• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Covid-19: Osasco, Barueri e Caieiras têm mais mortes por 100 mil habitantes do que a capital

Grande São Paulo chega a 28 mil casos e tem 2,5 mil mortes pela enfermidade; prefeituras apontam mais de 2 mil curados da enfermidade

A cidade de São Paulo é o epicentro no Brasil da Covid-19. São 20 mil casos confirmados na capital e 1.775 mortes até a última segunda-feira (4). No entanto, o avanço do novo coronavírus em cidades da Grande São Paulo já provoca mais estragos proporcionalmente do que na capital e indica que a situação segue se agravando. 

Ao menos três municípios registraram mais óbitos por 100 mil habitantes do que a capital paulista, aponta levantamento feito pela Agência Mural nos dados divulgados pelas 39 prefeituras da região metropolitana. Apontam situação pior Osasco, com 134 mortes, Barueri, com 51, e Caieiras, com 17.

Até aqui, a capital registra 14 mortes para cada 100 mil moradores por conta da Covid-19. Esse número tende a variar nas periferias, onde o risco de morrer por causa da doença tem sido maior do que a média nacional. 

Embora em números totais a cidade de São Paulo lidere, essas cidades são menos populosas. Com 700 mil habitantes, Osasco, por exemplo, tem quase 20 vítimas por 100 mil habitantes. 

No município, a doença se espalhou rapidamente. No começo de abril, 52 bairros já tinham registros de casos da enfermidade. 

Em Barueri, cidade vizinha, a situação é semelhante. São 18 óbitos por 100 mil moradores. Vivem por lá 274 mil habitantes. Por outro lado, as duas prefeituras dizem que mais de mil moradores se curaram da Covid-19.

Prefeitos da região oeste disseram semana passada que o perfil das cidades pode influenciar no número de casos, com moradores do interior e de outras partes da Grande São Paulo que circulam pelos municípios para trabalhar. 

Em Caieiras, 18 bairros tiveram registros de infectados pelo novo coronavírus e são 17 vítimas na cidade que tem cerca de 100 mil habitantes. 

ISOLAMENTO E LEITOS

Com o avanço do novo coronavírus na Grande São Paulo (todas as cidades têm casos confirmados e 37 tiveram mortes), prefeitos seguem reforçando a necessidade do distanciamento social nos próximos dias, enquanto tentam ampliar a oferta de leitos. Nesta semana, se tornou obrigatório o uso de máscaras para circular no transporte público pelo estado.

A região metropolitana tem 28 mil casos confirmados, e as cidades estimam que ao menos 26 mil ainda estão em investigação (sem contar a capital). 

Nesta segunda-feira (4), Osasco recebeu mais 20 novos leitos de UTI com respiradores, no Hospital Regional, de responsabilidade do governo do estado. 

Crédito: Paulo Talarico/Agência MuralPosto de saúde em Osasco, única cidade fora a capital que ultrapassou o número de 100 mortes por Covid-19 até 4 de maio

Em Guarulhos, os hospitais estaduais chegaram no limite nos leitos de UTI disponíveis. Na rede municipal, a ocupação dos leitos clínicos é de 41,2%, enquanto que a de UTI já é de 69,2%. 

Em Taboão da Serra, o prefeito Fernando Fernandes (PSDB) fez um apelo para que as medidas de distanciamento sejam cumpridas. “Nosso hospital de campanha está com 36 leitos ocupados. Só os quatro da sala de emergência que não. E não estão ocupados porque são reservados para quem fica muito grave”, afirmou. Outros 12 pacientes na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) estão em estado grave. 

Cidades vizinhas a São Paulo chegam a mais de mil mortes por Covid-19

Segunda região com mais casos na Grande SP, o ABC paulista teve a entrega do novo Hospital Anchieta, em São Bernardo do Campo, com 100 leitos, sendo 19 de UTI. Na cidade foram mais de 600 casos e mais de 60 mortes pela Covid-19.

Perto dali está uma das poucas cidades que ainda não tinham registrado vítimas, Rio Grande da Serra. No entanto, foram duas mortes desde a semana passada. “A propagação do vírus está acontecendo, e a única forma de a evitarmos é fazendo o isolamento social e tomando todas as precauções necessárias”, divulgou a prefeitura.

Cidades População Casos confirmados Óbitos Mortes por 100 mil habitantes
São Paulo 12.252.023 20848 1775 14
Osasco 698.418 1350 134 19
Guarulhos 1.379.182 670 85 6
São Bernardo do Campo 838.936 669 63 8
Barueri 274.182 555 51 19
Santo André 718.773 547 58 8
São Caetano 161.127 435 16 10
Mogi das Cruzes 445.842 323 23 5
Diadema 423.884 302 30 7
Santana de Parnaíba 139.447 219 5 4
Suzano 297.637 216 21 7
Taboão da Serra 289.664 215 26 9
Itaquaquecetuba 370.821 200 21 6
Cotia 249.210 192 23 9
Carapicuiba 400.927 188 26 6
Mauá 472.912 162 26 5
Franco da Rocha 154.489 161 15 10
Itapevi 237.700 158 20 8
Francisco Morato 175.844 145 17 10
Ferraz de Vasconcelos 194.276 139 14 7
Cajamar 76.801 125 9 12
Embu das Artes 273.726 123 19 7
Itapecerica da Serra 175.693 113 8 5
Caieiras 101.470 96 17 17
Arujá 89.824 84 4 4
Jandira 124.937 81 12 10
Poá 117452 65 8 7
Ribeirão Pires 123.393 64 7 6
Mairiporã 100.179 49 4 4
Embu-Guaçu 69.385 35 8 12
Santa isabel 57.386 35 6 10
Rio Grande da Serra 50.846 30 2 4
Pirapora do Bom Jesus 18.895 18 0 0
Guararema 29.798 15 2 7
Biritiba Mirim 32.598 15 0 0
Vargem Grande Paulista 52.597 9 3 6
São Lourenço da Serra 15.825 8 1 6
Juquitiba 31.444 7 1 3
Salesópolis 17.139 4 1 6

 

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários