• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

Guarulhos passa de mil mortes por Covid-19, e Grande SP volta a registrar alta de novos casos

Foram 45 mil casos em sete dias nas 39 cidades da região metropolitana; número de mortes passa de 15 mil

Após semanas de reabertura do comércio e de uma queda no número de novos casos de Covid-19, a região metropolitana de São Paulo voltou a ter uma alta de contaminações pelo coronavírus e ultrapassou a marca dos 319 mil casos.

O final do mês de julho indica que 15.376 moradores morreram por causa da doença. 

As informações são do dia 28 de julho e estão no Panorama da Covid-19, levantamento da Agência Mural sobre as 39 prefeituras da Grande São Paulo.  

Entre os dias 21 e 28, além de um novo aumento de casos, houve também o registro da segunda cidade a ultrapassar a marca de mil mortes: Guarulhos.

Os números indicam que a pandemia ainda requer atenção, no momento em que a maioria da Grande São Paulo segue a fase amarela de reabertura, com bares, salões de beleza e academias de volta ao funcionamento.  

Na semana passada, houve o menor número de novos casos para uma semana, com aumento 10 mil novos casos. Nos últimos sete dias, porém, houve novamente 45 mil novos exames confirmados de Covid-19. 

Os dados se tratam dos exames confirmados e não levam em conta a subnotificação e o fato de que vários moradores não passaram por serviços de saúde.

Um estudo da prefeitura de São Paulo, divulgado nesta semana, estima que são 1,32 milhão de pessoas com coronavírus, em vez dos 213 mil confirmados oficialmente.

Além disso, a situação aponta para uma situação diferente em cada cidade. A Agência Mural tem medido a aceleração do contágio, segundo os dados oficiais.

Na semana passada, 13 municípios tinham tido mais de 20% de novos casos em 15 dias. Esta semana, 18 registraram essa alta mais acelerada, sobretudo na região do Alto Tietê onde estão as cidades de Mogi das Cruzes e Suzano. 

VEJA TAMBÉM:
Confira o avanço de casos de Covid-19 na Grande São Paulo
Favelas invisíveis: como as pequenas comunidades de SP estão lidando com a pandemia
Sepultadores relatam pressão no trabalho e o preconceito contra a profissão

PERDAS

No caso do número de perdas para a Covid-19, houve o menor número de vítimas das últimas semanas. Ainda foram mais de 800 nas 39 cidades. 

Guarulhos passou a ser a segunda cidade com mais mortes depois da capital. Enquanto os paulistanos têm mais de 9,3 mil perdas, os guarulhenses chegaram a 1.053, segundo os últimos dados da prefeitura. Ambas, porém, têm a mesma taxa de mortalidade parecidas: 76 para cada 100 mil moradores, abaixo de Barueri, Santa Isabel e Osasco. 


No caso osasquense, o município teve uma redução no número de vítimas após passar semanas como a segunda cidade com mais perdas por causa do coronavírus, No dia 28, eram  603 mortes, semelhante a São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, com 604.

FASE LARANJA

O acompanhamento dos dados é importante tendo em vista a reabertura gradual do comércio e também a expectativa sobre atividades como as escolas.

Ao mesmo tempo, requer atenção para que os serviços de saúde não voltem a ficar sobrecarregados.

Cinco cidades da Grande São Paulo seguem na fase laranja, mais restrita, do chamado Plano São Paulo. Os municípios de Mairiporã, Francisco Morato, Franco da Rocha, Cajamar e Caieiras.

A prefeitura de Francisco Morato pretende entrar na justiça para que a classificação seja revista.  

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários