APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Rolê

Com projeto parado, moradores da periferia de Suzano cobram áreas para esporte

Implantação de ciclofaixas, reformas em parques, criação de um centro esportivo e exibição de filmes foram as sugestões dos moradores da região

Image

Por: Renan Omura

Notícia

Publicado em 04.03.2020 | 12:17 | Alterado em 22.11.2021 | 15:43

RESUMO

Implantação de ciclofaixas, reformas em parques, criação de um centro esportivo e exibição de filmes foram as sugestões dos moradores da região

A estudante Kathelyn Faustino, 17, mora no bairro Vila Fátima, no distrito de Palmeiras, periferia de Suzano, na Grande São Paulo, e gosta de jogar vôlei e futebol. Mas fazer isso perto de casa não é tarefa fácil.

“No centro, os moradores têm acesso a diversos parques, sessões de cinema gratuito e atividades culturais. Por que aqui nós não temos?”

O distrito de Palmeiras fica localizado a 20 quilômetros da região central de Suzano. A distância é um dos obstáculos para os moradores acessarem os locais de entretenimento no município. 

“Não é sempre que eu e minhas amigas temos dinheiro para a passagem de ônibus. Por isso, na maioria das vezes temos que ficar aqui no bairro mesmo”, conta Kathelyn. 

O problema de Kathelyn poderia ter sido resolvido se algumas das metas previstas para a região tivessem sido concluídas.

Image

Kathelyn Faustino, 17, moradora do distrito de Palmeiras e gosta de praticar esportes @Renan Omura/Agência Mural

Entre os projetos voltados para o Palmeiras, segundo a gestão do prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL), está a criação de um Centro Esportivo. De acordo com dados obtidos pela Agência Mural no ano passado, a ação teve um avanço de 20%, mas a construção não começou. 

Outra meta voltada para o distrito era a implantação de um Bosque da Saúde e Cultura com fomento a terapias alternativas, mas que ainda está no papel.

O andamento dos trabalhos foi conseguido no segundo semestre de 2019, por meio da LAI (Lei de Acesso à Informação). Em setembro, a gestão havia cumprido plenamente 34 das 187 metas, com avanço maior na área da segurança. 

No ano passado, a Agência Mural questionou todas as prefeituras da Grande SP, e Suzano foi uma das poucas que detalhou os dados, enquanto 17 gestões simplesmente ignoraram a Lei de Acesso. 

VEJA TAMBÉM:
Em bairro de Suzano, moradores precisam caminhar três quilômetros para pegar ônibus
Técnico em manutenção e poeta, Francis Gomes espalha cordel por Suzano

REVEZAMENTO DA ÚNICA QUADRA

Kathelyn estuda no período noturno e durante a tarde ajuda a mãe em casa com serviços de costura. Aos fins de semana, ela procura utilizar o tempo livre para se divertir. Porém, sem opção, quase sempre acaba se encontrando com os amigos no Parque Buenos Aires, no distrito de Palmeiras. 

A quadra de futebol fica próxima de casa e é uns dos poucos pontos de encontro. “Temos que revezar a quadra com os meninos para jogar”, relata. 

Um dos principais pontos de lazer gratuito da cidade é o Parque Municipal Max Feffer, no centro de Suzano. Ali, há pista de skate, quadra de vôlei e futebol, piscina olímpica e trilhas para caminhada. O parque também conta com a Arena Suzano, palco dos principais eventos esportivos da cidade. Mas o cenário não é regra no município e atende principalmente quem tem facilidade de chegar na região.

Kathelyn é sobrinha de Alessandra Faustino, 33, que também é moradora do distrito de Palmeiras. “Além de melhorar a nossa qualidade de vida, se a Prefeitura investisse mais aqui nós não íamos precisar gastar tanto com transporte”, relata Alessandra.

A passagem em Suzano está R$ 4,40. O gasto é também o necessário para fazer parte das atividades culturais no município.

A professora Cristiane de Oliveira, 44, moradora do bairro Recreio das Palmas, afirma que a criação de um espaço que ofereça exibições gratuitas de filmes seria ideal para as crianças. A única opção na cidade é o Cineteatro Wilma Bentivegna, no centro de Suzano, que funciona de terça a quinta-feira. 

Image

Trecho da Rodovia Índio Tibiriçá transitado por ciclistas. Moradores citam falta de ciclovia @Renan Omura/Agência Mural

O estudante de biologia Michael Gomes, 21, morador da Vila Cunha, cursava aulas de artes no Centro Cultural Prof. Luiz Antonio da Silva, o único espaço cultural de Palmeiras. O local oferece cursos gratuitos de música, artesanato, teatro e dança. 

“As aulas no centro cultural foram importantes para minha formação. Só parei de fazer os cursos, porque comecei a trabalhar e estudar”, conta.

Nas horas vagas, Michael gosta de pedalar. Praticante de MTB e Speed (modalidades de ciclismo), ele diz acreditar que a criação de ciclovias seria ideal para a segurança dos ciclistas. A rodovia Índio Tibiriçá, que faz ligação entre o distrito de Palmeiras e o centro de Suzano, é uma rota bastante utilizada pelos praticantes do esporte.

CONFIRA:
Outras notícias sobre a Grande SP
Página mostra a história de periferias da capital

A dona de casa Amanda Siqueira, 66, reside no bairro Recreio Bela Vista, e aponta a necessidade de reformar as praças. “Sinto falta de lugares tranquilos e com segurança para ficar com os meus netos”, conta. 

Amanda cobra maior atenção das autoridades. “Nós também pagamos os nossos impostos. É injusto que apenas os moradores do centro tenham acesso ao lazer”, conclui.

Image

Amanda Siqueira, 66, cobra maior atenção das autoridades para o distrito de Palmeiras @Renan Omura/Agência Mural

PROJETOS EM ESTUDO

Procurada, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Suzano afirmou que a criação de um Centro de Esporte em Palmeiras está em etapa de estudo e que a gestão busca apoio do governo do Estado de São Paulo para a concretização do projeto.

No caso do Bosque da Saúde, a Secretaria Municipal de Cultura afirma que  que após um estudo, optou-se em transferir os serviços que seriam oferecidos no local para o Centro Cultural de Palmeiras Professor Luiz Antonio da Silva. 

A Secretaria Municipal de Saúde diz que os atendimentos e as terapias que seriam realizadas no Bosque, já foram implantadas nos postos de saúde e na Unidade Básica de Saúde do distrito.

Renan Omura

Jornalista. É fotógrafo por hobby (as vezes por trabalho), é amante dos dias frios e nunca dispensa um café. Correspondente de Suzano desde 2019.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.