• Informações apuradas pela Agência Mural por meio de dados e entrevistas, buscando ouvir todos os lados envolvidos e seguindo nossa linha editorial.
    Notícia

São Bernardo e Santo André passam de mil casos de Covid-19; na Grande SP são 56 mil

Morreram 2.940 pessoas na capital paulista e outras 1.500 nos demais municípios da região metropolitana até esta terça-feira (19)

Entre a última quinta-feira e esta terça-feira (19), a Grande São Paulo confirmou mais 9,6 mil exames de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Com isso, a região metropolitana saltou de 46 mil para 56 mil casos de Covid-19, enquanto municípios ainda buscam garantir leitos hospitalares. 

Os dados foram levantados pela Agência Mural nas 39 prefeituras e apontam o avanço da Covid-19 na região metropolitana e se referem ao que foi publicado até a noite desta terça-feira (19). No Brasil, são 271 mil casos e foram 1.179 perdas em 24 horas, o maior número para um dia desde o começo da pandemia. 


A alta tem sido vista nas 39 cidades. Da última semana para cá, aumentou o número de municípios que contabilizam mais de mil casos. Entraram na lista São Bernardo do Campo e Santo André, ambos no ABC paulista, com 1.158 e 1.188, respectivamente.

Os dois municípios também ultrapassaram as 100 mortes, com 152 óbitos por Covid-19 em São Bernardo e 110 em Santo André. No caso de São Bernardo, a maioria dos casos está concentrada no bairro do Montanhão, na periferia do município, onde 131 pessoas foram infectadas.

Com o número de confirmações, as cidades do ABC se juntaram assim a São Paulo, Osasco e Guarulhos. A capital paulista chegou a 40 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Os osasquenses somam 2.871 com contágio e 237 mortes, enquanto a prefeitura guarulhense confirmou 1.371 pacientes e 174 perdas. 

A situação tende a ser mais grave, pois ainda há cerca de 19 mil pessoas que têm suspeita de Covid-19, mas sem confirmação, em toda a Grande São Paulo. Também há 3.529 que morreram sem ter o resultado do exame e são contabilizadas como mortes suspeitas. 

Por outro lado, 8.600 pessoas se recuperaram da doença e tiveram alta hospitalar segundo estimativa das prefeituras. 

PROPORCIONALMENTE

Quando calculado o número de perdas por 100 mil habitantes, Osasco, Barueri, Caieiras já apareciam com mais mortes do que a capital. Soma-se a elas a cidade de Santa Isabel, no Alto Tietê.

O município tem 57 mil habitantes e é um dos menores da Grande São Paulo, mas chegou a 14 óbitos por conta da Covid-19 – o equivalente a 24 por 100 mil. Porcentualmente, a mesma situação da capital.

Na cidade vizinha, o prefeito de Biritiba Mirim, Water Tajiri, teve a doença confirmada nesta semana. Ele  divulgou que está de quarentena após ter tido o caso confirmado. Antes dele os prefeitos de São Bernardo do Campo e Mogi das Cruzes já haviam sido contaminados, mas passam bem.

Biritiba fica a 70 km da capital, na região do Alto Tietê, e era um dos poucos municípios que não tinham registrado mortes por conta da doença até semana passada quando duas pessoas morreram. A prefeitura recuou de medidas de afrouxamento ao isolamento social no município como a realização de cultos. 

“Orientamos toda a população que fiquem em casa e respeitem o isolamento social. Essa é a principal ação para que o vírus não se espalhe”, divulgou a prefeitura municipal. 

Nesta semana, parte das prefeituras anteciparam feriados para tentar aumentar o isolamento. No entanto, a medida não foi seguida por todas.

Infográficos: Fellipe Sales

Paulo Talarico

Editor-chefe de jornalismo, cofundador e correspondente de Osasco desde 2011. Formado em jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu, tem pós-graduação em jornalismo esportivo e curso técnico de locução para rádio e TV. Atualmente, estuda História na Universidade de São Paulo. Gosta de café, Osasco, livros, futebol e cinema.

Osasco

Comentários