• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Como Paraisópolis e Heliópolis estão combatendo o coronavírus; ouça o podcast

As duas maiores favelas de São Paulo, com 100 e 200 mil moradores, respectivamente

Paraisópolis e Heliópolis são as duas maiores favelas de São Paulo, com 100 e 200 mil moradores, respectivamente. O “Em Quarentena” foi conferir o que a população está fazendo para enfrentar a Covid-19.

“A palavra favela sequer tem sido pronunciada. É como se 13 milhões de brasileiros não existissem neste país. Então o que temos visto são dois brasis. Um do home office, da quarentena, álcool gel e da máscara. E outro Brasil das pessoas que a fome já está chegando, que moram em cima dos córregos e que estão sendo demitidas”. (ouça a partir de 00:01)

Quem abriu este episódio com esta fala acima é Gilson Rodrigues, líder comunitário de Paraisópolis, que fica na zona sul e é a segunda maior favela de São Paulo, atrás apenas de Heliópolis. 

“Criamos um comitê das favelas, uma rede de solidariedade. A cada 50 casas, nós temos um morador voluntário que é presidente de rua. Ele é responsável por fazer a distribuição de doações que chegam, mas principalmente, por pedir socorro acionando as ambulâncias”. (a partir de 01:23)

O líder explicou que como o SAMU não atende a comunidade, o comitê contratou ambulâncias. “São três, sendo duas básicas e uma UTI. E um grupo de sete profissionais, com dois médicos, que ficam 24 horas aqui na comunidade para atender a população que mais precisa”. (ouça em 01:48)

Além de garantir o acesso ao socorro, eles estão construindo hospitais de campanha em duas escolas estaduais. “Elas vão abrigar 500 pessoas, para que elas possam fazer isolamento. São pessoas que testaram positivo e que no grupo familiar tenham idosos ou doentes crônicos”. (em 02:15)

Preocupados em fortalecer a imunidade das pessoas eles ainda têm distribuído diariamente duas mil marmitas, com planos de aumentar o volume. 

Sueli é uma das criadoras da ONG “Costurando Sonhos”, que capacita mulheres em situação de vulnerabilidade social e vítimas de violência doméstica. “Emprestamos as máquinas da oficina para as meninas. Quando transportamos essas máquinas, descobrimos que na casa de algumas a energia elétrica não comportava uma máquina industrial. Tivemos que substituí-las por máquinas caseiras”. (em 03:32)

Ela também compartilhou que com a iniciativa, o projeto alcançou outras comunidades que estão produzindo máscaras para serem distribuídas. (em 04:06)

Karoline é moradora de Heliópolis, também na zona sul de São Paulo, e falou sobre a solidariedade entre os moradores. “Muitos têm trabalhado, voluntariamente, na organização das arrecadações que temos recebido. A gente está tentando se ajudar. Uma mão lava a outra”.  (em 04:43)

Ela também reforçou as dificuldades financeiras que as famílias têm enfrentado com a chegada do coronavírus. “Deu um baque na renda familiar de muitas famílias, inclusive na minha. A firma do meu pai não está pagando e da minha irmã demitiu. A minha está pagando, ainda bem. Mas, ainda assim, fica difícil, aqui em casa são oito pessoas”. (em 05:05)

Aluízio Marino é educador social e faz parte do projeto “Observatório De Olho na Quebrada”, que desenvolve pesquisas sobre a região onde está a comunidade. Ele ajudou a desenvolver um estudo que mostra que 65% das famílias de Heliópolis já deixaram de trabalhar ou estudar depois das orientações de isolamento. 

“A gente percebe que quanto menor a renda, maior o impacto das medidas de isolamento social. Maior os impactos relativos à economia dessas famílias. Isso reforça a necessidade das políticas emergenciais de uma renda básica”. (em 06:07)  

Tanto Paraisópolis quanto Heliópolis criaram vaquinhas virtuais para arrecadar dinheiro. 

As doações para Paraisópolis podem ser feitas pelo site esolidar.com. É só buscar o nome da favela no campo de pesquisa.

Já para Heliópolis, as contribuições podem ser realizadas pelo site benfeitoria.com/helipa ou pelo UNAS, ligando (11) 2272-0140.

Ouça este bate papo completo no Em Quarentena #13: Como Paraisópolis e Heliópolis estão combatendo o coronavírus.

Podcast Em Quarentena

Viver em meio ao coronavírus não deve estar sendo fácil para ninguém. Imagina então para quem vive nas periferias. 

O “Em Quarentena” é o podcast especial que a Agência Mural de Jornalismo das Periferias criou neste momento da pandemia. Queremos informar, com notícias do dia a dia, quem mais precisa se virar meio a esse caos.

Você pode receber o podcast diretamente no seu Whatsapp, enviando um “Oi” para +55 11 9 7591 5260. Ouça também no Instagram, Youtube, Spotify, Deezer, Apple e Google Podcast

Ira Romão

Jornalista e fotógrafa, correspondente de Perus desde 2018. Atuou quase 10 anos em comunicação corporativa, dedicando-se à responsabilidade social e jornalismo corporativo. Apaixonada por contar histórias e registrar pessoas e momentos por meio da fotografia.

Perus, São Paulo

Comentários