• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Vacinas contra a gripe acabam no primeiro dia em Osasco, Diadema e Embu das Artes

Cidades do ABC suspendem campanha que teve procura maior por conta do novo coronavírus; outros municípios aguardam novas remessas

O primeiro dia da vacinação contra a gripe, nesta segunda-feira (23), foi complicado em cidades da Grande São Paulo. 

Em meio às preocupações por conta da propagação do novo coronavírus, a campanha foi destinada em especial aos idosos, com filas e reclamações em várias partes da região metropolitana. Ao menos em Osasco, Diadema e Embu das Artes, o estoque acabou e a sequência da vacinação dependerá de uma nova remessa. 

Na cidade de Diadema, o prefeito Lauro Michels (PV) reclamou o volume de vacinas enviadas pelo governo do estado. No final do dia, as sete cidades do ABC anunciaram a suspensão da campanha. Ao todo, a região recebeu 107 mil doses. 

O casal formado por Ivonete Regina Klaen, 71, e Amadeu Klaen, 74, aguardava a vacinação. Eles vivem há 35 anos no bairro Serraria, em Diadema. Ambos são hipertensos e tentariam fazer a imunização na UBS Serraria. Os dois têm evitado sair de casa por conta da pandemia.

“Infelizmente já não tinha mais. Eu tenho pressão alta, tenho diabete, problema no rim e não posso estar saindo. Infelizmente ainda não foi dessa vez”, comentou Ivonete.

Crédito: Marcelo Casal Jr/Agência BrasilVacinação contra a gripe começou para idosos e profissionais da saúde

A mesma situação foi vista em Embu das Artes, segundo a prefeitura. As vacinas acabaram ainda pela manhã. A expectativa é que um novo lote seja recebido na quarta-feira (25) de tarde, quando pessoas com mais de 60 anos podem se dirigir à UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de suas casas. 

A partir de 16 de abril, professores e pessoas que têm doenças crônicas podem ir às unidades.

No caso de Osasco, o município informou que eram 22 mil doses disponíveis e que todas foram aplicadas. A gestão afirma que o coronavírus aumentou a busca pela imunização. 

“Houve uma procura muito acima do registrado em anos anteriores. Todos os anos é preciso reforçar a necessidade de comparecer aos postos para tomar a vacina. Neste ano, em razão do coronavírus, a procura foi imensa, causando filas nas unidades de saúde e no Drive Thru montado no estacionamento da prefeitura”, afirmou a gestão em nota.

A expectativa é que um novo lote de chegue a cidade em 26 de março. A campanha irá até 22 de maio. A gestão afirma que a campanha recomeça assim que receber novas doses.

“A compra e distribuição é responsabilidade do Ministério da Saúde em parceria com o governo do Estado. Ao município compete a aplicação”, afirma a prefeitura.

VEJA MAIS:
Suspensão no transporte público preocupa moradores do ABC
Álcool gel some de prateleiras e chega a até R$ 25 nas periferias
Confira a cobertura especial sobre o coronavírus e as periferias
Nos trens e nos ônibus: os cuidados para quem não pode evitar o transporte público

Procurada, a Secretaria de Estado da Saúde afirmou que montou uma “força-tarefa com as equipes do CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) e do CDL (Centro de Distribuição e Logística) garantindo envio das grades de vacina contra a gripe com agilidade a todos os municípios”.

O Ministério da Saúde enviou 2 milhões de doses ao estado, o que representa 32% do quantitativo necessário para os grupos prioritários da primeira etapa – idosos e profissionais de saúde.

“Todos os municípios iniciaram a vacinação com grades parciais desta primeira remessa”. A pasta afirma que haverá sequência do reabastecimento nesta terça-feira (24) das novas grades. “A pasta está em diálogo contínuo com o Ministério para garantir o abastecimento”.

O começo da campanha tem objetivo de facilitar o diagnóstico da covid-19 e também não sobrecarregar os sistema de saúde, no momento em que a busca por atendimento tende a aumentar com o avanço da pandemia.

Em Osasco, a vacinação foi dividida em etapas e os primeiros dias tinham como foco idosos e profissionais da área da saúde. 

A segunda etapa será no dia 16 de abril e atenderá professores de escolas públicas e privadas e profissionais de segurança e salvamento, que poderão procurar as UBSs.

Já no dia 9 de maio, será realizada a terceira e última fase da campanha para o público infantil, que será atendido no Centro de Referência Edmundo Campanha Burjato, no Cipava. Gestantes e puérperas serão atendidas na Maternidade Amador Aguiar, no Piratininga.

As UBSs da Vila dos Remédios, do Jardim Aliança, do Portal D’Oeste, Quitaúna, da Vila da Justiça/Conceição e do Novo Osasco não realizarão atendimento para vacinação, por conta do atendimento exclusivo de sintomas respiratórios leves de casos suspeitos da Covid-19.

Kátia Flora

Jornalista, correspondente de São Bernardo do Campo desde 2014. Gosto de livros, animais e viagens. É ariana e ama esportes, meu time Corinthians.

São Bernardo Campo

Karol Coelho

É jornalista, cofundadora da Agência Mural e correspondente do Campo Limpo desde 2010. Colaborou com a criação da Escola Comunitária de Comunicação da Escola de Notícias, no Campo Limpo, zona sul de São Paulo. Escreve poesias e tem um livro chamado "Estado Atmosférico", que produziu de maneira independente. Na Mural, também apresentou o Rolê Na Quebrada e o PodePá! e foi editora de projetos especiais.

Campo Limpo, São Paulo

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários