• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Em 5 dias, cidades da Grande São Paulo têm alta de 40% em casos de Covid-19

São 21 mil casos; Barueri, Osasco e Caieiras registram proporcionalmente mais mortes do que a capital por conta do novo coronavírus

No dia em que o Brasil ultrapassou a China em vítimas pela Covid-19, com mais de 5 mil mortos, a doença se aproxima de 21 mil casos na região metropolitana de São Paulo com 1.898 mortes confirmadas. 

Proporcionalmente, cinco municípios tiveram mais de 10 mortes por 100 mil habitantes: Barueri (13), Osasco (12), Caieiras (12), São Paulo (11) e Embu-Guaçu (10). 

Com o avanço, mais cidades decidiram adotar a obrigatoriedade do uso de máscaras – São Paulo, Guarulhos e Osasco anunciaram medidas nesta semana. 

“As máscaras de proteção são parte integrante da proteção coletiva. Uma pessoa protege a outra quando ambas a utilizam”, afirma Júlio Onita, 41, médico infectologista do Hospital Igesp. 

A curva de aumento do contágio segue alta. Em cinco dias, as 39 cidades da Grande São Paulo registraram um aumento de 40% no número confirmações de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. O avanço na quantidade de vítimas foi de 27% no mesmo período. 

A nível de comparação, a região metropolitana registrou 1.335 mortes por homicídios ao longo dos 12 meses de 2019. Em pouco mais de um mês, a Covid-19 supera em 500 esse número, além de outras 1.914 óbitos suspeitos.

“Temos mais de 600 leitos nas cidades da região, mas não vai ser suficiente para atender se as coisas continuarem dessa forma”, comentou o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB), durante reunião com outros prefeitos da região oeste nesta semana.  

Barueri teve 13 vítimas para cada 100 mil habitantes, a maior taxa proporcional da Grande São Paulo. Por outro lado, o município afirma que 85 pacientes se curaram. 

Vale ressaltar que esses são os números oficiais da Grande São Paulo. Há ainda casos que seguem em investigação, além da dificuldades de testes em algumas regiões. Moradores relataram terem cumprido o período total de isolamento, mas sem saber depois de um mês se tiveram ou não a enfermidade.  

Crédito: Paulo Talarico/Agência MuralHospital Antônio Gigliio, em Osasco, é um dos espaços com alas para tratar pacientes com Covid-19

Apesar da alta nos números, a pressão para a reabertura do comércio segue nos municípios. Prefeitos têm argumentado que qualquer medida irá ferir a determinação do governo do estado e pode ser questionada na Justiça. 

Por enquanto, as medidas de isolamento social devem seguir até o dia 11 de maio e tentam impedir o crescimento acelerado da doença que já começa a ser visto em algumas unidades médicas. 

O governo do estado aponta a ocupação de 81% dos leitos de UTI na região metropolitana. Em São Bernardo do Campo, dos 52 leitos de UTI para pacientes, 43 foram ocupados até esta quarta-feira (28). 

Cidades População Casos confirmados Óbitos Óbitos por 100 mil habitantes Letalidade %
São Paulo 12.252.023 15213 1337 10,9 8,8
Osasco 698.418 929 89 12,7 9,6
Guarulhos 1.379.182 550 64 4,6 11,6
Barueri 274.182 530 36 13,1 6,8
São Bernardo* 838.936 448 49 5,8 10,9
Santo André 718.773 398 36 5,0 9,0
São Caetano 161.127 304 12 7,4 3,9
Diadema 423.884 233 19 4,5 8,2
Mogi das Cruzes 445.842 221 19 4,3 8,6
Taboão da Serra 289.664 168 21 7,2 12,5
Itaquaquecetuba 370.821 154 14 3,8 9,1
Cotia 249.210 144 16 6,4 11,1
Santana de Parnaíba 139.447 143 5 3,6 3,5
Suzano 297.637 131 13 4,4 9,9
Carapicuiba 400.927 130 16 4,0 12,3
Franco da Rocha 154.489 126 13 8,4 10,3
Mauá 472.912 121 20 4,2 16,5
Itapevi 237.700 114 14 5,9 12,3
Francisco Morato 175.844 107 10 5,7 9,3
Ferraz de Vasconcelos 194.276 107 10 5,1 9,3
Cajamar 76.801 81 4 5,2 4,9
Itapecerica da Serra 175.693 81 8 4,6 9,9
Embu das Artes 273.726 79 14 5,1 17,7
Caieiras 101.470 71 13 12,8 18,3
Ribeirão Pires 123.393 55 5 4,1 9,1
Arujá 89.824 55 2 2,2 3,6
Jandira 124.937 47 9 7,2 19,1
Poá 117452 41 6 5,1 14,6
Mairiporã 100.179 37 4 4,0 10,8
Embu-Guaçu 69.385 29 7 10,1 24,1
Santa isabel 57.386 21 5 8,7 23,8
Rio Grande da Serra 50.846 21 0 0,0 0,0
Biritiba Mirim 32.598 14 0 0,0 0,0
Pirapora do Bom Jesus 18.895 11 0 0,0 0,0
Vargem Grande Paulista 52.597 9 3 5,7 33,3
Guararema 29.798 6 2 6,7 33,3
Juquitiba 31.444 5 1 3,2 20,0
São Lourenço da Serra 15.825 4 1 6,3 25,0
Salesópolis 17.139 1 1 5,8 100,0
Total 21.734.682 20939 1898 8,7 9,1
Números levantados em 28 de abril de 2020 nas 39 prefeituras da Grande SP

“Mesmo você sendo um quadro assintomático, você pode levar o coronavírus para dentro da sua casa e transmitir para seu pai para sua avó. E certamente vai ter muitas dificuldades na saúde para se curar”, diz o prefeito Rogério Lins (Podemos). 

Osasco teve o maior avanço da Covid-19 desde a última semana. O número de mortes dobrou de 43 para 89 e são quase mil casos do novo coronavírus. Em Guarulhos, cidade mais populosa da Grande São Paulo depois da capital, a quantidade de 550 pacientes e 64 óbitos. 

Os casos também avançaram por toda região metropolitana, chegando até as cidades menores como São Lourenço da Serra, Salesópolis e Arujá. 

Neste último, uma mulher de 29 anos teve o óbito confirmado nesta terça-feira (28). Ela deu entrada no município, mas foi levada para Guarulhos, onde não resistiu no dia 16. A gestão afirma que ela tinha doenças pré-existentes. Em 36 das 39 cidades, houve mortes por causa do novo coronavírus.

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Lucas Veloso

Jornalista, cofundador e correspondente de Guaianases desde 2014.

Guaianases, São Paulo

Comentários