na casa dela, o prato principal é “arroz, feijão e farofa”.

“Meus molequinhos falam ‘vó, quero café’. [Se] eu falar que não tenho, eles ficam bravos. Criança é igual passarinho, sempre tem que fazer mais”, comenta a moradora, referindo-se aos netos.

Terminal de ônibus foi entregue durante o período que Elvis foi prefeito @Jessica Bernardo/Agência Mural

Em 2020, uma pesquisa da FGV (Fundação Getulio Vargas) Social mapeou os lugares com maior concentração de renda no Brasil, levando em consideração os dados de declaração do Imposto de Renda. O estudo, que levou o nome de “Onde estão os ricos?”, apontou Santana de Parnaíba como a cidade com a segunda maior renda per capita do país.

Por outro lado, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a cidade tem 34,5% da população recebendo até um salário mínimo e meio ao mês.

A diferença é explicada por um fenômeno comum a algumas cidades da Grande São Paulo: os condomínios de alto padrão, que abrigam parte da elite paulista. Santana de Parnaíba conta com alguns deles, concentrados na região de Alphaville, onde moram famílias como a Abravanel, do apresentador e dono do SBT, Silvio Santos.

Grande parte da arrecadação da cidade, que tem 145 mil habitantes, segundo o IBGE, vem do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) dessa região. Em 2021, o total arrecadado passou de R$ 1,3 bilhão. Em comparação, Ribeirão Pires, também na Grande São Paulo e com população parecida (125 mil), arrecadou menos de R$ 390 mil.

Com esses recursos, a cidade obteve bons indicadores em temas como segurança pública, por exemplo. O ranking Connected Smart Cities da consultoria Urban System colocou a cidade como a sétima mais segura do Brasil, entre 677 pesquisadas.

Além disso, o município foi considerado o mais “competitivo” do Brasil entre aqueles com até 150 mil habitantes, segundo o Centro de Liderança Pública. O ranking de competitividade tem como propósito ser “uma ferramenta de avaliação da administração pública”.

O dado está presente nas centenas de propagandas da gestão municipal que estão espalhadas pela cidade.

Por outro lado, os moradores da área rica estão longe de representar a realidade da população que se espalha pelos quase 180 mil km² de Santana de Parnaíba.

Bairro Cidade de São Pedro, em Santana de Parnaíba @Jessica Bernardo/Agência Mural

Moradora do bairro Cidade São Pedro, na periferia do município, Messia Cristiane, 31, já trabalhou como auxiliar de limpeza em uma academia que fica dentro de um dos condomínios. Ela conta que havia uma relação boa entre os moradores famosos e os funcionários.

“Eles até me ajudaram com o enxoval do meu filho”, afirma a moradora. “Sempre me trataram super bem, sem cara feia, fui muito bem recebida, não tenho o que falar de lá não”.

A casa dela, apesar de não ser tão distante do condomínio onde trabalhava, foi ter acesso ao sistema de esgoto somente em 2022, já na gestão do atual prefeito Marcos Tonho, também do PDT.

Segundo a Sabesp, 56,58% dos domicílios da cidade têm coleta de esgoto atualmente, sendo que 52,1% é destinado para tratamento. A Companhia afirmou que trabalha para a universalização do tratamento de esgoto e prevê um investimento estimado em R$ 450 milhões nos próximos anos.

O morador José dos Santos, 66, que também vive em Cidade São Pedro, conta que teve fossa em casa até este ano, quando foi instalada a rede de coleta de esgoto.

“Eles começaram a obra na região no ano passado, mas tiveram uns problemas com a empresa que presta serviço, aí veio o natal e acabou atrasando. Cidade São Pedro é uma região grande, mas está bem adiantada [a obra]. Resolvendo isso, fica de boa”, afirma o morador.

Apesar da demora em canalizar o esgoto, José conta que Santana de Parnaíba é “o paraíso” dele e elogia o atendimento na saúde do local.

A Agência Mural conversou com José quando ele voltava de um atendimento médico em que acompanhava a esposa. Ela havia acabado de receber alta depois de sofrer uma queda e machucar a cabeça.

Ivete Evangelista avalia bem a cidade @Jessica Bernardo/Agência Mural

Todos os moradores entrevistados pela reportagem disseram que gostam de viver em Santana de Parnaíba. O ar “de interior” é um dos pontos positivos citados por eles, como explica a empreendedora Ivete Evangelista, 51.

“Amo morar aqui, meu marido tem família aqui e sempre gostei dessa cidade”, conta. Ivete se mudou para Santana de Parnaíba há 7 anos.

Hoje dona de um bar, ela diz que se sente mais tranquila vivendo ali do que em São Paulo, onde morava antes na região do Jaguaré, na zona oeste.

A maioria dos moradores entrevistados avalia positivamente a gestão de Elvis Cezar na cidade, confirmando a aprovação de 88% que ele teve na reta final do mandato como prefeito. Os dados foram divulgados em 2020 pelo Instituto MAS, consultoria que atua na região.

De acordo com José, um fator que pode ter colaborado para o “sucesso” do ex-prefeito foi ele ter sido do mesmo partido dos governadores de São Paulo, o PSDB. “Era tudo do mesmo lado, então vinha mais coisa para a gente”, diz.

Elvis, contudo, trocou a sigla pelo PDT no começo de 2022. Marcos Tonho, atual prefeito de Santana de Parnaíba, seguiu o padrinho político e também migrou para o partido de Ciro Gomes.

Mostrar Parnaíba como modelo tem sido a estratégia para tentar fazer frente aos favoritos até aqui na eleição. O candidato do PDT tem 2% de intenção de votos, segundo a pesquisa da Quaest Consultoria, registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número SP-02135/2022.

Aparece bem atrás de Fernando Haddad (PT), 34%, Tarcísio Freitas (Republicanos) e Rodrigo Garcia (PSDB) empatam com 14%. Até o momento, esta foi a única pesquisa realizada após o debate da Band, no último dia 7 de agosto.

receba o melhor da mural no seu e-mail

Cleberson Santos

Correspondente do Capão Redondo desde 2019. Do jornalismo esportivo, apesar de não saber chutar uma bola. Ama playlists aleatórias e tenta ser nerd, apesar das visitas aos streamings e livros estarem cada vez mais raras. Em novembro de 2022, passou a fazer parte da Report For The World, programa desenvolvido pela The GroundTruth Project.

Jessica Bernardo

Jornalista, cria de uma família de cearenses. Apaixonada por São Paulo, bolos e banhos de mar. Correspondente do Grajaú desde 2017.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.